sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Parabéns aos Psicólogos - Dia 27 de Agosto




Entenda melhor o Diabetes

Dizer que uma pessoa tem diabetes é o mesmo que dizer que ela tem uma quantidade de açúcar no sangue acima do que seria normalmente esperado. Aparentemente isso pode não explicar muito, mas acontece que o excesso de açúcar e as alterações hormonais que o acompanham costumam agredir os vasos sanguíneos e alguns dos principais órgãos do nosso corpo.


A pergunta que logo vem à mente, então, é: por que essas pessoas acumulam quantidade maior de açúcar no sangue? A resposta está ligada a um hormônio bastante conhecido: a insulina.

Para entender melhor, imagine que você esteja dirigindo e seu carro começa a falhar. No painel, uma luz indica que é preciso reabastecê-lo. Após encher o tanque, o automóvel volta a funcionar. Agora pense na mesma situação acontecendo com o seu corpo.

Assim como o veículo, a máquina humana precisa de combustível para entrar em ação. Se faltar gasolina, o organismo sofre as conseqüências. Nosso combustível é a glicose (açúcar) retirada dos alimentos, que produz a energia necessária para sobrevivermos. Da mesma forma que a gasolina necessita de uma mangueira para ser colocada no tanque, a glicose precisa da insulina, hormônio fabricado no pâncreas que facilita a entrada do açúcar nas células.

Só que para quem tem diabetes esse mecanismo não funciona assim. Quando o organismo não produz, produz insuficientemente ou não processa a insulina de forma adequada, a glicose não consegue chegar dentro da célula. Parte dela é eliminada na urina e o restante vai se acumulando no sangue, tornando-se tóxica e podendo levar a uma série de conseqüências.

abs,

Carla

Fonte: retirado do site: WWW.diabetesnoscuidamos.com.br

http://www.diabetesnoscuidamos.com.br/diabetes.aspx?id=14

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Informativo

No último dia 14 de agosto (sábado) participei de um Ciclo de Diabetes com Saúde. Um Ciclo dedicado a esclarecer, a tirar dúvidas e oficinas sobre a doença foi patrocinado pela Centro de Diabetes de Belo Horizonte (CDBH) juntamente com a Drogaria Araujo. Contamos com uma equipe multidisciplinar formada por médicos, nutricionistas, podóloga, educador físico.





Programação
  1. Atividades física- alongamento e técnicas de relaxamento – Palestrante: William Valadares – Educador físico do CDBH e do Ponto da Saúde


  2. Nutrição, Escolhendo carboidratos, cuidando de calorias – Palestrante: Marcella Consoli e Débora B. Guimarães – Nutricionista do CDBH


  3. Coffe Break com contagem de calorias e carboidratos


  4. Cuidados com os pés – Palestrante: Ândrea Medeiros – Podóloga do CDBH


  5. Automonitoração glicêmica, uso de insulina e medicamentos – Palestrante: Dr. Rodrigo Lamounier – Endocrinologista, diretor clínico do CDBH


  6. Tira – dúvidas com os palestrantes

Tivemos ótimas orientações dos profissionais que administraram as palestras temas acima citados. Antes das atividades físicas houve monitoramento da glicemia e ressaltando a importância e os benefícios das atividades físicas. A glicose dos participantes foram aferidos após do coffee break para que os pacientes pudessem ficar tranqüilos com sua glicose. Na parte da nutrição ressaltando a importância da análise dos rótulos dos alimentos, a contagem dos carboidratos e a entender a pirâmide alimentar. Os cuidados que o diabético tem que ter com os pés e os sapatos adequados e vários brindes foram sorteados. Foram informações precisas para os que tiveram lá.


ESTAREMOS FALANDO NAS PRÓXIMAS POSTAGEM SOBRE DIABETES.


OBS.: Todas postagens técnicas tem autorização por esccrito dos seus idealizadores. Caso queiram utilizá-la por favor respeitem a política de privacidade ou entrem em contato com a fonte e peça autorização. Obrigada,

abs,

Carla

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Campanha de Solidariedade Pró Renal






Oi Pessoal, vamos ajudar a entidade Pró Renal fazendo doação conforme indicado no cartaz é um entidade séria que doa o seu tempo em virtude de ajudar aos outros.Pois, a cada dia vem crescendo o número de pessoas com problemas nos rins. E quase não possue ajuda dos governos tudo é muito difícil somente iniciativa como esta para poder ajudar os que precisão. Então vamos contribuir. Conto com vocês.


Para doar ligue:

0500 041 5405 para doar R$5,00

0500 041 5415 para doar R$15,00
0500 041 5430 para doar R$30,00
site:www.pro-renal.org.br


abs,

Carla

domingo, 15 de agosto de 2010







"ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

Senhor,
fazei de mim um instrumento de vossa paz!
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde Houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que eu leve a esperança
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
Onde houver trevas, que eu leve a luz!
Ò Mestre,
fazei que eu procure mais.
Consolar, que ser consolado.
Compreender, que ser compreendido.
Amar, que se amado.
Pois, é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
é morrendo, que se vive para a vida eterna!"
abs,
Carla

Boa Semana


Paz e alegria! Que o Senhor possa nos abençoar hoje e sempre.
abs,
Carla

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

DIABETES INSÍPIDUS

O diabetes insípidus é uma forma de diabetes mais rara e que nada tem a ver com falta de insulina ou aumento da glicose no sangue.



Este texto é sobre diabetes insípidus. Se está a procura de informação sobre diabetes mellitus o seu texto é este: DIAGNÓSTICO E SINTOMAS DO DIABETES

A palavra diabetes vem do grego antigo e significa sifão, um sistema mecânico que permite a passagem de água de um lado para outro.

O primeiro relato de diabetes data do ano 70 D.C e descrevia doentes que apresentavam grandes volumes de urina (poliúria) associado a muita sede. Porém, foi somente no século XVII que se descobriu que havia 2 tipos diferentes de diabetes. Um associado a excesso de glicose no sangue (hiperglicemia) e outro não. Estabeleceu-se então o diabetes mellitus e o diabetes insípidus.

Para entender o que é o diabetes insípidus, é necessário antes entender como o rim controla a quantidade de água que é excretada na urina. Vou tentar explicar da maneira mais simples possível.

O eixo hipotálamo/hipófise, duas glândulas do nosso sistema nervoso central, produzem um hormônio chamado vasopressina ou hormônio anti-diurético (ADH, sigla em inglês). Este hormônio é liberado na corrente sanguínea e age principalmente nos túbulos renais, impedindo que os rins percam água através da urina.

O mecanismo funciona da seguinte maneira: imaginemos um indivíduo em um dia quente de verão trabalhando ao sol. Essa pessoa sua muito e como tem pouco acesso a água, começa a se desidratar. O nosso organismo é muito sensível a qualquer sinal de desidratação e pequenas perdas de água ativam logo a liberação do ADH para o sangue.

O ADH age de 2 maneiras. Uma estimulando a sede e fazendo que pessoa comece a procurar por água antes que a desidratação fique mais grave. A segunda é nos rins, diminuindo a quantidade de água que sairá pela urina, retardando o processo de desidratação. Quando há muito ADH circulante a urina fica bem concentrada, com coloração e odor forte devido a pouca quantidade de água para diluir as substâncias presentes (leia: URINA COM CHEIRO FORTE ). Por isso, a cor da urina é sempre um bom indicador do estado de hidratação de um indivíduo.

Agora imaginemos uma pessoa bem hidratada que se encontra em uma festa, em um ambiente com ar-condicionado e várias bebidas e comidas disponíveis. Essa pessoa começa a ingerir líquidos e o organismo nota que há mais água no corpo do que necessário. Neste momento a hipófise suspende a liberação de ADH, e o rim, sem a presença deste hormônio, começa a excretar o excesso de água pela urina. A urina agora é bem clara, quase transparente.

Através do ADH o organismo tem um controle muito fino da quantidade de água corporal. Pequenas alterações para mais ou para menos são suficientes para estimular ou inibir a liberação de ADH, concentrando ou diluindo a urina.

Então, o que é exatamente o diabetes insípidus ?

O diabetes insípidus ocorre basicamente por 2 motivos: Um problema no sistema nervoso central que impede a produção e liberação do ADH, mesmo em estados de desidratação; Ou um problema nos rins que passam a não responder a presença do hormônio. Em ambos casos o resultado final é um excesso de perda de água pela urina, chamada de poliúria.

Quando existe ADH mas o rim não responde ao mesmo, damos o nome de diabetes insípidus nefrogênico. Quando há falta de produção do ADH pelo sistema nervoso central, chamamos de diabetes insípidus central.

Os doentes com diabetes insípidos apresentam intensa diurese, se desidratam facilmente e por isso bebem muita água. Enquanto o doente tiver acesso fácil a líquidos, não ocorrem grandes complicações além do inconveniente de precisar urinar o todo tempo. Se o paciente urina em excesso e não bebe água para repor as perdas, inicia-se um processo de desidratação severa que coloca a sua vida em risco. Se quiser ler sobre todas as causas de urina em excesso: URINA EM EXCESSO. O QUE PODE SIGNIFICAR ?

1.) Diabetes insípidus central

O DI central ocorre por agressões ao eixo hipotálamo-hipófise que pára de produzir o ADH necessário para evitar perdas de água excessiva na urina. As principais causas são:

- Cirurgia do sistema nervoso central com lesão acidental do hipotálamo ou hipófise.

- Traumas

- Tumores do sistema nervoso central

- Auto-imune com produção de auto anticorpos contra as células produtoras de ADH (leia: DOENÇA AUTO-IMUNE )

- Genética. Algumas famílias apresentam falhas na produção de ADH por mutações genéticas.

- Anorexia nervosa

- Encefalopatia hipóxica. Lesão cerebral por hipoxemia (falta de oxigênio), normalmente secundária a períodos de parada cardíaca.

2.) Diabetes insípidus nefrogênico

O DI nefrogênico ocorre por uma incapacidade do ADH em agir no rim, normalmente por defeitos nos receptores dos túbulos renais. O hipotálamo produz o ADH, porém este não consegue executar suas funções nos rins.

As principais causas de DI nefrogênico são:

- Alterações genéticas nos receptores dos túbulos renais.

- Uso crônico de lítio

- Hipercalcemia (cálcio sanguíneo elevado)

- Hipocalemia (potássio sanguíneo baixo)

- Amiloidose

- Síndrome de Sjögren

Existe uma terceira forma de diabetes insípidos que ocorre durante a gravidez. A placenta de algumas mulheres produz uma enzima que inativa o ADH circulante, levando a um DI transiente, que desaparece após o parto.

Tratamento

No Diabetes insípidus central como há falta de produção do ADH, o tratamento se baseia-se na reposição de ADH sintético via oral ou intra-nasal.

No caso do diabetes insípidus nefrogênico, o problema não é falta de ADH. Por este motivo, não adianta usar ADH sintético. O tratamento é feito com a suspensão do lítio ou correção dos distúrbios do cálcio e do potássio. Nos casos genéticos o tratamento é feito com dieta pobre em sal, diuréticos da família dos tiazídicos e antiinflamatórios.
.......................................................
Leia também:
- URINA EM EXCESSO. O QUE PODE SIGNIFICAR ?
- DIAGNÓSTICO E SINTOMAS DO DIABETES
- DOENÇA AUTO-IMUNE
- URINA COM CHEIRO FORTE
- MITOS E VERDADES SOBRE VITAMINAS
- OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA
- AÇÃO E EFEITOS COLATERAIS DOS ANTIINFLAMATÓRIOS
....................................................
Leia mais: http://www.mdsaude.com/2009/04/diabetes-insipidus.html#ixzz0nO6f9tqW


Leia mais: http://www.mdsaude.com/2009/04/diabetes-insipidus.html#ixzz0nO6fCvu1


EM CASO DE DÚVIDAS CONSULTE O ESPECIALISTA E/ OU SEU MÉDICO
abs, Carla

domingo, 8 de agosto de 2010

Vicente, Parabéns pelo seu Dia!

Saudades Eternas! Pai Parabéns pelo seu Dia! Bjs e Muita Luz...
Carla

FELIZ DIA DOS PAIS

PAI



Fábio Junior

Pai, pode ser que daqui a algum tempo
Haja tempo pra gente ser mais
Muito mais que dois grandes amigos, pai e filho talvez
Pai, pode ser que daí você sinta, qualquer coisa entre esses vinte ou trinta
Longos anos em busca de paz....
Pai, pode crer, eu tô bem eu vou indo, tô tentando vivendo e pedindo
Com loucura pra você renascer...
Pai, eu não faço questão de ser tudo, só não quero e nao vou ficar mudo
Pra falar de amor pra você
Pai, senta aqui que o jantar tá na mesa, fala um pouco tua voz tá tão presa
Nos ensine esse jogo da vida, onde a vida só paga pra ver
Pai, me perdoa essa insegurança, é que eu não sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo, nos teus braços você fez segredo
Nos teus passos você foi mais eu
Pai, eu cresci e não houve outro jeito, quero só reencostar no teu peito
Pra pedir pra você ir lá em casa e brincar de vovô com meu filho
No tapete da sala de estar
Pai, você foi meu herói meu bandido, hoje é mais muito mais que um amigo
Nem você nem ninguém tá sozinho, você faz parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz.




Mensagem aos Pai



A vocês, que nos deram a vida e nos ensinaram a vivê-la com dignidade, não bastaria um obrigado. A vocês, que iluminaram os caminhos obscuros com afeto e dedicação para que os trilhássemos sem medo e cheios de esperanças, não bastaria um muito obrigado. A vocês, que se doaram inteiros e renunciaram aos seus sonhos, para que, muitas vezes, pudéssemos realizar os nossos. Pela longa espera e compreensão durante nossas longas viagens, não bastaria um muitíssimo obrigado. A vocês, pais por natureza, por opção e amor, não bastaria dizer, que não temos palavras para agradecer tudo isso. Mas é o que nos acontece agora, quando procuramos arduamente uma forma verbal de exprimir uma emoção ímpar. Uma emoção que jamais seria traduzida por palavras.Amamos vocês!desconhecido

PENSO EM VOCÊ




Sei que a tua ausência parece ter o tamanho do infinito.E o tempo até tenta me convencer , mas no fundo sabemos que não passamos.Todas as noites eu coloco meus olhos no espaço e tropeço por entre as estrelas. Penso em você. Nesse momento o meu pensamento começa onde começa os seus sonhos.Deus não conta o tempo que eu passo sonhando. E o sol nunca se poe no meu mundo imaginário que insiste em iluminar os meus sonhos mais impossíveis.Ninguem zela pela saudade com tanto carinho como eu. As vezes eu passo o dia todo procurando por nois dois, desejando o que eu preciso. Buscando você, nos sonhos, no coração e na solidão.Sei que é preciso uma eternidade para fazer a minha alma desistir e mais do que uma vida pra te esquecer. Fábio Wilhians


FELIZ DIA DOS PAIS!

VICENTE , SAUDADES ETERNAS ! OBRIGADA, POR TUDO MUITA LUZ !

abs, Carla













domingo, 1 de agosto de 2010

DIABETES MELLITUS - DIAGNÓSTICO E SINTOMAS

Saiba como identificar os sintomas e quais os valores que indicam Diabetes.

Diabetes mellitus

O diabetes acontece quando há acúmulo de glicose no sangue por incapacidade das células de consumi-lo para produção de energia.

Isso pode ocorrer principalmente de 2 maneiras:

DIABETES TIPO 1 - Ocorre pela destruição das células pancreáticas que são responsáveis pela produção de insulina. Essa destruição é em geral um processo auto-imune (ou seja, os anti-corpos atuam contra o próprio corpo). O resultado é a ausência de insulina e a elevação da glicose sanguínea, chamada de hiperglicemia. O diabetes tipo 1 ocorre geralmente na juventude e deve ser tratado com reposição de insulina. Corresponde a apenas 10% dos caso de diabetes.

DIABETES TIPO 2 - Ocorre por diminuição na produção de insulina, mas principalmente por um mal funcionamento desta. Existe insulina, mas as células apresentam problemas em usá-la para captar a glicose. O diabetes tipo 2 ocorre em adultos, geralmente obesos e com história familiar positiva. O tratamento é feito com remédios que aumentam a afinidade das células pela insulina. Corresponde por mais de 80% dos casos de diabetes mellitus.

Com o tempo o paciente com diabetes 2 também apresenta lesão das suas células beta do pâncreas, passando a precisar também de insulina. Portanto, não se distingue o diabetes 1 do diabetes 2 apenas pela necessidade ou não de reposição de insulina.

Existem, na verdade, outros tipos de diabetes, como o diabetes gestacional e diabetes pela pancreatite crônica (leia: PANCREATITE CRÔNICA E PANCREATITE AGUDA), mas que serão abordados em texto próprio.

Diagnóstico do diabetes mellitus

O diagnóstico do diabetes é normalmente realizado após 2 medições (em dias diferentes) da glicose sanguínea (glicemia) em jejum de 8 a 12 horas. Valores maiores ou iguais a 126 mg/ml, confirmados em 2 exames, indicam diabetes.

O valor normal é menor que 100 mg/dl. Pessoas com glicemia entre 100 e 125, apresentam sinais de resistência a insulina. Esta fase é o chamada de pré-diabetes. É o momento de fazer dieta, emagrecer e começar a praticar exercícios, para evitar a progressão da doença.

O exame de sangue deve ser feito preferencialmente em jejum, mas se o paciente apresenta sintomas de diabetes (descritos mais abaixo), um valor de glicose acima de 200mg/dl, mesmo que realizado sem jejum, também é indicativo de diabetes mellitus.

O exame correto para o diagnóstico é a analise de sangue. As fitinhas para avaliação de glicemia capilar são usadas para controle de diabéticos já em tratamento e não servem para estabelecer o diagnóstico. Obviamente, valores elevados nas fitinhas sugerem o diagnóstico, mas devem sempre ser confirmadas com análises de sangue.

Fatores de risco para diabetes mellitus

Sintomas do diabetes

O diabetes mellitus nas fases iniciais pode ser assintomático. Os seus sintomas são normalmente relacionados ao excesso de açúcar no sangue:

- Sede: A hiperglicemia aumenta a osmolaridade do sangue e desencadeia o mecanismo de sede. O diabético, principalmente quando a glicemia está muito alta, bebe muita água e tem muita sede.

- Urina em excesso: Normalmente o rim não elimina glicose na urina, mas em situações de hiperglicemia, ele faz seu papel de órgão regulador do organismo: excreta o que está em excesso. Como não se pode urinar açúcar, para eliminar a glicose é preciso diluí-la em água, com isso, o volume de urina aumenta. O excesso de água perdido na urina causa desidratação e contribui ainda mais para a sede. Leia mais em URINA EM EXCESSO. O QUE PODE SIGNIFICAR ?

- Fome: Como as células não conseguem captar glicose, o corpo interpreta isso como um estado de falta de alimento e gera fome. O diabético bebe muita água e não mata sede. Come e não mata a fome.

- Emagrecimento: O diabetes é uma das causas de emagrecimento sem perda de apetite.

- Visão borrada: Níveis elevados de glicose também causam alterações na acuidade visual, que às vezes podem ser confundidos com miopia pelos pacientes.

Cetoacidose diabética

A cetoacidose diabética é uma complicação do diabetes tipo 1, devido a ausência de insulina. Como as células não recebem glicose, ela precisam arranjar outra fonte para gerar energia e não morrer. A solução é queimar gordura. O problema é que além de não gerar tanta energia como a glicose, a metabolização das gorduras gera uma quantidade imensa de ácidos (chamados de cetoácidos) levando a cetoacidose. O pH do sangue cai muito e pode chegar a níveis incompatíveis com a vida se não for tratado rapidamente.

Ocorre normalmente com glicemias maiores que 500 mg/dl

Estado hiperosmolar

O estado hiperosmolar é a complicação do diabetes 2 análoga a cetoacidose do diabetes 1. Como o problema não é a ausência da insulina, não ocorre a produção de cetoácidos, porém, a glicemia pode ultrapassar 1000 mg/dl. Tanta glicose deixa o sangue espesso e com uma osmolaridade elevadíssima podendo levar ao coma hiperosmolar.

Tanto a cetoacidose quanto o estado hiperosmolar têm quadro clínico semelhante. O doente apresenta desidratação grave, alterações do nível de consciência, respiração rápida e dor abdominal (estes dois últimos são mais comuns na cetoacidose).

Ambas são consideradas urgências médicas.

São normalmente desencadeados por má aderência ao tratamento, com descontrole da glicemia, mas também por infecções, uso de drogas, infartos, AVC e outros fatores de estresse.

Complicações do diabetes mellitus
O excesso de glicose sanguínea e as alterações metabólicas levam a um estado de inflamação crônica que propicia o aparecimento de todas as complicações à longo prazo do diabetes:

- Infarto do miocárdio (leia: SINTOMAS DO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO E ANGINA )
- AVC
- Insuficiência renal (Leia VOCÊ SABE O QUE É CREATININA ?)
- Cegueira
- Insuficiência arterial e amputações de membros
- Acometimento dos nervos periféricos
- Úlceras de pele.

O pé diabético é uma complicação comum do diabetes mal tratado. A diminuição do aporte de sangue e a lesão dos nervos (neuropatia diabética) dos membros inferiores, diminuem a sensibilidade do pé e das pernas fazendo que o paciente lesione esta região sem sentir dor. A dor é um dos nossos principais mecanismos de defesa e nos indica que algo de errado está acontecendo. Os doentes com neuropatia diabética não notam quando há algo ferindo seus pés, por isso, não tomam as devidas providências para proteger a pele.

É comum a formação de úlceras e em casos avançados pode ser necessário amputação do membro devido a necrose.

Pé diabético

O diabetes também é a principal causa de insuficiência renal no mundo. Pode não só levar o doente à diálise como também causar síndrome nefrótica pelo excesso de perda de proteínas na urina. (leia: PROTEINÚRIA, URINA ESPUMOSA E SÍNDROME NEFRÓTICA). O controle da proteinúria é um dos principais meios de evitar progressão da doença renal.

Uma imagem triste mas comum, é a do paciente cego, com uma perna amputada, ligado à uma máquina de hemodiálise e que, depois de alguns anos, morre de infarto fulminante.

Típico epílogo do diabético mal tratado.
............................................................................
Leia também:
- URINA EM EXCESSO. O QUE PODE SIGNIFICAR ?
- VOCÊ SABE O QUE É CREATININA ?
- ENTENDA A BIÓPSIA RENAL
- AVC (acidente vascular encefálico/cerebral)
- OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA
- HIPOTIREOIDISMO ( TIREOIDITE DE HASHIMOTO )
............................................................................


Leia mais: http://www.mdsaude.com/2008/10/diabetes.html#ixzz0nO8rh7zA

TIRE SUAS DÚVIDAS COM SEU MÉDICO
abs, Carla