Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Manual para 2013


Saúde:


1. Beba muita água

2. Coma mais o que nasce em árvores e plantas, e menos comida produzida em fábricas;

3. Viva com os 3 E's: Energia, Entusiasmo e Empatia;

4. Arranje tempo para orar;

5. Jogue mais jogos;

6. Leia mais livros do que leu em 2012;

7. Sente-se em silêncio pelo menos 10 minutos por dia;

8. Durma 8 horas por dia;

9. Faça caminhadas de 20-60 minutos por dia, e enquanto caminha sorria.

Personalidade:

11. Não compare a sua vida a dos outros. Ninguém faz idéia de como é a caminhada dos outros;

12. Não tenha pensamentos negativos ou coisas de que não tenha controle;

13. Não se exceda. Mantenha-se nos seus limites;

14. Não se torne demasiadamente sério;

15. Não desperdice a sua energia preciosa em fofocas;

16. Sonhe mais;

17. Inveja é uma perda de tempo. Tem tudo que necessita....

18. Esqueça questões do passado. Não lembre seu parceiro dos seus erros do passado. Isso destruirá a sua felicidade presente;

19. A vida é curta demais para odiar alguém. Não odeie.

20. Faça as pazes com o seu passado para não estragar o seu presente;

21. Ninguém comanda a sua felicidade a não ser você;

22. Tenha consciência que a vida é uma escola e que está nela para aprender. Problemas são apenas parte, que aparecem e se desvanecem como uma aula de álgebra, mas as lições que aprende, perduram uma vida inteira;

23. Sorria e gargalhe mais;

24. Não necessite ganhar todas as discussões. Aceite também a discordância;

Sociedade:

25. Entre mais em contato com sua família;

26. Dê algo de bom aos outros diariamente;

27. Perdoe a todos por tudo;

28. Passe tempo com pessoas acima de 70 anos e abaixo de 6;

29. Tente fazer sorrir pelo menos três pessoas por dia;

30. Não te diz respeito o que os outros pensam de você;

31. O seu trabalho não tomará conta de você quando estiver doente. Os seus amigos o farão. Mantém contato com eles.

A Vida:

32. Faça o que é correto;

33. Desfaça-se do que não é útil, bonito ou alegre;

34. DEUS cura tudo;

35. Por muito boa ou má que a situação seja.... Ela mudará...

36. Não interessa como se sente, levanta, se arruma e aparece;

37. O melhor ainda está para vir;

38. Quando acordar vivo de manhã, agradeça a DEUS pela graça.

39. Mantenha seu coração sempre feliz.

Por último:

40. Um 2013 maravilhoso que DEUS na sua infinita misericórdia nos dê força para RECOMEÇAR todos os dias!!!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012



Que o ano de 2013 seja para vc. um ano de desenvolvimento da percepção extra-sensorial, ouvir e seguir a voz interior, agir com altruísmo, inspiração, senso de comunidade, paz, justiça e amor universal.

Que a sua Capacidade de recomeçar, de criar novas situações, uma nova vida. Transmutar, transformar, levar Luz às próprias sombras e às sombras do outro e do mundo. Enxergar além das aparências. Ser capaz de construir relacionamentos profundos, sem perder a própria identidade.

Compartilhar, transformando através da Consciência!

Sejamos como a Fênix. O renascer das cinzas e elevação para a Luz. Adquirir a capacidade de aceitar e submeter-se à sabedoria divina, avançar interiormente, mudar os padrões negativos do nosso ego inferior, captar o verdadeiro sentido do Ser.

Sejamos capaz de estar acima das dores e dos conflitos do ego, acima dos fracassos e sucessos, caminhar seguindo a verdade do seu coração, conexão com a sabedoria divina. Ser um farol de consciência para si e para os outros.



Conquistar o que 2013 solicita e impulsiona, não é fácil... É uma tarefa árdua, longa, cansativa, exige paciência e superação dos conflitos.


Resgatar o nosso poder pessoal, ou simplesmente permanecermos na inconsciência. É uma escolha. É o uso do livre-arbítrio.
Momento de perceber que a Terra é somente um plano de experiências, de treinamento, aprimoramento para a evolução da alma e uma ascensão a um plano de maior consciência!

É o que viemos conquistar no ano de 2013. Aprender a viver a vida através do Amor, da compreensão de nós mesmos e do outro, expressando o amor universal por tudo que está a nossa volta!

Defina o que você realmente deseja ter em sua vida...

e comece a sonhar... e assegure-se de ter grandes sonhos.

Que Deus, em sua infinita bondade, abençoe todos nós e continue orientando-nos e mantendo acesa a luz da Amizade, do Amor e da Paz entre todos.

Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
Obrigada pela sua amizade e carinho!


Feliz Natal e um Próspero Ano Novo com Fé, Amor e paixão

transforme o seu coração em meiga fonte de luz!





Carla

Receitas para sua Festa de Final de Ano...



Torta Saudável de Legumes

fonte:http://www.nestle.com.br/site/cozinha/

detalhe receita


Torta integral de liquidificador com FIBRA MAIS NESTLÉ® e recheio de legumes
Ingredientes
  • Massa
  • Recheio
    • 1 tomate sem sementes e picado
    • 1 abobrinha picada
    • 1 cenoura ralada
    • 2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

    Modo de Preparo
    Em um liquidificador, bata os ovos com o Leite MOLICO, a farinha de trigo, o MAGGI FONDOR e o fermento. Despeje em uma tigela e misture o FIBRA MAIS NESTLÉ até ficar homogêneo. Despeje a massa em um recipiente refratário (29 x 22cm) untado com manteiga e polvilhado com farinha de trigo. Espalhe os ingredientes do recheio sobre a massa e leve ao forno médio (180ºC), preaquecido, por cerca de 40 minutos. Sirva quente ou fria.
    Faz Bem Saber:
    Faça coisas simples, como saborear um lanche saudável no meio da manhã ou da tarde e tenha grandes momentos de prazer.
    Sobre a receita
    • Rendimento: 10 porções
    • Categoria da Receita: Brunch/Lanche
    • Tipo de Prato: Massas Salgadas
    • Consideração da dieta: Contém fibras
    • Tempo de Preparo:
    • Tempo Total de Preparo:
    • Nível de Dificuldade: Fácil
    • Custo: $$ - Baixo

    Salada Tropical

    fonte:http://www.nestle.com.br/site/cozinha/

    detalhe receita
    Salada feita com batatas, salsão, abacaxi, alface e peito de peru
    Ingredientes
  • Salada
    • 4 batatas cozidas em cubos
    • meia xícara (chá) de salsão picado
    • 1 xícara (chá) de abacaxi em cubos pequenos
    • 1 maço de alface americana rasgada
    • 2 e meia xícara (chá) de peito de peru , em cubos pequenos (cerca de 250 g)
  • Molho

  • Modo de Preparo
    Salada:
    Em uma saladeira, misture os ingredientes e reserve.
    Molho:
    Em uma tigela, misture o MAGGI Fondor com a pimenta-do-reino, a mostarda, o Iogurte Natural NESTLÉ, a salsa e o azeite e mexa bem até ficar homogêneo. Sirva acompanhando a salada, polvilhada com o NESFIT.
    Sobre a receita
    • Rendimento: 6 porções
    • Categoria da Receita: Entrada
    • Tipo de Prato: Legumes e verduras
    • Tempo de Preparo:
    • Tempo Total de Preparo:
    • Nível de Dificuldade: Fácil
    • Custo: $ - Baixo


    segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

    Novíssimo material publicitário do Portal Cuidar de Idosos: MOMENTO DA PESSOA IDOSA. Especialmente, para rádios FM e AM de todo o Brasil!



    Cada pacote mensal tem 20 programetes, com duração média de 60 segundos, apresentando vinheta de entrada e saída, mais 20 textos OFF, com assuntos relacionados à terceira idade, escritos por um dos autores médicos mais conhecidos da internet brasileira, palestrante e escritor: o geriatra Márcio Borges.


    Ouça e adquira para a sua rádio. 



    fonte:http://www.facebook.com/cuidardeidosos



    A FAMÍLIA E SUA RELAÇÃO COM A PESSOA IDOSA DEPENDENTE


    A família ajuda a pessoa idosa quando:
    • mantém os laços afetivos;
    • respeita a sua vontade, opiniões e crenças;
    • tem paciência e compreensão a suas limitações físicas e mentais;
    • apóia em suas necessidades;
    • possibilita o convívio familiar e a faz sentir-se útil e importante.

    A família prejudica a pessoa idosa quando:
    • a abandona ou a ignora;
    • a menospreza, considerando-a “velha imprestável”;
    • super protege, diminuindo seu nível de autonomia e independência.

    fonte:
    http://www.facebook.com/cuidardeidosos

    domingo, 16 de dezembro de 2012

    80 formas como o açúcar pode arruinar a sua saúde

    Por Laura Bugelli
    Yahoo! Brasil

     
    Parece apetitoso? Pense duas vezes antes e consumir. (Foto: Thinkstock)



    O açúcar já é considerado vilão por muitos motivos: seu alto consumo pode provocar cáries dentárias, engordar, aumentar o surgimento de espinhas na adolescência, influenciar em quadros de diabetes... Enfim, apesar de ser um tempero muito gostoso para alimentos e bebidas, seu consumo em excesso pode ser prejudicial para a saúde de diversas maneiras e em para pessoas em diferentes idades.





    Além desses efeitos negativos, existem muitos outros que poucas pessoas conhecem. Para desmascarar todo o mal que o açúcar pode fazer, a especialista em alimentação e nutrição Nancy Appleton, baseando-se em inúmeros trabalhos científicos, elaborou uma lista com inúmeros itens que revelam como o açúcar pode ser prejudicial à saúde.




    Confira 80 desses itens da lista e veja como algo tão doce pode trazer resultados tão amargos para o corpo:



    1.Crianças que bebem refrigerantes (que contém altas taxas de açúcar), em geral, ingerem menos leite.



    2.O açúcar pode deprimir o sistema imunológico.



    3.Pode desequilibrar a relação entre os minerais no organismo.



    4.Pode causar hiperatividade, ansiedade, dificuldade de concentração e distúrbios de humor em crianças.



    5.Pode produzir um aumento significativo dos triglicerídeos.



    6.Reduz as defesas orgânias contra infecções bacterianas.



    7.Causa perda da elasticidade e função dos tecidos – quanto mais açúcar você come, mais elasticidade e função você perde.



    8.Reduz lipoproteínas de alta densidade (HDL).



    9.Pode levar à deficiência de cromo.



    10.Pode estar associado ao câncer de ovários.



    11.Pode elevar rapidamente os níveis de glicose.



    12.Causa deficiência de cobre.



    13.Interfere na absorção de cálcio e magnésio



    14.Pode tornar os olhos mais vulneráveis à degeneração macular relacionada à idade.



    15.Pode produzir acidez no trato digestivo.



    16.Pode causar um rápido aumento nos níeis de adrenalina em crianças.



    17.Pode causar envelhecimento precoce.



    18.Pode causar deterioração dos dentes.



    19.Pode levar à obesidade.



    20.Aumenta o risco de doença de Crohn e colites ulcerativas.



    21.Pode causar úlceras gástricas ou duodenais.



    22.Pode causar artrite.



    23.Pode causar distúrbios de aprendizado em crianças



    24.Contribui para a proliferação da Candida albicans – fungo responsável pela candidíase vaginal, entre outras infecções.



    25.Pode ausar cálculos biliais.



    26.Pode causar doenças do coração.



    27.Pode causar hemorroidas.



    28.Pode causar varizes.



    29.Pode levar a doenças periodontais.



    30.Pode contribuir para a osteoporose.



    31.Pode causar diminuição da sensibilidade à insulina.



    32.Pode diminuir a quantidade de Vitamina E no sangue.



    33.Pode reduzir o nível de hormônio do crescimento.



    34.Pod eaumentar o colesterol.



    35.Aumenta a AGEs.



    36.Pode interferir na absorção de proteínas.



    37.Causa alergia alimentar.



    38.Pode contribuir para o eczema em crianças.



    39.Pode causar doenças cardiovasculares.



    40.Pode prejudicar a estrutura do DNA.



    41.Pode alterar a estrutura das proteínas.



    42.Pode causar rugas pela alteração da estrutura do colágeno.



    43.Pode causar catarata.



    44.Pode causar aterosclerose.



    45.Pode aumentar as lipoproteínas de baixa densidade (LDL).



    46.Reduz a capacidade de funcionamento das enzimas.



    47.Seu consumo está associado ao desenvolvimento da doenças de Parkinson.



    48.Pode aumentar a quantidade de gordura no fígado.



    49.Pode aumentar o tamanho e produzir alterações patológicas nos rins.



    50.Pode danificar o pâncreas.



    51.Pode aumentar a retenção de líquidos no organismo.



    52.Causa constipação.



    53.Pode tornar os tendões mais frágeis.



    54.Pode causar dores de cabeça, inclusive enxaqueca.



    55.Desempenha papel no câncer de pâncreas nem mulheres.



    56.Aumenta o risco de câncer no estômago.



    57.Pode aumentar o risco de desenvolver gota.



    58.Pode contribuir para a doença de Alzheimer.



    59.Pode causar adesividade plaquetária, o que contribui para a formação de coágulos sanguíneos.



    60.Pode causar desequilíbrio hormonal; alguns hormônios tornam-se hipoativos e outros se tornam hiperativos.



    61.Pode levar à formação de cálculos renais.



    62.Pode produzir radicais livres e estresse oxidativo.



    63.Pode levar ao câncer do trato biliar.



    64.Aumenta a concentração de ácidos biliares nas fezes e de enzimas bacterianas no cólon, o que pode produzir compostos cancerígenos a câncer de cólon.



    65.É uma substância que causa dependência.



    66.Pode ser tóxico, como o álcool.



    67.Pode agravar a SPM (Síndrome Pré-Menstrual).



    68.Pode diminuir a estabilidade emocional.



    69.Pode piorar os sintomas de crianças com déficit de atenção.



    70.Pode induzir à morte celular.



    71.Pode aumentar a quantidade de alimento que você ingere.



    72.Pode levar ao câncer de próstata.



    73.Desidrata os recém-nascidos.



    74.Pode aumentar os níveis de homocisteína na corrente sanguínea.



    75.Aumenta o risco de câncer d emama.



    76.Pode causar câncer de reto.



    77.Pode causar câncer de rim.



    78.Pode causar câncer de fígado.



    79.Pode aumentar o ácido úrico no sangue.



    80.É um fator de risco para câncer do intestino delgado.

     

    Depois de conferir alguns itens dessa lista, você com certeza não deve mais sentir tanta vontade assim de consumir esse alimento. Contudo, o sabor doce é quase indispensável à dieta de qualquer pessoa. Se você faz questão de adoçar sua receita, opte por outras alternativas como mel (natural e nutritivo), melado de cana ou adoçantes naturais (como o stevita). Contudo, mesmo essas opções devem ser acrescentadas comedidamente, em pequenas quantidades.


    Lista completa com 141:

    81. O açúcar pode contribuir para a doença de Alzheimer.


    82. O açúcar pode causar a adesividade plaquetária, o que faz com que os coágulos de sangue.


    83. O açúcar pode provocar desequilíbrio hormonal – alguns hormônios tornam-se hipoativa e outros se tornam hiperativos.


    84. O açúcar pode levar à formação de pedras nos rins.


    85. O açúcar pode causar radicais livres e estresse oxidativo.


    86. O açúcar pode levar ao câncer do trato biliar.


    87. Açúcar aumenta o risco de adolescentes grávidas, entregando um infante (SGA) de pequenos para a idade gestacional.


    88. O açúcar pode levar a uma diminuição substancial no comprimento da gravidez entre adolescentes.


    89. Açúcar diminui o tempo de viagem dos alimentos através do trato gastrointestinal

    90. O açúcar aumenta a concentração de bile acids nas fezes e enzimas bacterianas no cólon, que pode modificar a bile para produzir compostos que causam câncer e câncer de cólon.

    91. Açúcar aumenta o estradiol (a forma mais potente de ocorrência natural estrogen) em homens.

    92. Açúcar combina com e destrói a fosfatase, uma enzima digestiva, que torna a digestão mais difícil.

    93. O açúcar pode ser um fator de risco para câncer de vesícula biliar.

    94. O açúcar é uma substância viciante.

    95. O açúcar pode ser inebriante, semelhante ao álcool.

    96. O açúcar pode agravar a síndrome pré-menstrual (TPM).

    97. O açúcar pode diminuir a estabilidade emocional.

    98. O açúcar promove a ingestão excessiva de alimentos em pessoas obesas.

    99. O açúcar pode piorar os sintomas de crianças com transtorno de déficit de atenção (ADD).

    1. Açúcar pode diminuir a capacidade das glândulas supra-renais para funcionar.
    2. Açúcar pode cortar o oxigênio para o cérebro quando dada às pessoas por via intravenosa.
    3. Açúcar é um fator de risco para câncer de pulmão.
    4. Açúcar aumenta o risco de poliomielite.
    5. Açúcar pode provocar convulsões epilépticas.
    6. Açúcar pode aumentar a pressão arterial sistólica (pressão quando o coração é contratante).
    7. Açúcar pode induzir a morte celular.
    8. Açúcar pode aumentar a quantidade de alimento que você come.
    9. Açúcar pode causar comportamento anti-social Delinquentes juvenis.
    10. Açúcar pode levar ao câncer de próstata.
    11. Açúcar desidrata recém-nascidos.
    12. Açúcar pode causar as mulheres a dar à luz bebês com baixo peso ao nascer.
    13. Açúcar está associado com um pior resultado da esquizofrenia.
    14. Açúcar pode aumentar os níveis de homocisteína no sangue.
    15. Açúcar aumenta o risco de câncer de mama.
    16. Açúcar é um fator de risco no câncer de intestino.
    17. Açúcar pode causar câncer de laringe.
    18. Açúcar induz a retenção de sal e água.
    19. Açúcar pode contribuir para perda de memória leve.
    20. Açúcar água, quando administrado a crianças logo após o nascimento, resulta naquelas crianças preferindo água açúcar água regular ao longo da infância.
    21. Açúcar causa prisão de ventre.
    22. Açúcar pode causar a deterioração do cérebro em mulheres pré-diabéticos e diabéticas.
    23. Açúcar pode aumentar o risco de câncer de estômago.
    24. Açúcar pode causar a síndrome metabólica.
    25. Açúcar aumenta os defeitos do tubo neural em embriões quando ele é consumido por mulheres grávidas.
    26. Açúcar pode causar asma.
    27. Açúcar aumenta as chances de conseguir a tigela irritável síndrome.
    28. Açúcar pode afetar sistemas de recompensa central.
    29. Açúcar pode causar câncer do reto.
    30. Açúcar pode causar câncer de endométrio.
    31. Açúcar pode causar câncer de células renais (rins).
    32. Açúcar pode causar tumores no fígado.
    33. Açúcar pode aumentar marcadores inflamatórios na corrente sangüínea de pessoas com sobrepeso.
    34. Açúcar desempenha um papel na causa e a continuação da acne.
    35. Açúcar pode arruinar a vida sexual de homens e mulheres, desligando-se o gene que controla os hormônios sexuais.
    36. Açúcar pode causar fadiga, mau humor, nervosismo e depressão.
    37. Açúcar pode fazer muitos nutrientes essenciais menos disponível para as células.
    38. Açúcar pode aumentar o ácido úrico no sangue.
    39 Açúcar pode levar a altas concentrações de peptídeo-C.
    40. Açúcar causa inflamação.
    41. Açúcar pode causar diverticulite, um pequeno saco de abaulamento empurrando para fora da parede do cólon que está inflamada.
    42 Açúcar pode diminuir a produção de testosterona.
    43 Açúcar prejudica memória espacial.
    44. Açúcar pode provocar catarata.

    Citations:


    1. Sanchez, A, et al. “Role of Sugars in Human Neutrophilic Phagocytosis.” Am J Clin Nutr. Nov 1973; 261: 1180-1184.
    2. Bernstein, L et al. “Depression of Lymphocyte Transformation Following Oral Glucose Ingestion.” Am J Clin Nutr. 1997; 30: 613.
    3. Schauss, A. Diet, Crime and Delinquency. (Berkley, CA: Parker House, 1981).
    4. Bayol, S.A “Evidence that a Maternal ‘Junk Food’ Diet during Pregnancy and Lactation Can Reduce Muscle Force in Offspring.” Eur J Nutr. Dec 19, 2008.
    5. Rajeshwari, R, et al. “Secular Trends in Children’s Sweetened-beverage Consumption (1973 to 1994): The Bogalusa Heart Study.” J Am Diet Assoc. Feb 2005; 105(2): 208-214.
    6. Behall, K. “Influence of Estrogen Content of Oral Contraceptives and Consumption of Sucrose on Blood Parameters.” Disease Abstracts International.1982; 431-437. POPLINE Document Number: 013114.
    7. Mohanty, P., et al. “Glucose Challenge Stimulates Reactive Oxygen Species (ROS) Generation by Leucocytes.” J Clin Endocrin Metab. Aug 2000; 85(8): 2970-2973.



    Couzy, F., et al. “Nutritional Implications of the Interaction Minerals.”Progressive Food & Nutrition Science. 1933; 17: 65-87.



    8. Goldman, L et al. “Behavioral Effects of Sucrose on Preschool Children.” J Abnorm Child Psy. 1986; 14(4): 565-577.



    9. Scanto, S. and Yudkin, J. “The Effect of Dietary Sucrose on Blood Lipids, Serum Insulin, Platelet Adhesiveness and Body Weight in Human Volunteers.” Postgrad Med J. 1969; 45: 602-607.



    10. Ringsdorf, w., Cheraskin, E., and Ramsay. R “Sucrose, Neutrophilic Phagocytosis and Resistance to Disease.” Dental Survey. 1976; 52(12): 46-48.



    11. Cerami, A, et al. “Glucose and Aging.” Scientific American. May 1987: 90.



    Lee, A T. and Cerami, A “The Role of Glycation in Aging.” Annals N Y Acad Sci. 663: 63-67.



    12. Albrink, M. and Ullrich, LH. “Interaction of Dietary Sucrose and Fiber on Serum Lipids in Healthy Young Men Fed High Carbohydrate Diets.” Clin Nutr.1986;43: 419-428.



    Pamplona, R, et al. “Mechanisms of Glycation in Atherogenesis.” Medical Hypotheses. Mar 1993; 40(3): 174-81.



    13. Kozlovsky, A, et al. “Effects of Diets High in Simple Sugars on Urinary Chromium Losses.” Metabolism. Jun 1986; 35: 515-518.



    14. Takahashi, E. Tohoku, University School of Medicine. Wholistic Health Digest. Oct 1982: 41.



    15. Kelsay, L et al. “Diets High in Glucose or Sucrose and Young Women.” Am J Clin Nutr. 1974; 27: 926-936.



    Thomas, B. L et al. “Relation of Habitual Diet to Fasting Plasma Insulin Concentration and the Insulin Response to Oral Glucose.” Hum Nutr Clin Nutr. 1983; 36C(1): 49-51.



    16. Fields, M., et al. “Effect of Copper Deficiency on Metabolism and Mortality in Rats Fed Sucrose or Starch Diets.” Am J Clin Nutr. 1983; 113: 1335-1345.



    17. Lemann, J. “Evidence that Glucose Ingestion Inhibits Net Renal Tubular Reabsorption of Calcium and Magnesium.” Am J Clin Nutr. 1976; 70: 236-245.



    18. Chiu, C. “Association between Dietary Glycemic Index and Age-related Macular Degeneration in Nondiabetic Participants in the Age-Related Eye Disease Study.” Am J Clin Nutr. Jul 2007; 86: 180-188.



    19. “Sugar, White Flour Withdrawal Produces Chemical Response.” The Addiction Letter. Jul1992: 4.



    20. Dufty, William. Sugar Blues. (New York: Warner Books, 1975).



    21. Ibid.



    22. Jones, T.W., et al. “Enhanced Adrenomedullary Response and Increased Susceptibility to Neuroglygopenia: Mechanisms Underlying the Adverse Effect of Sugar Ingestion in Children.” J Ped. Feb 1995; 126: 171-177.



    23. Ibid.



    24. Lee, A. T. and Cerami, A. “The Role of Glycation in Aging.” Annals NY Acad Sci. 1992; 663: 63-70.



    25. Abrahamson, E. and Peget, A. Body, Mind and Sugar. (New York: Avon, 1977).



    26. Glinsmann, w., et al. “Evaluation of Health Aspects of Sugar Contained in Carbohydrate Sweeteners.” FDA Report of Sugars Task Force. 1986: 39.



    Makinen, K.K., et al. “A Descriptive Report of the Effects of a 16-month Xylitol Chewing-Gum Programme Subsequent to a 40-Month Sucrose Gum Programme.”Caries Res. 1998; 32(2): 107-12.



    Riva Touger-Decker and Cor van Loveren, “Sugars and Dental Caries.” Am J Clin Nutr. Oct 2003; 78: 881-892.



    27. Keen, H., et al. “Nutrient Intake, Adiposity and Diabetes.” Brit Med J. 1989; 1: 655-658.



    28. Tragnone, A, et al. “Dietary Habits as Risk Factors for Inflammatory Bowel Disease.” Eur J Gastroenterol Hepatol. Jan 1995; 7(1): 47-51.



    29. Yudkin, J. Sweet and Dangerous. (New York: Bantam Books: 1974) 129.



    30. Darlington, L., and Ramsey. et al. “Placebo-Controlled, Blind Study of Dietary Manipulation Therapy in Rheumatoid Arthritis,” Lancet. Feb 1986; 8475(1): 236-238.



    31. Schauss, A. Diet, Crime and Delinquency. (Berkley, CA: Parker House, 1981).



    32. Crook, W. J. The Yeast Connection. (TN: Professional Books, 1984).



    33. Heaton, K. “The Sweet Road to Gallstones.” Brit Med J. Apr 14, 1984; 288: 1103-1104.



    Misciagna, G., et al. “Insulin and Gallstones.” Am J Clin Nutr. 1999; 69: 120-126.



    34. Yudkin, J. “Sugar Consumption and Myocardial Infarction.” Lancet. Feb 6, 1971; 1(7693): 296-297.



    Chess, D.J., et al. “Deleterious Effects of Sugar and Protective Effects of Starch on Cardiac Remodeling, Contractile Dysfunction, and Mortality in Response to Pressure Overload.” Am J Physiol Heart Circ Physiol. Sep 2007; 293(3): H1853-H1860.



    35. Cleave, T. The Saccharine Disease. (New Canaan, CT: Keats Publishing, 1974).



    36. Ibid.



    37. Cleave, T. and Campbell, G. Diabetes, Coronary Thrombosis and the Saccharine Disease. (Bristol, England: John Wright and Sons, 1960).



    38. Glinsmann, W., et al. “Evaluation of Health Aspects of Sugar Contained in Carbohydrate Sweeteners.” F.D.A. Report of Sugars Task Force. 1986; 39: 36-38.



    39. Tjiiderhane, L. and Larmas, M. “A High Sucrose Diet Decreases the Mechanical Strength of Bones in Growing Rats.” J Nutr. 1998; 128: 1807-1810.



    40. Wilson, RE and Ashley, EP. “The Effects of Experimental Variations in Dietary Sugar Intake and Oral Hygiene on the Biochemical Composition and pH of Free Smooth-surface and Approximal Plaque.” J Dent Res. Jun 1988; 67(6): 949-953.



    41. Beck-Nielsen, H., et al. “Effects of Diet on the Cellular Insulin Binding and the Insulin Sensitivity in Young Healthy Subjects.” Diabetes. 1978; 15: 289-296.



    42. Mohanty, P., et al. “Glucose Challenge Stimulates Reactive Oxygen Species (ROS) Generation by Leucocytes.” J Clin Endocrin Metab. Aug 2000; 85(8): 2970-2973.



    43. Gardner, L. and Reiser, S. “Effects of Dietary Carbohydrate on Fasting Levels of Human Growth Hormone and Cortisol.” Proc Soc Exp Bioi Med. 1982; 169: 36-40.



    44. Ma, Y, et al. “Association Between Carbohydrate Intake and Serum Lipids.” J Am Coli Nutr. Apr 2006; 25(2): 155-163.



    45. Furth, A and Harding, J. “Why Sugar Is Bad For You.” New Scientist. Sep 23, 1989; 44.



    46. Lee, AT. and Cerami, A “Role of Glycation in Aging.” Annals N Y Acad Sci. Nov 21,1992; 663: 63-70.



    47. Appleton, N. Lick the Sugar Habit. (New York: Avery Penguin Putnam, 1988).



    48. Henriksen, H. B. and Kolset, S.O. Tidsslcr Nor Laegeforen. Sep 6, 2007; 127(17): 2259-62.



    49. Cleave, T. The Saccharine Disease. (New Canaan, CT: Keats Publishing, 1974).



    50. Ibid., at 132.



    51. Vaccaro, 0., et al. “Relationship of Postload Plasma Glucose to Mortality with 19 Year Follow-up.” Diabetes Care. Oct 15,1992; 10: 328-334.



    Tominaga, M., et al, “Impaired Glucose Tolerance Is a Risk Factor for Cardiovascular Disease, but Not Fasting Glucose.” Diabetes Care. 1999; 2(6): 920-924.



    52. Lee, A T. and Cerami, A “Modifications of Proteins and Nucleic Acids by Reducing Sugars: Possible Role in Aging.” Handbook of the Biology of Aging. (New York: Academic Press, 1990).



    53. Monnier, V. M. “Nonenzymatic Glycosylation, the Maillard Reaction and the Aging Process.” J Ger. 1990; 45(4): 105-110.



    54. Dyer, D. G., et al. “Accumulation of Maillard Reaction Products in Skin Collagen in Diabetes and Aging.” J Clin Invest. 1993; 93(6): 421-422.



    55. Veromann, S., et al. “Dietary Sugar and Salt Represent Real Risk Factors for Cataract Development.” Ophthalmologica. Jul-Aug 2003; 217(4): 302-307.



    56. Monnier, V. M. “Nonenzymatic Glycosylation, the Maillard Reaction and the Aging Process.” J Ger. 1990; 45(4): 105-110.



    57. Schmidt, AM., et al. “Activation of Receptor for Advanced Glycation End Products: a Mechanism for Chronic Vascular Dysfunction in Diabetic Vasculopathy and Atherosclerosis.” Circ Res. Mar 1999; 1984(5): 489-97.



    58. Lewis, G. F. and Steiner, G. “Acute Effects of Insulin in the Control of VLDL Production in Humans. Implications for The Insulin-resistant State.” Diabetes Care. Apr 1996; 19(4): 390-393.



    R. Pamplona, M.J., et al. “Mechanisms of Glycation in Atherogenesis.” Medical Hypotheses. 1990; 40: 174-181.



    59. Ceriello, A “Oxidative Stress and Glycemic Regulation.” Metabolism. Feb 2000; 49(2 Suppl1): 27-29.



    60. Appleton, Nancy. Lick the Sugar Habit. (New York: Avery Penguin Putnam, 1988).



    61. Hellenbrand, W., et al. “Diet and Parkinson’s Disease. A Possible Role for the Past Intake of Specific Nutrients. Results from a Self-administered Food-frequency Questionnaire in a Case-control Study.” Neurology. Sep 1996; 47: 644-650.



    Cerami, A, et al. “Glucose and Aging.” Sci Am. May 1987: 90.



    62. Goulart, F. S. “Are You Sugar Smart?” American Fitness. Mar-Apr 1991: 34-38.



    63. Scribner, K.B., et al. “Hepatic Steatosis and Increased Adiposity in Mice Consuming Rapidly vs. Slowly Absorbed Carbohydrate.” Obesity. 2007; 15: 2190-2199.



    64. Yudkin, L Kang, S., and Bruckdorfer, K. “Effects of High Dietary Sugar.” Brit Med J. Nov 22, 1980; 1396.



    65. Goulart, F. S. “Are You Sugar Smart?” American Fitness. Mar-Apr 1991: 34-38



    66. Ibid.



    67. Ibid.



    68. Ibid.



    69. Ibid.



    70. Nash, J. “Health Contenders.” Essence. Jan 1992; 23: 79-81.



    71. Grand, E. “Food Allergies and Migraine.” Lancet. 1979; 1: 955-959.



    72. Michaud, D. “Dietary Sugar, Glycemic Load, and Pancreatic Cancer Risk in a Prospective Study.” J Natl Cancer Inst. Sep 4, 2002; 94(17): 1293-300.



    73. Schauss, A. Diet, Crime and Delinquency. (Berkley, CA: Parker House, 1981).



    74. Peet, M. “International Variations in the Outcome of Schizophrenia and the Prevalence of Depression in Relation to National Dietary Practices: An Ecological Analysis.” Brit J Psy. 2004; 184: 404-408.



    75. Cornee, L et al. “A Case-control Study of Gastric Cancer and Nutritional Factors in Marseille, France.” Eur J Epid. 1995; 11: 55-65.



    76. Yudkin, J. Sweet and Dangerous. (New York: Bantam Books, 1974).



    77. Ibid., at 44.



    78. Reiser, S., et al. “Effects of Sugars on Indices on Glucose Tolerance in Humans.” Am J Clin Nutr. 1986: 43; 151-159.



    79. Ibid.



    Molteni, R, et al. “A High-fat, Refined Sugar Diet Reduces Hippocampal Brainderived Neurotrophic Factor, Neuronal Plasticity, and Learning.”NeuroScience. 2002; 112(4): 803-814.



    80. Monnier, v., “Nonenzymatic Glycosylation, the Maillard Reaction and the Aging Process.” J Ger. 1990; 45: 105-111.



    81. Frey, J. “Is There Sugar in the Alzheimer’s Disease?” Annales De Biologie Clinique. 2001; 59(3): 253-257.



    82. Yudkin, J. “Metabolic Changes Induced by Sugar in Relation to Coronary Heart Disease and Diabetes.” Nutr Health. 1987; 5(1-2): 5-8.



    83. Ibid.



    84. Blacklock, N.J., “Sucrose and Idiopathic Renal Stone.” Nutr Health. 1987; 5(1-2):9-12.



    Curhan, G., et al. “Beverage Use and Risk for Kidney Stones in Women.” Ann Inter Med. 1998; 28: 534-340.



    85. Ceriello, A “Oxidative Stress and Glycemic Regulation.” Metabolism. Feb 2000; 49(2 Suppl1): 27-29.



    86. Moerman, C. L et al. “Dietary Sugar Intake in the Etiology of Biliary Tract Cancer.” Inter J Epid. Apr 1993; 2(2): 207-214.



    87. Lenders, C. M. “Gestational Age and Infant Size at Birth Are Associated with Dietary Intake among Pregnant Adolescents.” J Nutr. Jun 1997; 1113-1117.



    88. Ibid.



    89.Yudkin, J. and Eisa, O. “Dietary Sucrose and Oestradiol Concentration in Young Men.” Ann Nutr Metab. 1988; 32(2): 53-55.



    90. Bostick, RM., et al. “Sugar, Meat, and Fat Intake and Non-dietary Risk Factors for Colon Cancer Incidence in Iowa Women.” Cancer Causes & Control. 1994; 5: 38-53.



    Kruis, w., et al. “Effects of Diets Low and High in Refined Sugars on Gut Transit, Bile Acid Metabolism and Bacterial Fermentation.” Gut. 1991; 32: 367-370.



    Ludwig, D. S., et al. “High Glycemic Index Foods, Overeating, And Obesity.”Pediatrics. Mar 1999; 103(3): 26-32.



    91. Yudkin, J. and Eisa, O. “Dietary Sucrose and Oestradiol Concentration in Young Men.” Ann Nutr Metab. 1988; 32(2): 53-55.



    92. Lee, AT. and Cerami, A “The Role of Glycation in Aging.” Annals N Y Acad Sci. 1992; 663: 63-70.



    93. Moerman, c., et al.”Dietary Sugar Intake in the Etiology of Gallbladder Tract Cancer.” Inter J Epid. Apr 1993; 22(2): 207-214.



    94. Avena, N.M. “Evidence for Sugar Addiction: Behavioral and Nuerochemical Effects of Intermittent, Excessive Sugar Intake.” Neurosci Biobehav Rev. 2008; 32(1): 20-39.



    Colantuoni, c., et al. “Evidence That Intermittent, Excessive Sugar Intake Cause Endogenous Opioid Dependence.” Obesity. Jun 2002; 10(6): 478-488.



    95. Ibid.



    96. The Edell Health Letter. Sep 1991; 7: 1.



    97. Christensen, L., et al. “Impact of A Dietary Change on Emotional Distress.” J Abnorm Psy. 1985; 94(4): 565-79.



    98. Ludwig, D.S., et al. “High Glycemic Index Foods, Overeating and Obesity.”Pediatrics. Mar 1999; 103(3): 26-32.



    99. Girardi, N.L.” Blunted Catecholamine Responses after Glucose Ingestion in Children with Attention Deficit Disorder.” Pediatr Res. 1995; 38: 539-542.



    Berdonces, J.L. “Attention Deficit and Infantile Hyperactivity.” Rev Enferm. Jan 2001; 4(1): 11-4.



    100. Lechin, E, et al. “Effects of an Oral Glucose Load on Plasma Neurotransmitters in Humans.” Neuropsychobiology. 1992; 26(1-2): 4-11.



    101. Arieff, AI. “IVs of Sugar Water Can Cut Off Oxygen to the Brain.” Veterans Administration Medical Center in San Francisco. San Jose Mercury. Jun 12/86.



    102. De Stefani, E. “Dietary Sugar and Lung Cancer: a Case Control Study in Uruguay.” Nutr Cancer. 1998; 31(2): 132-7.



    103. Sandler, B.P. Diet Prevents Polio. (Milwakuee, WI: The Lee Foundation for Nutr Research,1951).



    104. Murphy, P. “The Role of Sugar in Epileptic Seizures.” Townsend Letter for Doctors and Patients. May 2001.



    105. Stern, N. and Tuck, M. “Pathogenesis of Hypertension in Diabetes Mellitus.”Diabetes Mellitus, a Fundamental and Clinical Test. 2nd Edition. (Philadelphia, PA: Lippincott Williams & Wilkins, 2000) 943-957.



    Citation Preuss, H.G., et al. “Sugar-Induced Blood Pressure Elevations Over the Lifespan of Three Substrains of Wistar Rats.” J Am Coli Nutr. 1998; 17(1): 36-37.



    106. Christansen, D. “Critical Care: Sugar Limit Saves Lives.” Science News. Jun 30, 2001; 159: 404.



    Donnini, D., et al. “Glucose May Induce Cell Death through a Free Radicalmediated Mechanism.” Biochem Biophys Res Commun. Feb 15, 1996; 219(2): 412-417.



    107. Levine, AS., et al. “Sugars and Fats: The Neurobiology of Preference” J Nutr. 2003; 133: 831S-834S.



    108. Schoenthaler, S. “The Los Angeles Probation Department Diet-Behavior Program: Am Empirical Analysis of Six Institutional Settings.” Int J Biosocial Res. 5(2): 88-89.



    109. Deneo-Pellegrini H., et al. “Foods, Nutrients and Prostate Cancer: a Casecontrol Study in Uruguay.” Br J Cancer. May 1999; 80(3-4): 591-7.



    110. “Gluconeogenesis in Very Low Birth Weight Infants Receiving Total Parenteral Nutrition.” Diabetes. Apr 1999; 48(4): 791-800.



    111. Lenders, C. M. “Gestational Age and Infant Size at Birth Are Associated with Dietary Intake Among Pregnant Adolescents.” J Nutr. 1998; 128: 807-1810.



    112. Peet, M. “International Variations in the Outcome of Schizophrenia and the Prevalence of Depression in Relation to National Dietary Practices: An Ecological Analysis.” Brit J Psy. 2004; 184: 404-408.



    113. Fonseca, v., et al. “Effects of a High-fat-sucrose Diet on Enzymes in Homosysteine Metabolism in the Rat.” Metabolism. 2000; 49: 736-41.



    114. Potischman, N., et al. “Increased Risk of Early-stage Breast Cancer Related to Consumption of Sweet Foods Among Women Less than Age 45 in the United States.” Cancer Causes & Control. Dec 2002; 13(10): 937-46.



    115. Negri, E., et al. “Risk Factors for Adenocarcinoma of the Small Intestine.” Int J Cancer. Jul1999; 2(2): 171-4.



    116. Bosetti, c., et al. “Food Groups and Laryngeal Cancer Risk: A Case-control Study from Italy and Switzerland.” Int J Cancer. 2002; 100(3): 355-358.



    117. Shannon, M. “An Empathetic Look at Overweight.” CCL Family Found. NovDec 1993; 20(3): 3-5. POPLINE Document Number: 091975.



    118. Harry, G. and Preuss, MD, Georgetown University Medical School. http://www.usa.weekend.com/food/carper_archive/961201carper_eatsmart.html.



    119. Beauchamp, G.K., and Moran, M. “Acceptance of Sweet and Salty Tastes in 2-year-old Children.” Appetite. Dec 1984; 5(4): 291-305.



    120. Cleve, T.L. On the Causation of Varicose Veins. (Bristol, England: John Wright, 1960).



    121. Ket, Yaffe, et al. “Diabetes, Impaired Fasting Glucose and Development of Cognitive Impairment in Older Women.” Neurology. 2004; 63: 658-663.



    122. Chatenoud, Liliane, et al. “Refined-cereal Intake and Risk of Selected Cancers in Italy.” Am J Clin Nutr. Dec 1999; 70: 1107-1110.



    123. Yoo, Sunmi, et al. “Comparison of Dietary Intakes Associated with Metabolic Syndrome Risk Factors in Young Adults: the Bogalusa Heart Study.” Am J Clin Nutr. Oct 2004; 80(4): 841-848.



    124. Shaw, Gary M., et al. “Neural Tube Defects Associated with Maternal Periconceptional Dietary Intake of Simple Sugars and Glycemic Index.” Am J Clin Nutr. Nov 2003; 78: 972-978.



    125. Powers, L. “Sensitivity: You React to What You Eat.” Los Angeles Times. Feb 12, 1985.



    Cheng, L et al. “Preliminary Clinical Study on the Correlation Between Allergic Rhinitis and Food Factors.” Lin Chuang Er Bi Yan Hou Ke Za Zhi. Aug 2002; 16(8): 393-396.



    126. Jarnerot, G. “Consumption of Refined Sugar by Patients with Crohn’s Disease, Ulcerative colitis, or Irritable Bowel Syndrome.” Scand J Gastroenterol. Nov 1983; 18(8): 999-1002.



    127. Allen, S. “Sugars and Fats: The Neurobiology of Preference.” J Nutr. 2003; 133: 831S-834S.



    128. De Stefani, E., et al. “Sucrose as a Risk Factor for Cancer of the Colon and Rectum: a Case-control Study in Uruguay.” Int J Cancer. Jan 5, 1998; 75(1): 40-4.



    129. Levi, E, et al. “Dietary Factors and the Risk of Endometrial Cancer.” Cancer. Jun 1, 1993; 71(11): 3575-3581.



    130. Mellemgaard, A, et al. “Dietary Risk Factors for Renal Cell Carcinoma in Denmark.” Eur J Cancer. Apr 1996; 32A(4): 673-82.



    131. Rogers, AE., et al. “Nutritional and Dietary Influences on Liver Tumorigenesis in Mice and Rats.” Arch Toxicol Suppl. 1987; 10: 231-43. Review.



    132. Sorensen, L.B., et al. “Effect of Sucrose on Inflammatory Markers in Overweight Humans” Am J Clin Nutr. Aug 2005; 82(2).



    133. Smith, R.N., et al. “The Effect of a High-protein, Low Glycemic-load Diet Versus a Conventional, High Glycemic-load Diet on Biochemical Parameters Associated with Acne Vulgaris: A Randomized, Investigator-masked, Controlled TriaL” JAm Acad Dermatol. 2007; 57: 247-256.



    134. Selva, D.M., et al. “Monosaccharide-induced Lipogenesis Regulates the Human Hepatic Sex Hormone-binding Globulin Gene.” J Clin Invest. 2007. doi:10.1172/JCI32249.



    135. Krietsch, K., et al. “Prevalence, Presenting Symptoms, and Psychological Characteristics of Individuals Experiencing a Diet-related Mood-disturbance.”Behavior Therapy. 1988; 19(4): 593-604.



    136. Berglund, M., et al. “Comparison of Monounsaturated Fat with Carbohydrates as a Replacement for Saturated Fat in Subjects with a High Metabolic Risk Profile: Studies in the Fasting and Postprandial States.” Am J Clin Nutr. Dec 1, 2007; 86(6): 1611-1620.



    137. Gao, X., et al. “Intake of Added Sugar and Sugar-Sweetened Drink and Serum Uric Acid Concentration in US Men and Women.” Hypertension. Aug 1, 2007; 50(2): 306-312.



    138. Wu, T., et al. Fructose, Glycemic Load, and Quantity and Quality of Carbohydrate in Relation to Plasma C-peptide Concentrations in US Women.” Am J Clin Nutr. Oct 2004; (4):1043-1049.



    139. Matthias, B. and Schulze, M.B. “Dietary Pattern, Inflammation, and Incidence of Type 2 Diabetes in Women.” Am J Clin Nutr. Sep 2005; 82: 675-684.



    140. Yudkin, J. Sweet and Dangerous. (New York: Bantam Books: 1974) 169.



    141. http://www.endo-society.org/media/press/upload/CARONIA_FINAL.pdfdated June 13, 2009



    142. Ross, AP, et. al. “A High Fructose Diet Impairs Spatial Memory in Male Rats” Neurobiol Learn Mem. 2009 Jun 12. [Epub ahead of print]



    143. Gul, A. et al. “Role of fructose concentration on cataractogenesis in senile diabetic and non-diabetic patients.” Graefes Arch Clin Exp Ophthalmol. 2009 Jun;247(6):809-14. Epub 2009 Feb 6.



    Like this:



    fonte:http://br.mulher.yahoo.com/a%C3%A7%C3%BAcar-arruinar-sa%C3%BAde-174552194.html