Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




sábado, 28 de abril de 2012

Tratamento do diabetes Tipo 1 sem insulina. Um futuro que pode estar bem próximo


A descoberta de um novo hormônio pode mudar a forma de tratar o diabetes tipo 1, ao excluir a insulina, de acordo com uma pesquisa realizada na Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

A pesquisa mostrou que outro hormônio, chamado de fator de crescimento fibroblástico 19 (FGF19), tem características semelhante à insulina, além do seu papel na síntese dos ácidos biliares.

Ao contrário da insulina, no entanto, o FGF19 não causa excesso de glicose que pode se transformar em gordura, sugerindo que sua ativação possa levar a novos tratamentos para o diabetes ou obesidade, como explica David Mangelsdorf, presidente de Farmacologia da Universidade do Texas.

A descoberta fundamental é que há um caminho que existe e que é necessário para o corpo, após uma refeição, para armazenar glicose no fígado e síntese de proteína da unidade. Esse caminho é independente da insulina.

O crescimento fibroblástico controla o metabolismo dos nutrientes que são liberados pela absorção dos ácidos biliares no intestino delgado. Estes, por sua vez, produzidos pelo fígado, quebram as gorduras no corpo.

Com isso, Mangelsdorf e o coautor do estudo Steven Kliewer, esperam colaborar com novos tratamentos para o diabetes fora da terapêutica com insulina. O tratamento padrão para o diabetes tipo 1 envolve tomar insulina várias vezes ao dia para metabolizar o açúcar no sangue.

Para chegar a esses resultados, os pesquisadores estudaram ratos que não tinham o hormônio FGF15 - equivalente ao hormônio FGF19.

Esses ratos, depois de comer, não poderiam manter adequadamente as concentrações de glicose no sangue e quantidades normais de glicogênio hepático. O glicogênio é uma forma de armazenamento de glicose encontrado principalmente no tecido hepático e muscular. Portanto foram injetados neles uma quantidade de FGF19 para avaliar seus efeitos sobre o metabolismo no fígado. Como resposta, o hormônio restabeleceu os níveis de glicogênio nos ratos. E quando administrado em ratos diabéticos, o FGF19 também corrigiu a perda de glicogênio.

Fonte: R7

Altas doses de ureia no organismo podem ocasionar doença renal

 

Augusto Pio

Publicação: 04/04/2012 08:00 Atualização:

Belo Horizonte — Um composto orgânico cristalino, conhecido quimicamente pela fórmula (NH2)2CO e que se forma principalmente no fígado para ser filtrado pelos rins e eliminado pela urina ou pelo suor. A ureia é considerada o principal produto terminal do metabolismo proteico no ser humano e nos demais mamíferos. Porém, quando em excesso no sangue, pode se transformar em problema, levando a um quadro conhecido como uremia.

Diagnosticada quando os rins não são capazes de filtrar o sangue normalmente, a doença é hoje um sério problema de saúde pública no país. “No Brasil, a prevalência de pacientes mantidos em programa crônico de diálise mais que dobrou nos últimos oito anos, chegando próximo a 90 mil pacientes este ano. A incidência de novos casos cresce cerca de 8% ao ano, tendo sido registrados 18 mil pacientes em 2001”, informa o nefrologista Fernando César Menezes Assunção, membro do Corpo Clínico do Serviço de Nefrologia do Hospital Público Regional de Betim, na Grande Belo Horizonte. “O gasto com o programa de diálise e transplante renal no Brasil é elevado, cerca de 10% da verba destinada à saúde, o que tornam mais urgentes ações de prevenção, que têm um custo infinitamente menor para os cofres públicos”, completa.

 Fonte: Correio Braziliense





 

 

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Presidente da Fundação Pró-Renal Brasil, o nefrologista Miguel Carlos Riella acaba de implantar um serviço inédito no Brasil



Acaba de ser implantado um Pronto - Socorro Virtual  dos Rins na cidade de Curitiba no Paraná, pelo presidente da Fundação Pró-Renal Brasil o nefrologista Dr. Miguel Carlos Riella . O Pronto - socorro funcionará 24 horas por dia tendo uma equipe de  médicos especializados que atenderá as emergências dos rins pelo telefone 3095-3030.

Tomara que mais Pronto - socorro  aparecerá no restante do país. Bela atitude...

abs,
Carla


fonte: gazeta do povo/ http://www.pro-renal.org.br/

MAIS DICAS PARA NÃO CAUSAR AGITAÇÃO EM IDOSOS COM ALZHEIMER

MAIS DICAS  PARA NÃO CAUSAR AGITAÇÃO EM IDOSOS COM ALZHEIMER

 *Procure tratar o idoso com a maior naturalidade possível, não o tratando com uma criança ou como um doente, mesmo que o seja. Agir assim pode evitar mal-entendidos e conflitos. Lembrar que o idoso pode perceber e ter sentimentos, como nós.

*Ocupação, atividades e tarefas domésticas ou sociais ajudam a preencher o tempo, dando valorização e importância ao idoso.

*Como cuidador e familiar, não tenha muitas expectativas ...de que o idoso irá melhorar, ou que se consiga controlar bem todos os seus sintomas. Estamos lidando como uma doença que AINDA não tem cura ou controle efetivo. Procure ser realista!

*Evite discutir com o idoso! A maneira de reagir e de entender os fatos está alterada. Tentar convencer ou discutir, com muitos argumentos, como adultos normais, só irá piorar a agitação.



*Repetiremos sempre: é a doença, é o quadro de Alzheimer que gera problemas de comportamento. O idoso não agita deliberadamente, de propósito.

*Contornamos melhor a agitação, se temos um ambiente agradável e seguro, se proporcionamos e supervisionamos atividades e tarefas durante todo o dia, se temos apoio dos familiares e de outros cuidadores (se os tiver), aprendendo juntos habilidades necessárias para melhor cuid...ar do idoso.

*Em muitos casos, a agitação ocorre devido à pouca preparação do cuidador e do familiar em saber lidar com o idoso afetado pela doença de Alzheimer.

*Carinho, afeto e atenção tornam o idoso mais fácil de lidar, em caso de agitação.

*Não dê falsas promessas e nem diga mentiras. Conquiste cada vez mais a confiança do idoso.

*O idoso, pela doença de Alzheimer, pode esquecer facilmente. Portanto, não fique criticando-o ou lembrando-o de episódios tristes e angustiantes do passado.

*Para saber lidar com o idoso com Alzheimer, é necessário aprender o que é esta doença, trocar informações com profissionais de saúde e participar de grupos como esse - FACEBOOK CUIDAR DE IDOSOS.
*Como cuidador e familiar, não tenha muitas expectativas de que o idoso irá melhorar, ou que se consiga controlar bem todos os seus sintomas. Estamos lidando como uma doe...nça que AINDA não tem cura ou controle efetivo. Procure ser realista!

*Um ambiente propício, bem iluminado, calmo e tranqüilo, bem sinalizado, sem muitas alterações na rotina diária deixa o idoso mais calmo e com melhores condições de lembrar de “seu” lugar, de sua casa. Evitar muitas aglomerações, muitas confusões e muitas festas.

*A agitação pode resultar de fome ou sede. Procure supervisionar a alimentação do idoso.

*A agitação pode ser sinal de dor ou de outro desconforto físico. Pergunte ao idoso, com calma e clareza, o que ele está sentindo. Procure em seu corpo algum sinal de problemas de saúde.

*Evite tarefas cansativas e difíceis, não dando ao idoso, responsabilidade além de suas possibilidades
.
*Paciência, paciência, muita paciência!

*Mesmo com todas estas dicas acima, o idoso ainda pode estar difícil de ser controlado, tornando-se sempre agitado. Este tipo de situação causa um grande estresse aos familiares e cuidadores. 


Converse com o médico do idoso sobre o problema, pois neste caso, junto com todas estas dicas, será necessário o uso de medicamento para controlar a agitação e o comportamento.

fonte:http://www.facebook.com/cuidardeidosos

terça-feira, 24 de abril de 2012

Rede pública começa a usar novo remédio para tratar vítimas de AVC

O medicamento desentope os vasos sanguíneos e deve ser usado até quatro horas e meia depois do aparecimento dos sintomas.
Fabio Turci São Paulo



A rede pública de saúde já está autorizada a usar mais um remédio no tratamento do acidente vascular cerebral, o AVC, provocado por entupimento dos vasos sanguíneos.
Segundo os médicos, este remédio pode salvar vidas. O alteplase já é oferecido na rede pública de saúde para o tratamento de infarto. Agora vai ser usado no SUS, também, nos casos de acidente vascular cerebral.
“O paciente não tratado adequadamente com esta doença, vai evoluir com grandes sequelas, vai ser um paciente improdutivo. Com o uso dessa medicação você pode diminuir a sequela”, explica Santino Lacanna, neurocirurgião.

O alteplase só é usado em pacientes com AVC isquêmico, ou seja, quando um coágulo entope alguma veia ou artéria do cérebro. O medicamento é injetado na corrente sanguínea e dissolve o coágulo, liberando a passagem do sangue.
Mas o remédio deve ser usado com muito cuidado. Ele afina o sangue, deixa mais líquido, e isso, segundo os médicos, pode provocar hemorragia. O chefe da neurologia da Santa Casa de São Paulo afirma que esse risco limita o uso do medicamento.
Ele só é indicado se o derrame não for muito extenso. Se o paciente estiver com a pressão arterial e a glicose sob controle. Se o tratamento começar, no máximo, quatro horas e meia depois dos primeiros sintomas.
“Quando pode ser aplicado, ele deve ser aplicado e traz resultados bastante satisfatórios. Porem é uma medicação de risco. E só deve ser aplicado em centros especializados, onde haja médicos neurologistas devidamente treinados para seu uso”, informa Rubens Gagliardi, chefe de neurologia da Santa Casa – SP.

fonte: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2012/04/rede-publica-comeca-usar-novo-remedio-para-tratar-vitimas-de-avc.html

13/04/2012 - 25 de abril: Dia nacional de advertência aos planos de saúde

segunda-feira, 23 de abril de 2012

27/03/2012 - Instituto de Traumatologia do Rio vai atender pacientes com osteodistrofia renal

 

Segundo dados do Into, incidência de doenças ósseas relacionadas à doença renal crônica em estágio terminal tem aumentado a cada ano

Pacientes com doenças ósseas relacionadas à doença renal crônica poderão ser atendidos pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) a partir do próximo mês. Segundo a assessoria do instituto, o novo tipo de atendimento ambulatorial será oferecido às segundas-feiras, a partir de 2 de abril.

De acordo com o Into, o município do Rio de Janeiro não conta com um centro especializado para esse tipo de atendimento, apesar de a incidência da doença renal crônica em estágio terminal na população estar aumentando a cada ano.

A doença, chamada de osteodistrofia renal, é provocada pela incapacidade dos rins do paciente com doença renal crônica em manter níveis adequados de cálcio, fósforo e vitamina D na corrente sanguínea. Como consequência, os pacientes podem sofrer com fraturas, dor e deformidades nos ossos.

O novo serviço do Into, unidade de referência em ortopedia vinculada ao Ministério da Saúde, terá como funções diagnosticar, por meio de exames laboratoriais, de imagem e da biópsia óssea, a doença e sua origem exata. Depois do diagnóstico, os pacientes terão tratamento e acompanhamento pelo instituto.

Fonte: O Estado de São Paulo

Será que a bomba de insulina é uma solução para todos os casos de diabetes?

Bomba de insulina, Bomba de Infusão em Insulina ou mesmo Sistema de Infusão Contínua de Insulina, todos se referem ao mesmo aparelho. Semelhante a um bip, o equipamento é do tamanho de um cartão de crédito, tem cerca de 3 centímetros de espessura, não pesa mais do que 100 gramas e está ligado ao corpo por um cateter (nada doloroso) que, em sua extremidade, tem uma agulha flexível. 

No Brasil o sistema ainda é considerado novo, embora exista desde 1998 e já é utilizado no mundo inteiro rotineiramente. A bomba de insulina conta com cerca de mil usuários no país e coloca os interessados no custoso equipamento diante de um dilema: até que ponto a flexibilidade nos horários e na própria alimentação não compromete o tratamento do diabetes? 

A bomba de insulina pode ter controle remoto ou não, ser colorida ou preta, de última geração, re-fabricada ou de um modelo mais antigo. Seja como for, ela tem, basicamente, a mesma função: garantir um controle eficiente da glicemia e o fim das agulhadas. É importante lembrar que o aparelho requer uma série de cuidados e acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. 

Como funciona
Dois botões são responsáveis por toda a programação da bomba de insulina e a utilização deles não é complicada. "Ao contrário do que muitos pensam os idosos não encontram dificuldades em utilizar o aparelho. As crianças também se interessam e aprendem rapidamente", afirma a enfermeira Mieco Hashimoto, do Departamento de Enfermagem da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). 

O fato de estar conectado a um aparelho 24 horas não significa que o usuário tenha de se sentir incomodado por ele. Depois de decidir-se pela utilização do método, o usuário deve encontrar a melhor maneira de estar com a sua bomba junto ao corpo. Cintos (de perna inclusive), pochetes, bolsas, clips, estojo à prova d'água estão entre os acessórios. Muitas usuárias carregam as suas bombas nas alças dos sutiãs ou nos próprios bolsos de suas calças e bermudas, que passam por uma pequena adaptação: é feito pequeno orifício no tecido para a passagem do cateter. 

"As bombas têm uma missão ambiciosa: injetar continuamente doses de insulina no paciente, numa quantidade determinada, de acordo com suas características", explica o endocrinologista Walter Minicucci, coordenador do site SBD e um dos maiores especialistas no país em bomba de insulina. 

Individualidade do tratamento 
A bomba de insulina conta com várias programações a serem personalizadas pelo médico que acompanha o tratamento. A partir do acompanhamento médico são identificados os horários médios de oscilação dos níveis glicêmicos que, normalmente, acontecem no primeiro mês de utilização do aparelho. 

Há programações de segurança para assegurar que não aconteçam alterações nos índices corretos; e a de memória, para regular a quantidade de insulina ultra-rápida a ser liberada de forma basal (ininterruptamente durante todo o dia) e bolus (que deve ser enviada na hora das refeições e depois da contagem de carboidratos). 

Existem equipamentos, por exemplo, nos quais o usuário pode programar o bolus para ingestão de alimentos em festas, etc. "Como o único jeito de administrar insulina é por meio de aplicação subcutânea, o uso da bomba é uma forma menos dolorosa e mais eficaz", conta o Dr. Minicucci. 

Quem pode usar a bomba de insulina? 
Diante da gama de vantagens oferecidas aos usuários de bombas de insulina, dificilmente há uma pessoa com diabetes que não tenha interesse em testar o método. No entanto, é preciso esclarecer que a bomba não é uma solução para todos os casos de diabetes. As indicações são, principalmente, para os adolescentes e adultos com diabetes tipo 1, ou seja, insulinodependentes. "Tanto o paciente descompensado, quanto a grávida com diabetes podem usar a bomba de insulina. Na verdade, uma das grandes indicações do tratamento com bomba de infusão de insulina é na gestante com diabetes, porque nessas pacientes o controle glicêmico fica muito facilitado", explica o Dr. Minicucci. 

As crianças também têm indicação. Estudos demonstram que a bomba de insulina trabalha muito bem em crianças em idade pré-escolar ou que estão aprendendo a andar. Esse método também enfrenta suas contra-indicações. 

Pessoas que têm aversão às agulhas; que não desejem fazer pontas de dedo várias vezes ao dia; que não tenham interesse em inserir a contagem de carboidratos em seu planejamento alimentar; ou que não têm a menor habilidade em manusear botões devem recorrer ao médico e, juntos, estudar outra alternativa. 

Acompanhamento médico 
O uso da bomba é, sem dúvida, um eficiente método de controle do diabetes. No entanto, não deve ser visto como uma solução definitiva. É importante destacar que este é um sistema que tem como objetivo a melhora da qualidade e o aumento da perspectiva de vida do usuário - caso seja utilizado de maneira correta. Para isso, um acompanhamento médico intensivo é indispensável. 

Música é usada no tratamento da Doença de Alzheimer-matéria do Fantástico de 22-04-2012

Demência já atinge cerca de 35,5 milhões de pessoas no mundo

Número pode dobrar nos próximos vinte anos. Para alguns tipos da doença, há prevenção e um dos "remédios" é o carinho.

Mônica Teixeira Rio de Janeiro, RJ



Entre os sintomas mais comuns da demência estão a perda de memória, dificuldade de executar tarefas simples como trocar de roupa, escovar os dentes, desenhar ou de reconhecer objetos, como lápis, cadeira, relógio.

A doença pode ter várias causas, como o uso de alguns medicamentos para o coração ou mal de Parkinson, o hipotireoidismo e a falta de vitamina B12, encontrada em carnes, nos cereais e no leite.

Nesses casos, o problema é reversível. Já os derrames no cérebro causam lesões para sempre, a chamada demência vascular. Há prevenção com controle dos fatores de risco, como pressão alta, diabetes, fumo, álcool e sedentarismo.
A causa mais comum de demência é o mal de Alzheimer, que normalmente se manifesta a partir dos 65 anos. Esquecer fatos recentes é um dos primeiros sinais da doença. A pessoa se lembra do que aconteceu anos atrás, mas não se recorda do que acabou de fazer. O comportamento também muda. A pessoa também pode se tornar agressiva e na maioria das vezes não reconhece que está doente.

“Em uma fase intermediária da doença, o individuo já começa a se confundir no próprio ambiente familiar. Às vezes, o que é muito rotineiro para ele, como onde é o banheiro, onde é a cozinha. O paciente às vezes tem muita teimosia, muita agressividade”, explica Carla Jevoux, neurologista.
A doença não tem cura, mas o tratamento pode retardar a evolução dos sintomas. Para lidar com a doença é preciso paciência, tolerância e o envolvimento de todos. O amor é um poderoso remédio.

fonte:http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2012/04/demencia-ja-atinge-cerca-de-355-milhoes-de-pessoas-no-mundo.html

domingo, 22 de abril de 2012

Rio triplica número de doadores de órgãos em 2 anos
Estado treinou profissionais da área, adotou nova coordenação do programa de transplantes e também criou o disque 155



Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

Após amargar longa estagnação no seu programa de transplantes - o que chegou a extinguir a fila de espera por um coração, já que os médicos inscreviam seus pacientes em outros Estados -, o Rio triplicou o número de doadores de órgãos: passou de 4,4 doadores por milhão de habitantes, em 2010, para 13,9, em 2011. A informação é do Programa Estadual de Transplantes (PET). Ontem, o secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, anunciou que o Estado terá um hospital exclusivo para esse tipo de cirurgia.

Segundo ele, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, deve anunciar nos próximos dias a transferência para administração do Estado de um hospital federal - a informação não havia sido confirmada pelo ministério ate a noite de ontem. "Temos o desejo de ter um hospital específico para transplante. Existe demanda. São pacientes que precisam de acompanhamento ambulatorial, monitoramento, dosagem de medicamentos imunossupressores", afirma o coordenador da Central Estadual de Transplantes, Eduardo Rocha.

Melhoria. Três estratégias permitiram aumentar o número de captação de órgãos. Inicialmente, cem profissionais - entre médicos intensivistas, cirurgiões, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos -, foram treinados na Universidade de Barcelona, o que permitiu que melhorasse a qualidade dos órgãos doados.

"Não é incomum que o paciente, já em morte cerebral, sofra uma parada cardíaca. Contratamos médicos intensivistas que têm atuado para manter esse potencial doador", diz Rocha.

Outra iniciativa foi transferir a sede da coordenação do programa para perto da Defesa Civil Estadual - o que permite mobilizar helicópteros e ambulâncias e dá mais agilidade ao transporte de órgãos. Depois da mudança, passou a haver captação em cidades como Itaperuna, a pouco mais de 300 km da capital.

Por fim, o número telefônico, antes um 0800 difícil de memorizar, foi substituído pelo disque transplante de três dígitos (155). As iniciativas também melhoraram a chamada taxa de efetividade (relação entre os órgãos doados e os que puderam ser transplantados) - subiu de 15% para 24%. A meta é chegar a 30%.

História. Cláudio Antônio Roberto Júnior, de 31 anos, é testemunha da mudança no serviço de transplantes.

Portador de colangite esclerosante, doença crônica que impede a adequada circulação da bile para o intestino e provoca a degeneração do fígado, ele passou por dois transplantes do órgão, em 2001 e 2011. "O serviço está mais rápido, mais ágil. Na primeira vez, esperei por um ano. Agora, fiquei na fila por sete meses", compara.

Enquanto o hospital exclusivo não vem, o Estado anunciou a reforma de um andar do Instituto do Coração Aloysio de Castro, que em breve começará a transplantar rim, coração e pâncreas. Com a reestruturação do PET, voltou a haver fila por um coração no Rio. Hoje, sete pessoas esperam pelo órgão.

Fonte: O Estado de São Paulo

Dicas de Alimentação para Pacientes com Câncer III

Lesões na Boca ou na Garganta

 

As lesões na boca, as gengivas sensíveis e as lesões na garganta ou no esôfago freqüentemente resultam da radioterapia, da quimioterapia ou de infecções. Se tiver lesões na boca ou na gengiva, consulte o médico para certificar-se de que são um efeito colateral do tratamento e não um problema dentário não relacionado. O médico poderá lhe prescrever um remédio que controlará a dor na boca e na garganta. O seu dentista também pode lhe dar dicas de cuidados com a boca.

Determinados alimentos irritarão uma boca que já está sensível e tornarão difícil o ato de mastigar e engolir. Selecionando os alimentos que serão ingeridos e cuidando bem da sua boca, dentes e gengivas, você vai comer mais facilmente. Veja algumas sugestões:

Experimente alimentos macios que sejam mais fáceis de mastigar e engolir, tais como:

Milkshakes.

Bananas, purê de maçã e outras frutas macias

Néctar de pêssego, de pêra e de maçã

Melancia

Queijo cottage, iogurte

Purê de batata, de mandioca, de mandioquinha, de cará e de inhame.

Macarrão com queijo.

Creme de ovos, pudins e gelatinas.

Ovos mexidos.

Mingau de aveia e outros cereais cozidos.

Legumes em forma de purê ou amassados, tais como ervilhas, cenouras, chuchu, abóbora e abobrinha.

Carnes em forma de purê.

Evite alimentos ou líquido que possam irritar a sua boca. Eles incluem:

Laranja, abacaxi, limão ou outra fruta cítrica.

Molho ou suco de tomate.

Alimentos condimentados ou salgados.

Legumes crus, granola, torrada, bolachas ou outros alimentos duros, ásperos ou secos.

Produtos comerciais para enxaguar a boca que contenham álcool.

Cozinhe os alimentos até que fiquem macios e tenros.

Corte os alimentos em pedaços pequenos.

Use um liquidificador ou um processador de alimentos para transformar os seus alimentos em purê.

Misture os alimentos com manteiga, margarina, caldo ou molho para torná-los mais fáceis de engolir.

Use um canudo para beber os líquidos.

Use uma colher menor do que a normal, como uma colher de bebê.

Experimente os alimentos frios ou à temperatura ambiente. Os alimentos quentes podem irritar uma boca ou garganta sensível.

Experimente tomar uma sopa ou um caldo salgado morno; isso poderá aliviara dor de garganta.

Experimente chupar lascas de gelo.

Se for difícil engolir, inclinar a cabeça para trás ou para frente pode ajudar.

Se os seus dentes ou gengivas estão doloridos, o seu dentista poderá recomendar um produto especial para a higiene dos seus dentes.

Enxágüe a boca freqüentemente com água para remover alimentos e bactérias.

Pergunte ao seu médico sobre balas e sprays anestésicos que podem entorpecer a sua boca e a sua garganta durante um tempo suficiente para comer os alimentos.

p.s: consulte seu médico e/ ou nutricionista

fonte:http://www.abrale.org.br/apoio_paciente/dicas/lesoes_boca_garg.php

Dicas de Alimentação para Pacientes com Câncer II

Perda de Peso

 
Muitos pacientes com câncer perdem peso durante seu tratamento. Isso se deve parcialmente aos efeitos da própria doença sobre o corpo. Além disso, se você perdeu o apetite e estiver comendo menos do que o normal por causa do tratamento ou devido a preocupações emocionais, você poderá perder peso. As seções “Como aumentar as calorias” e “Como aumentar as proteínas” lhe darão algumas idéias para reduzir a perda de peso ou mesmo ganhar alguns quilos.


 

Ganho de Peso

 
Alguns pacientes percebem ganho de peso durante o tratamento. É importante não fazer uma dieta imediatamente se você notar um ganho de peso. Em vez disso, converse com seu médico para descobrir o que pode estar causando essa mudança. Algumas vezes, o ganho de peso acontece porque determinados medicamentos anticâncer podem fazer o seu corpo reter um excesso de líquidos. Essa condição é chamada de edema. Se esse for o seu caso, seu médico poderá pedir que você converse com um nutricionista para obter diretrizes limitar a quantidade de sal que você ingere. Isso é importante porque o sal faz seu corpo reter água extra. O médico poderá prescrever também um diurético, que é um remédio que faz seu corpo eliminar o excesso de líquidos.

O ganho de peso também pode ser decorrente de um aumento do apetite e da ingestão de alimentos e calorias extras. Se for esse o caso e você quiser parar de ganhar peso, seguem algumas dicas que podem ajudar. Converse com um nutricionista para obter mais orientação:

Prefira frutas, legumes, pães e cereais integrais.

Escolha carnes magras sem gordura, frango sem pele e laticínios com baixo teor de gordura (leite desnatado ou semidesnatado, iogurtes light).

Evite manteiga, maionese, doces e outros extras.

Escolha métodos de cozinhar com pouca gordura e poucas calorias (assar, grelhar e cozinhar no vapor).

Evite comer petiscos ricos em calorias durante as refeições.

Se sentir vontade, aumente a quantidade de exercícios físicos que faz.





p.s: não esqueça de consulta médico e/ou nutricionista.

fonte:http://www.abrale.org.br/apoio_paciente/dicas/prob_alimentacao.php

sábado, 21 de abril de 2012

Dicas de Alimentação para Pacientes com Câncer

A sua dieta é parte importante do seu tratamento de câncer. Comer os tipos certos de alimentos antes, durante e após o tratamento pode ajudá-lo a se sentir melhor e manter-se forte.

Petiscos rápidos e fáceis:

Pães, bolinhos e bolachas

Pipoca com manteiga

Bolos e biscoitos feitos com grãos integrais, frutas, nozes, gérmen de trigo ou granola

Cereal

Queijo duro ou semi-macio

Bolo de queijo (cheesecake)

Sopas cremosas

Molhos feitos com queijo, feijões ou creme azedo

Frutas (frescas, em calda, secas ou purês)

Saladas ou sobremesas de gelatina

Granola

Ovos duros e temperados

Sorvete, frozen iogurte, picolés

Sucos

Milkshakes, bebidas instantâneas de café da manhã

Nozes

Manteiga de amendoim

Pão árabe e hummus

Pizza

Pudins e cremes à base de ovos

Sanduíches

Legumes (crus ou cozidos)

Leite integral ou semidesnatado ou achocolatado

Iogurte

Como aumentar as calorias:

Manteiga e margarina: adicione a sopas, purê de batatas e batatas assadas, mingaus de cereal, grãos, arroz, macarrão e vegetais cozidos.

Creme batido: use adoçado no chocolate quente, em sobremesas, gelatinas, pudins, frutas, panquecas, waffles.

Leite e creme: Use em sopas cremosas, molhos, pratos com ovos, massas de bolo, pudins e cremes à base de ovos. Coloque em mingaus ou cereais. Misture com macarrão, massas, arroz e purês de batata. Espalhe sobre o frango ou peixe ao assar. Use como liga em hambúrgueres, bolos de carne e croquetes. Use leite integral em vez de desnatado. Use creme no lugar de leite nas receitas. Faça chocolate quente com creme e adicione marshmallows.

Queijo: Derreta sobre cozidos, batatas e legumes. Adicione a omeletes e sanduíches.

Queijo cremoso (“creamcheese"): espalhe sobre pães, bolinhos, fatias de frutas e bolachas. Adicione a legumes. Forme bolinhas e passe em nozes picadas, gérmen de trigo ou granola.

Creme azedo: Adicione a sopas cremosas, batatas assadas, macarrão com queijo, legumes, molhos, molhos de salada, cozidos, carnes assadas e peixes. Use como cobertura para bolos, frutas, sobremesas de gelatina, pães e bolinhos. Use como molho para frutas e legumes frescos. Para uma boa sobremesa, misture a polpa de frutas, adicione açúcar mascavo e coloque na geladeira até que fique frio antes de comer.

Molhos de salada e maioneses: use com sanduíches, combine com carnes, peixes e ovos ou saladas de legumes, use como liga em croquetes, use em molhos ou pratos com gelatina.

Mel, geléia e açúcar: Adicione a pães, cereais, bebidas com leite e sobremesas de frutas e iogurtes. Use como cobertura para carnes, tais como frango.

Granola: Use em massas de biscoitos, bolinhos e pães. Espalhe sobre legumes, iogurtes, sorvetes, pudins, cremes à base de ovos e frutas. Faça camadas alternadas com frutas e ponha para assar. Misture com frutas secas e nozes para comer um petisco. Use como substituto do pão ou do arroz em receitas de pudim.

Frutas secas (uvas passas, ameixas, tâmaras, figos): Experimente cozinhar as frutas secas; sirva no café da manhã ou como sobremesa ou lanche. Adicione a bolinhos, biscoitos, pães, bolos, arroz e pratos com grãos, cereais, pudins e recheios. Asse em tortas e pastéis. Combine com legumes cozidos, tais como cenouras, batatas doces, inhame e abóboras. Combine com nozes ou granola.

Ovos: Adicione ovos cozidos picados a saladas e molhos, legumes, cozidos e carnes batidas no liquidificador. Faça um creme rico à base de ovos, leite e açúcar. Adicione gemas cozidas extras a recheios de ovos temperados e a recheios de sanduíches. Adicione ovos batidos a purês de batatas, purês de legumes e molhos. (Não deixe de cozinhar esses pratos depois de adicionar os ovos, pois os ovos crus contêm bactérias nocivas). Adicione ovos ou claras extras a cremes à base de ovos, pudins, quiches, ovos mexidos, omeletes e a massas de panqueca e rabanadas antes de cozinhar.

Preparo dos alimentos: Cubra as carnes e legumes com farinha de rosca. Se tolerar, refogue e frite os alimentos quando possível, pois esses métodos adicionam mais calorias do que assar ou grelhar. Adicione molhos ou caldos.

Queijo duro ou semi-macio: Derreta em sanduíches, pães, bolinhos, tortillas, hambúrgueres, cachorro quente, outras carnes ou peixes, legumes, ovos, sobremesas, frutas cozidas ou tortas. Rale e adicione a sopas, molhos, cozidos, pratos com legumes, purês de batatas, arroz, macarrão ou bolos de carne.

Queijo cottage/ricota: Use para rechear ou misture com frutas e legumes. Adicione a cozidos, espaguete, macarrão e pratos com ovos, tais como omeletes, ovos mexidos e suflês. Use em gelatinas, sobremesas tipo pudins, cheesecake e massa de panqueca. Use para rechear crepes e massas ou macarrões.

Leite: use leite em vez de água em bebidas e para cozinhar, quando possível. Use ao preparar mingaus, sopas, chocolate e pudins. Adicione molhos cremosos a legumes e a outros pratos.

Leite em pó instantâneo desnatado: Adicione ao leite regular e a bebidas com leite, tais como gemadas pasteurizadas e milkshakes. Use em cozidos, bolos de carne, pães, bolinhos, molhos, sopas cremosas, purê de batatas, pudins e cremes à base de ovos e em sobremesas a base de leite.

Sorvete, iogurte e frozen iogurte: Adicione a refrigerantes e a bebidas à base de leite. Adicione cereais, frutas, gelatinas e tortas. Bata no liquidificador ou misture com frutas macias ou cozidas. Alterne camadas de sorvete ou frozen iogurtes com fatias de bolo, biscoitos ou bolachas doces. Faça bebidas para o café da manhã com frutas e bananas.

Feijões/legumes: Cozinhe e use ervilhas, legumes, feijões e tofu em sopas ou adicione a cozidos, massas e pratos com grãos que também contenham queijos ou carne. Amasse feijões cozidos com queijo e leite.

Nozes, sementes e gérmen de trigo: Adicione a cozidos, pães, bolinhos, panquecas, biscoitos e waffles. Espalhe sobre frutas, cereais, sorvetes, iogurtes, legumes, saladas e torradas, como uma cobertura crocante. Use no lugar de farinha de rosca. Bata no liquidificador com salsinha ou espinafre, ervas e creme para fazer um molho para macarrão, massas ou legumes. Role bananas em nozes picadas.

Carne e peixe: Adicione carne ou peixe cozido e picado a legumes, saladas, cozidos, sopas, molhos e massas salgadas. Use em omeletes, suflês, quiches, recheios de sanduíche e recheios de frango ou peru. Recheie massas de tortas ou de biscoitos para fazer empanadas. Adicione a batatas assadas recheadas.


 


p.s: não esqueça de consulta médico e/ou nutricionista.  
 
fonte: http://www.abrale.org.br/apoio_paciente/dicas/dicas.php

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Nutrição Oncológica: I Jornada Regional com inscrições abertas

 

Estão abertas, até 20 de abril, as inscrições para interessados em expor seus trabalhos relacionados ao tema da I Jornada Regional de Nutrição Oncológica, a ser realizada no campus Coração Eucarístico, no dia 5 de maio. Os trabalhos deverão ser enviados pelo site www.inca.gov.br. Cada autor pode inscrever até dois trabalhos. As inscrições para participar do evento já estão abertas e podem ser feitas até 1º de maio. A atividade tem o apoio do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) da Universidade e é aberta a profissionais e estudantes da área da saúde.

A Jornada é uma promoção do Instituto Nacional do Câncer (Inca), do Instituto dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e da Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC), com o apoio do ICBS e do laboratório Abbott Nutrition. Uma das coordenadoras regionais é a professora Adriana Keller Coelho, do Curso de Nutrição, ministrado na PUC Minas no Barreiro.

Para se inscrever, os interessados devem fazer depósito bancário (Banco Bradesco, agência 3673, conta corrente 26302-8, em nome de Sociedade Brasileira de Cancerologia – SBC) no valor de R$40 (para estudantes, mediante apresentação do boleto ou carteira estudantil) ou R$70 (para profissionais da área da saúde) e enviar os comprovantes via fax ou digitalizados para o e-mail socancer@lognet.com.br.

O evento reunirá destacados profissionais ligados à Nutrição Oncológica, que considera a alimentação uma parte importante no tratamento do câncer. Mesas redondas, painéis, conferências, visitas guiadas aos pôsteres fazem parte da programação, representando um ponto de encontro privilegiado entre os profissionais de saúde, para troca de informações e atualização científica.

A programação completa pode ser conferida no www.pucminas.br/barreiro.

 

09/04/2012

fonte:http://www.pucminas.br/noticias/noticia.php?area=2&codigo=5752&pagina=4

quinta-feira, 19 de abril de 2012


  Olá Pessoal! Recebi um comentário no meu blog (reccomecar.blogspot.com) que pede para crianças, adolescentes e adultos com diabetes tipo 1 responda um questionário a Mariana, é de Portugal vamos colaborar que pessoas com diabetes tenha uma qualidade de vida melhor.Segue o pedido. Conto com vc.


mariana deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Novos resultados com o uso do pâncreas artificial ...":

Boa tarde,

Estou a fazer a minha Dissertação, no âmbito do Curso de Mestrado em Design Industrial na Faculdade de Engenharia do Porto – Portugal, na área de Diabetes do tipo 1. O objectivo seria criar um dispositivo com uma ligação e afeição com o diabético e para um melhor controlo da Diabetes. Para que seja um desenvolvimento credivel e que crie satisfação ao diabético, estou a realizar uns questionários, um dirigido a adultos e adolescentes e outro para crianças.

Link de acesso:

Questionário sobre Dispositivos Médicos usados na terapêutica da Diabetes Mellitus tipo I – Dirigido a Diabéticos tipo I (Crianças) – Para o preencher, vá a: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dGMxTmtoSWl3X1c5Z3
V1ZTBsVE01UWc6MQ

Questionário sobre Dispositivos Médicos usados na terapêutica da Diabetes Mellitus tipo I – Dirigido a Diabéticos Adolescentes e Adultos. Para o preencher, vá a: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dFNfMFNDVVFUY2Nm
MHpuQV9BdlFDZVE6MQ

Encontrei o seu blog e pensei que poderia ser uma forma de divulgação dos questionários. Se quiser colaborar neste estudo, poderia divulgar no seu blog.

Agradeço a sua atenção e disponibilidade. 


VAMOS AJUDAR!!!!! 
abs, 
Carla

segunda-feira, 16 de abril de 2012



Confira abaixo algumas dicas que podem ajudá-lo a amenizar os seguintes problemas.

 
Confira abaixo algumas dicas que podem ajudá-lo a amenizar os seguintes problemas no tratamento de câncer


Perda do Apetite



A perda do apetite ou falta de apetite é um dos problemas mais comuns que ocorrem durante o tratamento de câncer. Para algumas pessoas, a perda do apetite ocorre apenas durante um dia ou dois; para outras, é uma preocupação contínua. Seja qual for o motivo, eis algumas sugestões que podem ajudá-lo:

Experimente refeições líquidas ou em pó substitutas, tais como bebidas instantâneas para o café da manhã, durante os períodos em que for difícil para você comer alimentos.

Experimente fazer refeições pequenas e freqüentes durante todo o dia, em vez de poucas refeições grandes. Poderá ser mais fácil comer mais dessa maneira e você não se sentirá tão estufado.

Se possível, experimente comer algo na hora de dormir.

Algumas vezes, mudar a forma de ingerir um alimento pode torná-lo mais apetitoso e ajudar a comê-lo melhor. Por exemplo, se comer uma fruta fresca inteira é um problema, experimente-a sob a forma de um milkshake.

Tente alimentos mais macios, frios ou gelados, como iogurte, milkshakes ou picolés.

Durante as refeições, tome apenas pequenos goles das bebidas, pois elas podem fazê-lo sentir-se satisfeito. Se quiser beber mais do que um gole de líquido, faça isso de 30 a 60 minutos antes ou depois de uma refeição.

Faça as refeições o mais relaxada e agradavelmente possível. Apresentar alimentos ou refeições de uma maneira atrativa também pode ajudar.

Exercícios regulares podem ajudar o sue apetite. Verifique com o seu médico as opções que estão abertas a você.

 

 

p.s: não esqueça de consulta médico e/ou nutricionista. 

fonte:http://www.abrale.org.br/apoio_paciente/dicas/perda_apetite.php

Dicas de Alimentação para Pacientes com Câncer

A sua dieta é parte importante do seu tratamento de câncer. Comer os tipos certos de alimentos antes, durante e após o tratamento pode ajudá-lo a se sentir melhor e manter-se forte.

Antes de Iniciar o Tratamento

Logo que seu câncer foi diagnosticado, o seu médico conversou com você sobre um plano de tratamento, que pode ter incluído cirurgia, radioterapia, quimioterapia, terapia com hormônios e biológica (imunoterapia), ou alguma combinação desses tratamentos.

Todos esses métodos matam células. No processo de matar as células do câncer, algumas células saudáveis também são danificadas. É isso que causa os efeitos colaterais do tratamento. Os que podem afetar a sua capacidade de comer incluem:

Confira abaixo algumas dicas que podem ajudá-lo a amenizar os seguintes problemas.


- Perda de Apetite

- Mudança de peso (perda ou ganho)

- Lesões na boca ou na garganta

- Boca seca

- Problemas na boca e na garganta

- Mudança no paladar e no olfato

- Náusea/vômito

- Diarréia

- Intolerância à lactose

- Prisão de ventre

- Cansaço e/ou depressão

As recomendações de nutrição para os pacientes com câncer podem concentrar-se em ajudá-los a comer alimentos mais ricos em nutrientes. Para tanto, é aconselhável incluir mais leite, creme, queijo, ovos e óleo na dieta, ou alterar os métodos de cozinhar. Algumas vezes recomenda-se que você coma menos alimentos com fibras, porque eles podem agravar problemas como a diarréia ou lesões na boca.

Essas recomendações foram projetadas para ajudar você a recuperar suas forças e tolerar melhor os efeitos de seu tratamento.




p.s: Consulte seu onco e / ou nutricionista para mais esclarecimentos. Vou esclarecer em próximas postagens sobre da problema que encontramos com o tratamento e vou fazer um relato sobre a minha descoberta da doença. Até mais.


fonte: http://www.abrale.org.br/apoio_paciente/dicas/index.php?area=alimentacao

domingo, 15 de abril de 2012

Administrando os problemas de alimentação durante o tratamento do câncer

Todos os métodos de tratamento do câncer são muito poderosos. Embora esses tratamentos seja dirigidos às células de câncer em rápido crescimento do seu corpo, as células saudáveis também podem ser danificadas. As células saudáveis que normalmente crescem e se dividem rapidamente, tais como aquelas da boca, trato digestivo e cabelo, são freqüentemente afetadas pelos tratamentos de câncer. Os danos às células saudáveis produzem os efeitos colaterais desagradáveis que causam os problemas de alimentação.

Alguns problemas de alimentação são causados pelo próprio tratamento. Outras vezes, os pacientes podem ter problemas para comer porque estão zangados, preocupados ou com medo.
Enquanto estiver no hospital ou recebendo o tratamento, converse com um nutricionista. Ele poderá lhe dar sugestões de refeições específicas, petiscos e alimentos e de como lidar com quaisquer problemas de alimentação que você possa ter. Lembre-se que não existem quaisquer normas de nutrição inflexíveis e fixas durante o tratamento do câncer. Seguem algumas dicas para manter em mente:

Quando puder, tente fazer refeições e comer petiscos nutritivos; eles o ajudarão a manter a sua força, a impedir que os tecidos corporais entrem em colapso e a reconstruir os tecidos que o tratamento de câncer possa danificar.

Muitas pessoas percebem que o seu apetite é melhor de manhã. Aproveite e coma mais nesse horário. Considere fazer a sua refeição principal do dia cedo e mais tarde substitua as refeições por refeições líquidas se não sentir vontade de comer.

Se não se sentir bem e puder comer apenas um ou dois alimentos, coma-os até que seja capaz de ingerir outros. Experimente fazer uma refeição líquida substituta para ingerir nutrientes necessários.

Naqueles dias em que não conseguir comer nada, não se preocupe. Faça o que puder para sentir-se melhor. Volte a comer assim que puder e informe ao seu médico se esse problema não melhorar dentro de dois dias.

Tente beber muitos líquidos, especialmente naqueles dias em que não sentir vontade de comer. A água é essencial para o funcionamento adequado do seu corpo. A ingestão de líquido suficiente assegurará que o seu corpo recebe toda a água de que precisa. É indicado para a maioria dos adultos, de 6 a 8 copos de líquido por dia. Tente levar consigo uma garrafa d’água durante o dia. Isso pode ajudá-lo a desenvolver o hábito de ingerir líquidos.



p.s: não esqueça de consulta médico e/ou nutricionista.  

 
fonte:http://www.abrale.org.br/apoio_paciente/dicas/prob_alimentacao.php