sábado, 6 de julho de 2013

BEBIDA ALCOÓLICA E PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS:

ESCLARECIMENTO DE GRANDE IMPORTÂNCIA PRESTADO POR  UM ESPECIALISTA AOS LEITORES DESTA PÁGINA.



✓BEBIDA ALCOÓLICA E PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS:



•Bebida alcoólica em excesso faz mal para qualquer um. Em quem é transplantado (transplante de rim, por exemplo), o álcool pode causar vários malefícios e seu consumo precisa ser evitado!


•ENTENDA:

O uso de bebida alcoólica é tema complexo. Envolve aspectos psíquicos e físicos. Engloba a dependência, a abstinência e o uso abusivo. O que define o alcoolismo é o uso constante e prolongado de álcool, que traz consequências físicas, psicológicas e sociais.

Álcool é uma droga socialmente aceita.

O limite entre uso social e o alcoolismo propriamente dito às vezes é tênue. Depende de vários fatores, como aspectos culturais, clínicos, características orgânicas individuais da pessoa, etc. Por exemplo, sabe-se que as mulheres toleram menos os efeitos do álcool que os homens.

Do ponto de vista orgânico, o álcool ingerido é absorvido pelo trato gastrointestinal e metabolizado pelo fígado. Se a quantidade for excessiva, pode causar lesão irreversível, a cirrose hepática, com suas graves consequências, podendo levar ao óbito. Além do fígado, o álcool lesa também o cérebro (destrói neurônios ) e nervos periféricos, podendo levar à demência e à neuropatias e suas consequências. Pode, ainda, lesar o pâncreas, o estômago (gastrite) e o coração, só para citar os principais órgãos. É inegável e indubitável o efeito nocivo.

A quantidade “social” de álcool seria aquela representada pelo consumo eventual, não diário, de pequena quantidade de álcool. Por “pequena quantidade”, entenda-se aquela que é metabolizada sem maiores problemas pelo organismo, não trazendo lesões. E um efeito dessa magnitude, sem causar lesões, depende da dose de álcool, que é individual para cada pessoa, dependendo do peso corporal dessa pessoa, do sexo, da quantidade de gordura corporal, da quantidade de água corporal, do estado de saúde dessa pessoa. Algo como 1 cálice de vinho/dia; 1 lata de cerveja/dia; 1 dose de destilado/dia (dose pequena). Eu observo, entretanto, que se o consumo for diário, preencherá um dos critérios que definem “alcoolismo”. Então, na minha opinião, o consumo dessa única dose não deve ser diário.


Especificamente para o transplantado de rim, que é um indivíduo portador de Doença Renal Crônica que recebeu um outro rim normal e que faz uso contínuo de medicamentos imunossupressores, de metabolismo hepático, este indivíduo deve evitar o consumo excessivo de álcool. O melhor seria evitar severamente o consumo de álcool, pelos motivos já citados acima.


O transplantado deve preservar ao máximo o seu rim novo, deve se manter o mais saudável possível, deve ter hábitos de vida saudáveis. Ele faz parte de uma minoria que teve acesso a um novo rim. Ano passado tínhamos cerca de 100.000 pessoas fazendo diálise no Brasil e foram transplantados 5.300 rins, somente.


➨FONTE: Dr. Rui Alberto Gomes - CRM 62826/SP - Médico Nefrologista em Mogi das Cruzes, atende em consultório

próprio é coordenador do Instituto de Nefrologia da

cidade. Especialista pela Sociedade Brasileira de

Nefrologia, professor de Medicina da UMC e

doutorado pela Unifesp/EPM.


•PERFIL:https://www.facebook.com/doutorruiagomes?fref=ts

✎Lembrando que o contato direto com sua equipe médica cuidadora é de extrema importância para esclarecimentos de dúvidas de maneira única e individual.

—Por Geison Oliveira.

p.s: conteúdo meramente informativo consulte o seu médico.



abs,
Carla

extraído:http://www.facebook.com/pages/Dicas-de-Hemodi%C3%A1lise-e-Transplantes-Nevakubo/270395653033630

13 comentários:

  1. cerveja sem álcool faz mal para transplantado de rim a seis meses?

    ResponderExcluir
  2. Rebeka, obrigada pela visita. Meu pai quando fazia hemodiálise a nutricionista dele de vez enquanto deixa dele tomar uma cerveja porém ele nunca mais tomou. Eu não sei de informar olhe com sua nutricionista eu vou olhar também com a nutricionista e posta para você. Tem outras bebidas mais saudáveis como água e suco natural...abs. fraternos. Carla

    ResponderExcluir
  3. É transplantado(a), nunca faça uso de bebida alcóolica!

    ResponderExcluir
  4. É transplantado(a), nunca faça uso de bebida alcóolica!

    ResponderExcluir
  5. Raimundo J. E. da Silva, obrigada pela visita e contribuição! Realmente não é bom fazer uso de bebida alcóolica não só transplantado também a pessoa que faz hemodiálise e diálise até refrigerante eu não sugiro fazer uso. abs. fraternos,
    Carla

    ResponderExcluir
  6. Oi Carla gostei muito do seu blog, sou transplantado dês de 07/01/2007, rim que minha esposa me doou, e deu 98% de compatibilidade, quando transplantei bebia alem do normal, um belo dia resolvi parar, mas vi que só é difícil então procurei minha medico (ela me assiste dês de 2003) ela decidiu me internar, foram vinte longos dias tomando vitamina B12(bem dolorida). Mas consegui fazer toda minha família muito feliz (tenho quatro filhos, a mais nova tem 25 anos) deixando de lado o álcool. Hoje estava no pc procurando saber se fará mal eu voltar a beber, pois sinto muita falta. Li seu blog adorei saber que do outro lado tem gente que preocupa-se com os outros, por favor continue seu blog me fez pensar bastante, Não sei se vc tem como me responder vou deixar meu email: meu nome é Jorge tenho 56 anos e moro em Porto Alegre RS vai la homeapocampos@hotmail.com Carla desculpe o desabafo, fico muito agradecido espero tb ter ajudado alguém: Muito Obrigado Fique com DEUS. Jorge

    ResponderExcluir
  7. Olá, Jorge Luis Pinto! Obrigada pela visita, comentários e o elogio o blog foi feito justamente para tentar ajudar e esclarecer certas doenças do qual tenho passado com meus familiares, ou seja, meu pai, eu e minha mãe, não tem nada que se desculpar. Sabe hoje na hora que li seu comentário estava muito triste e em lágrimas por que estou sentindo muita falta dos meus pais principalmente da minha mãe que dia 18/02/2016 fará 02 meses que ela retornou a casa do Senhor. Quando meu pai se foi quase não senti porque tinha que cuidar dela agora... Ela tinha alzheimer e sempre me perguntava se as pessoas fazia o que eu postava e graças a Deus até hoje acho que pude ajudar. Jorge, a ingestão de bebidas alcóolicas como refrigerantes deve ser abolida do nosso cardápio temos bebidas mais saudáveis para a ingestão. Escreva e volte sempre e por favor se cuide.
    abs. fraternos
    Carla

    ResponderExcluir
  8. Olá Carla, meu nome é Angélica! Primeiramente parabéns pela página! Gostaria te tirar uma dúvida. Meus esposo através de uma infecção viral, aderiu uma insuficiência renal aguda, ele ficou 28 dias internado, e há duas semanas está fazendo hemodiálise esperando sua creatinina baixar, pra não cronificar, onde os médicos deram o prazo de 90 dias. Socialmente ele pode beber uma vez perdida?! Ou definitivamente ele tem que parar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angélica Moura, boa tarde! Obrigada pela visita e comentário volte sempre. Olha eu particular nunca deixei o meu pai fazer uso de bebida depois que ele começou a fazer hemodiálise, isto tem que ser avaliado pelo médico e/ou a nutricionista pois, somente eles sabem do quadro do seu marido. Desculpa se a resposta não foi o que queria não posso fazer uma afirmação além de não ser da área apesar de ter profundado bastante na diabetes e hemodiálise eu entendo bastante para cuidar do meu pai nada posso afirmar e não conheço o caso a fundo. Deus convosco e os seus.
      abs. fraternos
      Carla

      Excluir
  9. Sou transplantado a quase 6 anos e gosto muito de sair com amigos para a balada e beber até ficar alterado.
    Isso claro que pode afetar meu rim pelo fato de o álcool cancelar o efeito dos medicamentos imunossupressores, mas poderia acontecer de eu beber uma noite e no outro dia eu acordar com meu rim rejeitado?
    O rim foi doado pelo meu pai.
    Fico com recentimento de beber mas é algo que eu gosto muito, estar ali com amigos e comemorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Matheus,Carla peço licença a você pra contar aqui a experiência de transplantado renal do meu pai. Após o transplante de rim que ele recebeu da minha tia( irmã dele), ele teve uma vida normal, se alimentava direito, tomava todos os remédios pra rejeição conforme prescrito desde o início, certa vez, perguntou ao seu médico se poderia tomar uma "cervejinha" de vez em quando, e por estar tudo certo com seus exames, ele liberou até 3 latas de cerveja...Ora, se o álcool ajudou a causar muitos malefícios a saúde dele quando estava saudável, porque liberar após o transplante mesmo sabendo dos riscos? Nunca concordei,com essa má ideia de liberar bebida prafaz uso de meficacoes pra rejeiçao e imunossupressores, mas não sou médica,mas sou filha de quem já passou por todo esse processo de transplante renal, e esse seria o papel do nefrologista orientar e proibir de vez. Pois bem,meu pai continuou tomando sua "cervejinha" mesmo em doses reduzidas, com amigos, que sempre lhe ofereciam mais uma dose,e um copo a mais...e o pior aconteceu,a bebida reduziu os efeitos que o remédio fazia para manter sua imunidade que já era menor que o normal. O meu pai começou a sentir se mal, era aparentemente uma "gripe" e que por conta da baixa imunidade, evoluiu para pneumonia,não se recuperou...levando meu pai a óbito! Não é minha intenção assustar ninguém, mas se posso aconselhar, sugiro que deveria refletir sobre sua vida, pois não é todo renal crônico que tem a mesma sorte de receber um órgão compatível,pois nem sempre é fácil encontrar, e por esse gesto de amor do seu pai em doar, acho válido repensar pra que continue levando uma vida normal.Tem tanta coisa boa pra beber, tem água, sucos, frutas,vitaminas, até um sorvete faz bem...e creia, não irá se arrepender, viverá com mais qualidade de vida e longe de todos os malefícios que o álcool possa causar ao seu novo rim..Que Deus abençoe sua vida...

      Excluir
    2. Oie,Leila! Obrigada pela visita e pelo relato que tenho certeza que muitos irão refletir... fique sempre a vontade neste blog. Concordo plenamente com você qualquer pessoa pode passa sem fazer uso de bebidas alcoólicas a escolha é de cada um eu prefiro que não façam principalmente quem foi agraciado com um presente de um órgão que tantos ficam a espera e morrem sem ter essa dádiva. Realmente é tão complicado e difícil conseguir um órgão para ser transplantado quando há doação temos que agarrar e cuidar muito bem deste presente. Eu não bebo e nem por isso eu deixo de me divertir.
      Obrigada pelo relato!
      Deus sempre convosco
      abs. fraternos,
      Carla

      Excluir
  10. Matheus, olá! Obrigada pela visita e comentário. Eu acho melhor você não fazer uso de bebidas com álcool justamente pela medicação e também pela rejeição dos seus rins. Faça uma consulta com seu médico e/ou nutricionista para que eles possam orientar melhor. Fique bem não queira fazer hemo...
    abs. fraternos,
    Carla

    ResponderExcluir

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla