domingo, 1 de junho de 2014

FISIOTERAPIA EM NEFROLOGIA.



Por Fabricio Lopes Conduta

Quando se realiza hemodiálise, surgem algumas manifestações como osteodistrofia renal,contraturas em flexão dos quirodáctilos, espondiloartropatia destrutiva, cistos ósseos, artrite induzida por cristais, pseudogota, gota, osteonecrose, bursite olecraniana, rupturas espontânea de tendões, fraqueza musculares e cãibras musulares.

A fraqueza muscular afeta predominantemente os membros inferiores. O principal déficit é em relação à vitamina D. Outros fatores estão ligados a Hiperparatireodismo, intoxicação por alumínio, neuropatia periférica, toxicidade por drogas (corticosteróides, colchicina), alterações em concentrações de cálcio, fósforo e calcificação vascular provocando isquemia .

Vários artigos tem mostrado que a inatividade física está envolvida na patogênese da fraqueza muscular;
Sendo que alguns casos exercícios progressivos de resistência tem sido favorável na miopatia.

Um estudo que corrobora é que as manifestações musculoesqueléticas em pacientes submetidos à hemodiálise são bastante comuns, especialmente naqueles em tratamento dialítico de longa duração.

Em virtude dessas alterações, o tratamento do doente renal crônico, além de aumentar a sobrevida, também se deve incluir um programa de Reabilitação Física.

Podemos citar ainda que cada vez mais, os estudos revelam a participação da Fisioterapia Intradialítica como sendo benéfico e significativo nessa reabilitação.

Um estudo vem ao encontro do mencionado anteriormente, como enfatizando os benefícios dessa intervenção em sua rotina.
Em trabalho realizado por Barcellos et al 2008, foram encontrados 13 artigos onde 8 abordavam repercussões cardiocirculatórias e 5 abordavam as repercussões respiratórias na diálise peritonial.

Este trabalho encontrou como complicação respiratória freqüente a redução da complacência pulmonar e da pressão arterial de oxigênio, aumento da resistência das vias aéreas e da pressão parcial de gás carbônico sendo que após a infusão de fluidos na DP os estudos demonstraram aumento da relação entre a pressão parcial e a fração inspirada de oxigênio, diminuição da diferença alvéolo-arterial de oxigênio e do índice de oxigenação. 

Os efeitos cardiocirculatórios encontrados foram aumento da pressão arterial média, pressão da artéria pulmonar, pressão atrial direita e esquerda, redução da pressão venosa centrar e aumento da resistência vascular sistêmica.

Existem vários benefícios em relação à hemodiálise, entre eles: capacidade funcional, redução dos fatores de risco cardiovasculares, melhora da tolerância ao exercício, melhora da tolerância a glicose e de problemas psicossociais.

Estudos tem mostrado a importância de um programa bem orientado de exercícios físicos em pacientes, tendo como benefícios controle de fatores de risco cardiovasculares e diminuição de 54% do uso de medicamentos hipertensivos .Outro estudo verificou que a força muscular melhora juntamente com a capacidade aeróbica após 12 semanas de treinamento.

Desde modo se evidencia que a Fisioterapia tem um papel importante na hemodiálise.


obs. conteúdo meramente  informativo procure seu médico
abs,
Carla
extraído: https://www.facebook.com/GrupoFisio
https://www.facebook.com/GrupoFisio?hc_location=timeline

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla