Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Diabetes Tipo 2 em Crianças e a Sobrecarga das Células

Diabetes Tipo 2 em Crianças e a Sobrecarga das Células

27/6/2014 - Revista Crescer


No Brasil, quando uma criança é diagnosticada com diabetes, geralmente é do tipo 1, ou seja, autoimune. Acontece quando o organismo produz anticorpos que, em vez de proteger o corpo, atacam as células do pâncreas responsáveis pela produção da INSULINA, hormônio que coloca a glicose (açúcar) dentro das células para que sirva como fonte de energia. Embora não exista cura, há formas de controle.
O problema é que paralelamente ao aumento da obesidade, as crianças começaram a ser  diagnosticadas com uma espécie de DIABETES que só aparecia em adultos: o tipo 2, em que o excesso de peso e de gordura no corpo cria uma resistência à insulina e prejudica sua ação no organismo. Há 20 anos, esse tipo de doença em crianças era raríssimo. Hoje, dados da American Diabetes Association mostram que a cada 100 casos de diabetes em crianças e adolescentes norte-americanos, 30 já são do tipo 2.
A professora Angela Maria Spinola, chefe do setor de endocrinologia pediátrica da Unifesp, explica que, no Brasil, ainda há poucos casos que evoluem para esse distúrbio, mas os quadros de resistência à insulina são frequentes. Ou seja: o hormônio não dá conta de cumprir sua função de promover o aproveitamento da glicose – e isso acontece, principalmente, devido ao exagero na ingestão de doces e carboidratos. Consequentemente, o pâncreas passa a trabalhar redobrado para produzir insulina em maior quantidade. Como tempo, ele não dá conta da sobrecarga e as taxas de açúcar começam a subir, a caminho do DIABETES.
Antes que isso aconteça, a saída é adotar, novamente, hábitos saudáveis, como atividade física regular e uma DIETA inteligente. Isso significa, claro, diminuir as guloseimas açucaradas e gordurosas e procurar, sempre que possível, substituir os carboidratos simples, como o pão branco, pelos integrais, que são absorvidos mais lentamente pelo organismo, promovendo saciedade e mantendo as taxas de insulina mais estáveis.
Exercício físico, sim!
Há quem diga que o maior culpado do aumento da OBESIDADE infantil é o sedentarismo. O Brasil é hoje o país com maior índice de inatividade física da América Latina. “A cada cinco crianças, quatro são sedentárias. O nosso corpo foi feito para funcionar bem com movimento e isso vem da evolução das espécies, na qual sobrevivia aquele que se movimentava e corria mais para não se tornar presa. Hoje em dia, estamos perdendo essa característica e quem sofre é o organismo”, lamenta o professor de educação física e nutrição Marcio Atalla, de São Paulo.
Os benefícios da atividade física são incontáveis: ela melhora a capacidade cardiorrespiratória, derruba a taxa de LDL ao mesmo tempo em que aumenta a de HDL, eleva a sensibilidade à INSULINA e, claro, queima calorias, afastando a ameaça da obesidade.
A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que crianças devem praticar atividade física pelo menos cinco vezes por semana, variando entre brincadeiras que exigem movimento, como pega-pega, até a prática de esportes, como natação. “O que a gente aconselha é que a criança tenha gosto pelo exercício. Por isso, pai e filho precisam chegar a um consenso sobre a melhor modalidade. Também não adianta só mandar a criança se exercitar, os pais precisam dar o exemplo, sempre”, explica Atalla. Comece levando seu filho para brincar no parque no próximo fim de semana. A saúde dele e a sua agradecem!

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla
extraído:http://www.diabetenet.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=8546

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla