Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Carta Internacional de Direitos e Responsabilidades das Pessoas com Diabetes - IDF


As pessoas com diabetes em todo o mundo enfrentam um inimigo comum: a discriminação. Para muitos homens, mulheres e crianças, o diagnóstico de diabetes marca o fim da normalidade e o início da exclusão social. Temos que mudar isso.

Milhões de pessoas que vivem com a doença têm mostrado uma enorme força e resiliência em enfrentar à discriminação, ao mesmo tempo, enfrentar os desafios físicos e emocionais complexos colocados por esta doença. A International Diabetes Federation (IDF) publicou um documento marco em 2011 - a Carta Internacional de Direitos e Responsabilidades das Pessoas com Diabetes - que identificou três direitos fundamentais:


  • O direito a assistência .
  • O direito à informação e educação sobre a diabetes.
  • O direito à justiça social .

O direito à assistência 

Pessoas com diabetes têm o direito de: 
• Diagnóstico precoce e acesso a preços acessíveis e equitativo aos cuidados e tratamento, independentemente de raça, etnia, gênero e idade, incluindo o acesso à atenção psicossocial e apoio. 
• Receber regularmente, o conselho de confiança, educação e tratamento de acordo com a prática baseada na evidência que gira em torno de suas necessidades, independentemente do ambiente em que eles recebem esse cuidado.
• Benefício do setor de saúde pró-ativa de sensibilização da comunidade, campanhas de educação e prevenção em todos os ambientes de cuidados de saúde.
• Acesso a serviços de alta qualidade e cuidados durante e após a gravidez e o parto. 
• Acesso a serviços de alta qualidade e cuidado durante a infância e adolescência, reconhecendo as necessidades especiais das pessoas. 
• Cuidados de transição adequado, abordando a progressão da doença e as mudanças que ocorrem com a idade. 
• Continuidade de cuidados adequados em situações de catástrofe e de emergência. 
• Ser tratado com dignidade e respeito - incluindo o respeito pela pessoa, crenças religiosas ou culturais e percepções dos pais - de cuidados de saúde prestadores de serviços, e sinta-se livre para fazer denúncias sobre quaisquer aspectos no tratamento de diabetes sem prejuízo ao seu cuidado e tratamento.
• Informações relativas ao diabetes deve ser mantida em sigilo e não divulgados a terceiros sem o seu consentimento e a escolha se quer ou não participar em programas de investigação, sem prejuízo 
aos cuidados e tratamento. 
• advogado, individual e coletivamente, auxilio na decisão de melhorias no tratamento do diabetes.

O Direito à Informação e Educação 

Pessoas com diabetes e os pais ou cuidadores de pessoas com diabetes 
têm o direito de: 
• Informação e educação sobre a diabetes, incluindo como ele pode ser prevenido, como a detecção precoce de indivíduos de alto risco, é uma vantagem, como a doença pode ser gerida de forma eficaz e como acessar educação e recursos clínicos. 
• Alta qualidade de educação em diabetes auto-gestão no momento do diagnóstico e sempre que necessário, que integra a clínica, comportamental e aspectos psicossociais do diabetes em grupo ou individualmente. 
• Estar envolvidos na avaliação, planejamento e implementação bem como acompanhamento dos seus cuidados de saúde e metas. 
• Informações confiáveis ​​sobre os nomes e dosagens de quaisquer terapias e medicamentos, suas ações e possíveis efeitos colaterais e interações com outras condições e terapias médicas, específico para o indivíduo. 
• Acesso individual aos seus registos médicos e outras informações relevantes se solicitado.

O Direito à Justiça Social 

Pessoas com diabetes têm o direito de: 
• Ser um membro totalmente engajados da sociedade, tratado com respeito e dignidade por todos, sem sentir a necessidade de esconder o fato de que eles têm diabetes. 
• Medicamentos a preços acessíveis e tecnologias de monitoramento. 
• Ser tratados de forma justa no emprego e na progressão na carreira, e reconhecendo que há certas profissões onde identificado riscos pode limitar o emprego de pessoas com diabetes. 
• Ser tratado com respeito e dignidade por todos os setores da sociedade. 
• Ser totalmente suportada em atividades de pré-escola, escolas, durante atividades extra-curricular  e sociais, bem como em locais de trabalho e dispor de tempo para ir a consultas médicas, bem como o tempo e privacidade para autoteste e administrar um ambiente limpo e seguro seus medicamentos. 
• Criar ou participar de uma organização representante dos portadores de diabetes e procurar 
o apoio para a organização de saúde e entidades relacionadas com a saúde e da sociedade civil.

Responsabilidades 

Pessoas com diabetes têm a responsabilidade de: 
• Compartilhar informações com seus médicos sobre seu estado atual de saúde, todos os tipos de medicamentos que estão usando, alergias, ambiente social, comportamento estilo de vida e qualquer outra informação que possa ser relevante em um provedor de saúde determinar o tratamento e aconselhamento mais adequado. 
• Administrar seu plano de cuidados e tratamento acordado. 
• Adotar, implementar e monitorar comportamentos de vida saudáveis​​, como parte de sua auto-gestão da diabetes. 
• Compartilhar com seus provedores de cuidados de saúde todos os problemas que vivenciam com o seu plano de tratamento recomendado, inclusive quaisquer barreiras para uma implementação bem sucedida. 
• Informar a família, a escola, o trabalho e os colegas sociais que têm diabetes para que eles possam dar suporte para as pessoas com diabetes, se e quando necessário. 
• Mostrar consideração e respeito pelos direitos das outras pessoas com diabetes e a equipe de saúde que lhe atende.

Fonte:
http://www.idf.org/sites/default/files/pictures/Charter-of-Rights-EN.pdf
http://www.idf.org/diabetes-storybook/

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs, 
Carla
extraído:https://www.facebook.com/eumeufilhoeodiabetes?ref=stream&fref=nf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla