terça-feira, 8 de agosto de 2017

Violência Moral e Delapidação de Patrimônio


Infelizmente, temos que abordar um assunto triste e revoltante: a violência moral contra o idoso. Violência traduzida em forma de chantagem emocional e/ou delapidação do patrimônio.
E sempre foi assim. Os aproveitadores sabem que o idoso é mais vulnerável e às vezes frágil, não conhece direito a tecnologia, a visão está fraca para ler documentos e quase sempre confia na boa fé  dos outros.

Há um estudo da Serasa em que foi mostrado que pessoas com mais de 60 (sessenta) anos são as mais visadas pelos golpistas. Golpistas que ficam de olho no dinheiro da aposentadoria e poupança guardados durante uma vida toda. Às vezes, são pessoas da própria família que cometem violência moral com o intúito de usufruir do patrimônio do idoso.


Se, a pessoa estiver em fase inicial de demência, pode tomar decisões desastrosas. Trata-se do “custo oculto” de enfermidades como Alzheimer



O que fazer para evitar fraude ou se desconfiar que uma está em andamento?  Vale para si ou para terceiro. Vejamos:

  1. Num recebimento de ofertas, peça que a mesma seja enviada por escrito para ser analisada com calma, sem precipitações. Se houver má intenção, o outro desiste rapidinho. 
  2. Instale antivírus no computador e proteja sua caixa de mensagens com antispam. Delete os e-mails desconhecidos.
  3. Anote senhas em lugar de sua confiança e, de preferência, que mais ninguém tenha acesso. 
  4. Confira, sempre, seu saldo bancário e extratos de rendimentos. Nunca, jamais, em hipótese alguma dê informações pessoais ou financeiras por telefone, a não ser que você mesmo tenha procurado o serviço. 
  5. Prestar atenção no comportamento de um ente querido quando: 
    • Começa a apresentar comportamento confuso e demonstrar estar com medo. 
    • Houver saque atípico na conta corrente e/ou uso de cartão de crédito por terceiro. 
    • Mesmo tendo renda suficiente, as contas do dia a dia param de ser pagas.
    • acesso ao idoso é dificultado por seu cuidador.
Idealmente, quando percebemos situação de abuso para com algum idoso, o ideal é fazer uma denúncia à Promotoria do Idoso ou à Delegacia do Idoso de sua cidade. Informações pessoais do idoso como nome completo e endereço são importantes. A denúncia deve ser feita por escrito e protocolada pelo Ministério Público. Desta maneira, é possível cobrar as ações do MP. Em casos mais graves, é necessário contratar um advogado para processar judicialmente o usurpador.
Temos recebido diversas mensagens de pessoas que dizem ter feito a denúncia, mas nada foi feito por parte do Ministério Público. Nesta situação, é importante entender se a denúncia realmente chegou ao Promotor de Justiça e sua equipe. Tendo uma denúncia protocolada, é possível cobrar o “andamento” da denúncia e prazos.
Em qualquer situação de abuso, não tenha medo de falar com alguém de sua confiança. Você não está sozinho (a).
Se for o caso, procure o Banco ou Operadora de Cartão de Crédito ou PROCON de sua cidade.
Consulte, sempre, um advogado.

Conte, sempre, com os respaldos da Defensoria Pública e Ministério Público.
obs. conteúdo meramente informativo 
abs.
Carla
http://idosos.com.br/violencia-moral/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla