Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




sábado, 10 de junho de 2017

LIDANDO COM O LUTO

Quando uma pessoa com Demência morre, os seus familiares e cuidadores tem frequentemente, uma variedade de sentimentos. Pode entristecer-se pela perda dessa pessoa e do relacionamento que teve com ela. O sentimento de perda pode existir mesmo quando não deseja que a pessoa continue a viver, sofrendo, devido à Demência.


Para algumas pessoas, o fato de terem sofrido muito durante o curso da doença faz com que não tenham sentimentos especiais quando a pessoa com Demência morre. No entanto, estes sentimentos podem vir à superfície num momento posterior e, às vezes, de maneira inesperada.


Cada pessoa reage de forma diferente


As pessoas têm reações diferentes às experiências emocionais. Exemplos de reações à morte de uma pessoa com Demência são:

• Tristeza pelo que poderia ter sido ou pelo que foi perdido;

• Choque e sofrimento;

• Descrença e incapacidade de aceitar a situação;

• Culpa por algo do passado;

• Alívio para a pessoa com demência e para si próprio;

• Zanga e ressentimento sobre o que aconteceu;

• Falta de propósito de vida, agora que o papel de cuidador terminou.

Vai variar de pessoa para pessoa tem um ou todos os sentimentos, bem como a duração destes. O mesmo acontecimento, por exemplo o falecimento de um cônjuge, produz respostas diferentes, em pessoas diferentes. Não existem regras nos sofrimentos, todos reagimos à perda da nossa própria maneira. Seja qual for a sua reação à morte, irá lidar com ela à sua maneira e a seu tempo.


Ajuda profissional

Se pretender falar sobre os seus sentimentos ou precisar de ajuda para lidar com o seu sofrimento, poderá ser útil falar com um profissional.


Após a morte

No período imediato à morte da pessoa, poderá sentir-se em choque e vulnerável.
• Tente evitar tomar decisões importantes;

• Aceite que, muito embora esteja a lidar com a situação, existirão alturas em que irá sentir-se triste ou perturbado;

• Pode ser difícil lidar com eventos tais como aniversários ou outras datas importantes;

• Converse com seu médico. Estará mais propenso a ficar fisicamente doente ou deprimido após o falecimento da pessoa

Lembre-se:

Necessitarás de tempo para adaptar-se à perda.
Continuar com a vida para a frente
Continuar com a vida para a frente nem sempre é fácil. No entanto, irá chegar a altura em que se sentirá pronto para reestabelecer a sua própria vida e seguir em frente. As seguintes sugestões podem ajudá-lo nesta situação:

• Não tenha pressa
O período de tempo necessário para adaptar-se às mudanças na vida varia de indivíduo para indivíduo. Seja paciente e não tente acelerar o processo;

• Aceite ajuda
Deixar que os outros o ajudem pode dar-lhe um apoio extra e uma oportunidade de conversar e expressar os seus sentimentos e reflexões. Ao longo do tempo isto irá ajudá-lo a compreender e a adaptar-se à sua perda;

• Partilhe a sua experiência
Os amigos e familiares também beneficiam da oportunidade de partilharem os seus sentimentos;

• Escreva num diário
Escrever os seus pensamentos e sentimentos num diário pode ajudá-lo a lidar com a sua dor e a aceitar a perda;

• Recordar a pessoa
Muitas pessoas gostam de falar sobre a pessoa que perderam, especialmente das épocas em que a Demência ainda não a tinha afetado. Recordar os momentos felizes pode ajudar. Comemore a pessoa com a família e amigos. Muitas pessoas acham útil fazê-lo em aniversários ou noutras datas importantes;

• Restabeleça a sua rede de contatos sociais
Volte a contatar velhos amigos ou comece a procurar novos amigos;

• Não desista

Ao princípio pode não se sentir confiante, pode julgar difícil tomar decisões, conversar sobre coisas comuns ou lidar com os encontros sociais. Mas não desista, pois gradualmente a sua confiança irá voltar.

Alzheimer Austrália


Triste
Mostrar mais reações

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla