Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




sábado, 5 de julho de 2014

Mulher derruba na Justiça Portaria que limita Cadastro de Doação de Medula

16/06/2014
Depois de travar uma batalha contra a leucemia e de ter recebido a medula doada por sua mãe, a advogada Caroline Parzewski, de 36 anos, tem mais uma conquista para comemorar. Ela conseguiu, em 1ª instância na Justiça Federal, a revogação da Portaria nº 844 do Ministério da Saúde, publicada em 2012, que estabelece limite para inclusão de cadastros pelo Hemonúcleo na Rede Nacional de Doadores de Medula (Redome).
A ação é válida para a região de Ribeirão Preto (SP) e determina que o Hemocentro de Franca(SP), cidade onde Caroline reside, realize a captação de todos os voluntários que comparecerem à instituição com o intuito de fazer o teste de compatibilidade.
Em vigor desde maio de 2012, a Portaria nº 844 estabeleceu limite para inclusão de novos voluntários no Redome. Por ano, 267.180 pessoas podem entrar no cadastro em todo o país. No Estado de São Paulo, a cota anual é de 72 mil inscrições. A região de Ribeirão Preto pode acrescentar anualmente 18 mil cadastros, sendo 2,4 mil provenientes de Franca (SP).
Segundo a advogada de Caroline, Gisele Silva Oliveira, a família só soube da limitação de cadastros quando voluntários não conseguiram realizar a coleta de material no Hemonúcleo. “Fizemos uma campanha muito forte para conseguir pessoas para fazerem o teste de compatibilidade. Teve um dia em que mais de 800 pessoas foram fazer o exame. O problema é que o Hemocentro de Franca não suporta uma quantidade grande de doadores voluntários, podem ser apenas uns 200 por mês”, afirma.
Para ela, a portaria coloca em risco a saúde das pessoas e vai contra o artigo 196 da Constituição Federal que estabelece que a saúde é um direto de todos. “Entramos com a ação na Justiça Federal obrigando o hemocentro a atender todo mundo. Em dezembro, conseguimos uma liminar para que os voluntários conseguissem fazer o teste. Depois disso, o município e o Estado foram intimados e depois a Justiça entendeu o nosso lado e derrubou essa portaria para a região de Ribeirão Preto.”
Estímulo
Para Gisele, a determinação é um estímulo para que cada vez mais pessoas possam fazer o teste de compatibilidade. “Os voluntários não vão mais ser barrados na hora de fazerem o teste. Pessoas morrem na fila à espera de um doador. Espero que mais pessoas sejam ajudadas”, afirma a advogada.
A mãe de Caroline, Rita Parzewski, disse que a filha está muito feliz com a decisão da Justiça, o que, para ela, é uma vitória. “Espero que isso represente uma conscientização da população em geral, porque só quem passa por um problema desses sabe o quanto é difícil, é difícil não ter doador. Se o povo percebesse como é importante a nossa união para conseguimos o que queremos, conseguíramos mudar muitas coisas e ajudar mais pessoas.”
Segundo Rita, Caroline teve alta do hospital na quarta-feira (11), e ficará em isolamento durante 100 dias em casa. “Ela está melhorando mais a cada dia”, diz a mãe.
Ministério da Saúde
Em nota, a assessoria de imprensa informou que o Ministério da Saúde ainda não foi notificado sobre a decisão. Segundo o Ministério, o Brasil é referência mundial no campo dos transplantes, sendo que 95% dos procedimentos de transplantes no país são realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS).
Fonte: G1
obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla
extraído:http://www.abrale.org.br/noticia/mulher-derruba-na-justica-portaria-que-limita-cadastro-de-doacao-de-medula

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla