Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




quinta-feira, 27 de agosto de 2015

DICAS PARA CUIDADORES: SÍNDROME DO POR DO SOL.


DICAS PARA CUIDADORES: SÍNDROME DO POR DO SOL.
 
Muitas pessoas com Alzheimer apresentam a chamada síndrome do por do sol, caracterizada por agitação, agressividade, alucinações e perambulação pela casa, sempre à tardinha.
Voltamos ao tema,  para listar dicas que podem ajudar os cuidadores a lidarem com esses momentos especialmente complicados. O fim do dia é o momento em que os cuidadores já estão  com sua paciência no limite e que os levam a agir de forma muitas vezes agressiva e do qual certamente irão se arrepender mais tarde.
Pois bem, aqui estão alguns procedimentos que podem ser tentados para diminuir a ansiedade sua e a do paciente, neste período do dia. Estas dicas podem nem sempre funcionar, mas vale a pena tentar:
  1. Acenda as luzes da casa simulando ao máximo a luz natural do dia.
  2. Escolha uma parte da casa, um lugar quieto, calmo, onde haja luz e coloque uma música relaxante; também vale tentar uma atividade repetitiva e leve como dobrar a roupa recém lavada ou enrolar um novelo de lã ou ainda, alguma atividade que mude o foco do paciente para algo agradável.
  3. Se você notar que o paciente, sua pessoa amada, está dizendo coisas que indicam estar “vivendo” algum evento passado, como estar esperando alguém para ir para casa após a escola, ou estar esperando o pai chegar do trabalho, tente envolvê-lo em alguma atividade que simule, que tem a ver com, aquelas situações. Por exemplo, peça para ajudar no preparo do jantar ou arrumar e deixar o jornal pronto para o “pai ler quando chegar em casa” ou arrumar a mesa para o jantar. Se o paciente é sua mãe, procure lembrar-se da rotina que ela tinha nesta hora do dia e tente reconstituir esses  momentos.
  4. Estimule o paciente a fazer exercícios durante o dia em ritmo que não o deixe exausto.
  5. Permita fazer sestas de no máximo 20 minutos durante o dia. Cuidado para não deixá-lo horas dormindo.
  6. Se nestas horas o paciente gosta de caminhar, permita que o faça cuidando para que não haja nenhum risco para ele. Procure deixar o caminho livre de objetos que dificultem seu andar e acompanhe-o para que saiba que você está por perto.
  7. Se ele (ou ela) está “esperando o pai chegar do trabalho” redirecione sua atenção para atividades de preparação para a chegada do pai, e depois de algum tempo, diga-lhe que “papai ligou avisando que chegará mais tarde e que ele pediu para a gente jantar sem ele”.
  8. Depois do jantar, peça-lhe para ajudar a secar a louça, cuidando para lhe entregar objetos inquebráveis, de plástico, se for o caso.
  9. Depois do jantar, ouça música de que ele gosta ou sente-se a seu lado, para olhar um livro, uma revista ou um álbum de fotos da família, ou ainda, coloque na TV um filme do agrado dele. Qualquer coisa que evoque momentos ou sensações positivas. Telefonar para pessoas amigas ou parentes e conversar com estas pessoas também pode funcionar.
Você pode repetir procedimentos similares todos os dias ou sempre que a síndrome vier a ocorrer. O importante é, naquele momento, criar situações que tirem o foco das sensações negativas de ansiedade.
 
 
obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla