sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Estudo mostra ligação direta entre obesidade e câncer pancreático

Estudo mostra ligação direta entre obesidade e câncer pancreático

Pesquisadores do Jonsson Comprehensive Cancer Center da UCLA (CMCA) descobriram a primeira ligação direta entre obesidade e câncer do pâncreas.

O estudo mostrou que ratos comendo uma dieta de alto teor de gordura, alto teor calórico desenvolveram mais lesões pancreáticas neoplasias intraepiteliais do que ratos que comem uma dieta saudável.

O câncer de pâncreas é uma das formas mais mortais em seres humanos. Como outros tipos de câncer, o diagnóstico precoce aumenta as taxas de sobrevivência a longo prazo, mas a forma particularmente mais agressiva normalmente não apresenta quaisquer sinais de alerta.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, adenocarcinoma ductal pancreático, o tipo mais comum de tumor maligno no pâncreas, está em quarto lugar entre os cânceres que mais matam nos EUA .

O estudo afirma que as taxas de sobrevida global em cinco anos são de apenas 3 a 5%, com uma taxa de sobrevida média, após o diagnóstico, de apenas quatro a seis meses.

Opções atuais de tratamento são limitadas em número e eficácia, por isso a investigação está se concentrando em estratégias de prevenção, antes que a doença atinja um estágio avançado.

Os cientistas sabem que as lesões chamadas pancreáticas neoplasias intraepiteliais (PanINs) são precursores de câncer do pâncreas e pode ser tratada como marcadores , mesmo numa fase precancerosa . Infelizmente, estes são microscópicas e apenas detectável por biópsia.

PESQUISA
Este é o primeiro estudo, em animais, a mostrar uma ligação causal direta entre obesidade e risco de desenvolvimento desse tipo de câncer mortal.

A obesidade, nesses camundongos, se assemelha a várias características clínicas importantes da obesidade humana, como ganho de peso e distúrbios do metabolismo. Portanto, este modelo de rato era o ideal para desvendar os mecanismos biológicos subjacentes de câncer de pâncreas, que podem ser resultantes da obesidade.

O estudo se propôs a desenvolver obesidade induzida por dieta e o desenvolvimento de câncer de pâncreas em um grupo de ratos e, em seguida, compará-los com um grupo controle de ratos, geneticamente idênticos, em que não foi dada uma dieta de alto teor calórico e alto teor de gordura .

GANHO DE PESO E LESÕES
Os ratos que comeram a dieta normal ganharam uma média de aproximadamente 7,2 g em 14 meses. Ratos na dieta de alto teor de gordura e alto teor calórico mais do que duplicoram este ganho de peso médio, que foi de 15,9 g.

Exames patológicos mostraram que os ratos alimentados com a dieta de elevado teor de gordura e elevado teor calórico tinham significativamente mais NIPan e pâncreas menos saudável do que os alimentados com dieta normal.

Estes ratos submetidos à dieta hipercalórica ganharam significativamente mais peso, tiveram alterações do seu metabolismo e aumento dos níveis de insulina, e apresentaram inflamação do tecido pancreático e desenvolvimento de NIPan.

Estas observações sugerem que uma tal dieta leva ao ganho de peso, alterações no metabolismo , inflamação do pâncreas e lesões do pâncreas, que são precursores de câncer.

Mais notícias em: www.abeso.org.br
 
obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla