Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Como lidar com o idoso portador de Alzheimer? Psicóloga dá dicas - Fases do Alzheimer


O Blog Reccomecar está participante do Prêmio Top Blog 2013 e esta semana foi eleito entre os 100 Top blogs categoria saúde.

Até o dia 10 de março(10/03/2014), é o período de votação para escolher os 03finalistas!!!
Conto com seu voto!!!








Escrito por Luciene Corrêa Miranda
Qua, 11 de Janeiro de 2012 13:58

A doença costuma ser dividida em três fases: inicial, intermediária e avançada. Normalmente, quem percebe os sintomas iniciais da doença, que a princípio são discretos, são membros da família e pessoas que convivem diariamente com o paciente. Com o passar das fases, os sintomas vão se tornando nítidos e muitas pessoas ainda reagem com medo, estranheza ou deboche frente aos sintomas.
A fase inicial caracteriza-se por distração, pequenos lapsos de memória, dificuldade para lembrar nomes, palavras e aprender coisas novas, desorientação, alterações de humor (apatia, irritabilidade, dentre outras mudanças). Caso percebam algumas dessas alterações em um idoso conhecido, procure orientação médica (geriatra ou neurologista) o mais rápido possível.
Já a fase intermediária é caracterizada por perda aparente da memória e das funções cognitivas, diminuição da verbalização, alterações de comportamento bruscas e marcantes, alucinações, incapacidade de convívio social, risco de perder-se devido à crescente desorientação, não havendo condições de viver de forma independente. Nesta fase o cuidador deve ficar atento para que o paciente não fuja; é muito comum o portador da doença falar que "quer ir embora" de sua própria casa, pois ele apresenta um quadro de desorientação tão intenso que ele não se lembra de sua própria casa. O paciente não tem mais condições de tomar decisões importantes, principalmente do ponto de vista jurídico. O cuidador precisa também se proteger, pois alguns pacientes podem partir para a agressão física contra as pessoas mais próximas. Importante destacar que esta é uma reação característica da doença, não uma questão pessoal do idoso contra o cuidador.
Na última fase, os sintomas agravam-se consideravelmente e o portador da doença torna-se totalmente dependente do cuidador, até nas atividades mais simples para a sua sobrevivência, como alimentar-se e cuidar de sua higiene pessoal. A fala torna-se monossilábica e tende a desaparecer por completo. O paciente precisa usar fraldas geriátricas, pois perde o controle da bexiga e do intestino. Na maioria dos casos, perde a capacidade de deambulação e fica a maior parte do tempo acamado. Pode começar a apresentar dificuldades para engolir e precisa ser alimentado através de sondas. Com o agravamento do estado geral, o paciente caminha para o óbito.

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico,
abs,
Carla
extraído:http://idmed.terra.com.br/saude-de-a-z/saude-do-idoso/como-lidar-com-o-idoso-portador-de-alzheimer-psicologa-da-dicas/fases-do-alzheimer.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla