quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Neuropatia Periférica Induzida pela Quimioterapia

O tratamento do câncer tem por finalidade a cura ou alívio dos sintomas da doença. Os tratamentos com medicamentos (quimioterapia, terapia alvo, hormonioterapia), cirúrgicos e radioterápicos podem provocar efeitos colaterais que variam de paciente para paciente dependendo de múltiplos fatores, podendo ser diferentes quanto a intensidade e duração. Alguns pacientes poderão apresentar efeitos colaterais mais severos, outros mais leves ou mesmo não apresentar qualquer efeito colateral. Em caso de você apresentar algum efeito colateral devido ao tratamento que está realizando procure imediatamente seu médico para receber as orientações necessárias para seu caso.

A neuropatia periférica induzida pela quimioterapia começa geralmente nas mãos e nos pés, e sobe gradualmente pelos braços e pernas. Às vezes pode-se sentir formigamento ou dormência, outras vezes, é como uma pontada ou uma ardência ou ainda aumento da sensibilidade à temperatura. Pode apresentar-se uma dor intensa que pode tornar difícil executar tarefas rotineiras, como abotoar a camisa, contar moedas ou caminhar. Cerca de 30 a 40% dos pacientes com câncer submetidos à quimioterapia experimenta algum desses sintomas.

A neuropatia periférica induzida pela quimioterapia (NPIQ) é um dos motivos mais comuns para o abandono do tratamento pelos pacientes com câncer. Para algumas pessoas, os sintomas podem ser atenuados ao diminuir a dose de quimioterapia ou suspender temporariamente a mesma reduzindo assim a dor. Mas para outros pacientes, os sintomas permanecem por meses, anos ou mesmo indefinidamente após a quimioterapia.

A neuropatia periférica pode ser um efeito colateral extremamente debilitante, e não tem como se prever quem vai sofrer, e em que grau.

Os sintomas da NPIQ são geralmente tratados de forma similar a outros tipos de nevralgia, ou seja, uma combinação de fisioterapia, terapias complementares, como massagem e acupuntura, e medicamentos que podem incluir esteróides, antidepressivos, antiepiléticos e opióides para controlar a dor severa. Entretanto nenhum dos tratamentos citados mostrou ser verdadeiramente eficaz no tratamento da neuropatia induzida pela quimioterapia e praticamente todos os medicamentos provocam os seus próprios efeitos colaterais.

Medicamentos quimioterápicos associados a NPIQ:


•  Compostos de platina (cisplatina, carboplatina, oxaliplatina).
•  Vincristina.
•  Taxanos (docetaxel, paclitaxel).
•  Epotilonas.
•  Bortezomib.
•  Talidomida.
•  Lenalidomida.


O que causa a dor?

O que realmente causa a neuropatia a nível celular e tecidual é ainda em grande parte uma questão de especulação. Há evidências de que os nervos podem ficar sensibilizados devido a alterações na concentração de sal no líquido que os rodeia, ou porque os canais que utilizam esses sais para ativar os impulsos nervosos perder sua funcionalidade. Estas e outras alterações podem danificar a estrutura dos nervos.


Devido a que a etiologia subjacente pode variar de agente para agente quimioterápico e de um paciente para outro, é necessário realizar mais pesquisas para tentar definir as causas da NPIQ e identificar formas de prevenir ou aliviar o sintoma.

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico

p.s: Por causa da medicação Vincristina estou com Neuropatia Periférica nos membros inferiores e superiores. Perdi a garra e a sensibilidade das mãos fiz um exame de nome eletroneumiografia isto que é dor o exame você leva choque nos membros com agulha é bastante dolorido meu Deus como doeu.
abs,
Carla
extraído:http://www.oncoguia.org.br/conteudo/neuropatia-periferica-induzida-pela-quimioterapia/185/109/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla