sábado, 11 de junho de 2016

MEDICAMENTOS E CALOR

Medicamentos e calor



OS MEDICAMENTOS PODEM DETERIORAR-SE OU DIMINUIR A SUA CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO AO CALOR. SAIBA O QUE FAZER.


A exposição de um ser humano a uma temperatura exterior elevada é susceptível de originar complicações devido a uma resposta insuficiente ou inadequada dos mecanismos de regulação de temperatura. No período de férias que se aproxima existem cuidados a ter na interacção entre os medicamentos e o calor.

Em certos casos, as pessoas em tratamento com medicamentos poderão ter comprometida a eficácia dessa regulação, diminuindo a capacidade de adaptação ao calor.

Por outro lado, a exposição dos medicamentos a temperaturas elevadas, por períodos de tempo prolongados, pode alterar as suas propriedades, pelo que alguns medicamentos requerem precauções de conservação.


Os medicamentos podem interferir na reacção do organismo ao calor?

Alguns medicamentos aumentam a eliminação de água (por exemplo, os diuréticos), podendo aumentar a desidratação normal, decorrente do aumento da temperatura ambiente. Outros medicamentos impedem o normal funcionamento dos mecanismos de refrigeração do organismo.

Para que o organismo arrefeça, é necessário que o sistema nervoso central possa comandar a dilatação dos vasos sanguíneos superficiais, a fim de permitir uma melhor circulação do sangue, libertação de calor e transpiração.

Medicamentos que diminuam a tensão arterial ou alterem o estado de vigilância, podem também agravar os efeitos do calor.


O que evitar em caso de ocorrência de uma onda de calor?
  • Nunca interromper o tratamento sem indicação médica. Tal pode acarretar complicações ligadas à interrupção do tratamento.
  • Não consumir bebidas alcoólicas, pois estas agravam a desidratação.
  • Não tomar qualquer medicamento, sem a orientação de um médico ou farmacêutico, mesmo aqueles que não são sujeitos a receita médica.


O que fazer em caso de ocorrência de uma onda de calor?
  • Ter particular atenção a idosos, crianças ou doentes que estejam a tomar qualquer medicamento.
  • Ler atentamente o folheto informativo dos medicamentos que toma.
  • Respeitar a posologia e os horários das tomas dos medicamentos, tal como indicados pelo médico e farmacêutico.


Recomendações do Infarmed para a conservação dos medicamentos

Quando a embalagem do medicamento refere:
  • “Conservar à temperatura ambiente” - estes medicamentos são afectados se forem expostos a temperaturas elevadas. Devem ser garantidas as condições de conservação habituais dos medicamentos (armário de farmácia, gaveta, etc.).
  • "Conservar a temperaturas inferiores a 25/30ºC” – estes medicamentos podem ser conservados também nos locais habituais. 
  • “Conservar entre 2 a 8ºC” – estes medicamentos são geralmente guardados no frigorífico, devendo ser retirados do frigorífico estritamente para serem utilizados.

Algumas formas farmacêuticas (supositórios, cremes, etc.) são mais susceptíveis de sofrer alterações devidas à temperatura, facto que é detectável se os medicamentos apresentarem alterações na sua aparência ou consistência, que indiciam a alteração da sua qualidade. Nestes casos, antes de utilizar o medicamento, questione o seu farmacêutico.


Transporte de medicamentos em dias de muito calor
  • Os medicamentos que devem ser conservados entre 2 a 8ºC, devem ser transportados em condições que respeitem a cadeia do frio (embalagem isotérmica refrigerada), mas sem provocar a congelação do produto.
  • Os medicamentos que devem ser conservados a uma temperatura inferior a 25 ou a 30º C ou à temperatura ambiente não devem ser expostos durante demasiado tempo a temperaturas elevadas, tais como as que são frequentemente encontradas nos porta-bagagens ou nos habitáculos de veículos expostos ao sol. É aconselhável transportá-los numa embalagem isotérmica não refrigerada.


Medicamentos que podem apresentar risco de interferência com o calor

Alguns medicamentos podem agravar os perigos decorrentes de uma exposição demasiado prolongada ao calor, como consequência do seu mecanismo de acção. Como tal, o Infarmed alerta que necessitam de vigilância acrescida:
  • Medicamentos destinados ao tratamento da doença cardíaca - diuréticos que podem aumentar a desidratação, antihipertensores que podem agravar uma hipotensão, medicamentos antiarrítmicos que podem requerer um ajuste de dosagem em caso de desidratação;
  • Neurolépticos - podem interferir com o termostato central do organismo e provocar aumento da temperatura;
  • Antiepilépticos - podem requerer um ajuste de dosagem em caso de desidratação;
  • Medicamentos para tratamento de enxaqueca - podem impedir a vasodilatação periférica ou diminuir a transpiração;
  • Alguns antibióticos e alguns anti-inflamatórios podem alterar o funcionamento normal dos rins em caso de desidratação;
  • Alguns medicamentos antidepressivos, antiparkinsónicos, destinados à incontinência urinária ou antialérgicos podem alterar a transpiração.
obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla