quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Doentes dizem que linguagem dos Médicos é muito técnica

Mês de conscientização do Câncer de Próstata e Diabetes








Um quinto dos doentes inquiridos pela Deco queixaram-se de problemas de comunicação com os médicos
O comportamento dos profissionais foi classificado como paternalista ou directivo (sem apelar à participação) por quase um terço dos inquiridos NUNO FERREIRA SANTOS

Os cidadãos queixam-se cada vez mais dos serviços de saúde públicos e privados.  Nos primeiros seis meses deste ano, a Entidade Reguladora da Saúde recebeu 161 reclamações por dia (29.014), mais 63% do que no mesmo período do ano anterior.  A principal razão de queixa em 2016 tem a ver com os chamados procedimentos administrativos (25,3% dos processos de reclamações), seguindo-se os tempos de espera (25%) e o acesso a cuidados de saúde (20,3%). Em 2015, o maior número de reclamações prendeu-se com os tempos de espera e os cuidados de saúde e segurança dos doentes, um item que este ano aparece em quinto lugar.
Em 2010, num estudo conduzido pela associação de defesa do consumidor Deco sobre o relacionamento entre profissionais de saúde e doentes, um quinto dos inquiridos queixava-se de problemas de comunicação com os médicos. Os pacientes sublinhavam que não lhes agradava a forma como os profissionais lhes falam e diziam ter a sensação de que não são ouvidos. 
Com uma amostra de 3840 portugueses entre os 18 e os 74 anos, e perguntas que incidiam sobre o seu relacionamento com os profissionais de saúde e os serviços online de apoio aos cuidados de saúde (possibilidade de contactar o médico, marcar consultas, pedir receitas nos centros de saúde pela Internet e de receber alertas por sms), o estudo permitiu perceber que os problemas de comunicação afectam a adesão aos tratamentos e a eficácia da medicação.
Acentuando que a liguagem por vezes é muito técnica, quase metade dos inquiridos consideravam não ter sido bem informados sobre as opções de tratamento e como tomar a medicação. Um terço das pessoas que responderam ao inquérito lamentavam ainda o facto de os médicos não terem pedido a sua opinião sobre alternativas de tratamento e sobre a forma como este deve prosseguir, o que leva ao abandono da terapêutica.  
O comportamento dos profissionais foi classificado como paternalista ou directivo (sem apelar à participação) por quase um terço dos inquiridos.

p.s: este blog já foi criticado por causa dos conteúdos trazendo todas as informações e sei que as vezes é extensa a matéria só que o meu propósito foi justamente este de tentar que os paciente e acompanhantes entendessem o que os médicos estavam querendo dizer por que sempre observei quando o meu pai fazia hemodiálise a dificuldade que os médicos tinham de se comunicar com os acompanhantes foi por isto que resolvi fazer este blog.
obs. 
abs
Carla
https://www.publico.pt/sociedade/noticia/doentes-dizem-que-linguagem-dos-medicos-e-muito-tecnica-1750124  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla