terça-feira, 1 de novembro de 2016

O QUE A LUTA DO DIABETES TEM A VER COM A LUTA DO CÂNCER?






Neste sábado, fui convidada para o 2º Congresso Brasileiro Todos Juntos Contra o Câncer. Pensei duas vezes se deveria ir ou não, pois a minha militância é o diabetes, mas percebi que temos muitas lutas conjuntas.

O evento tinha o objetivo de reunir lideranças de câncer para romper paradigmas e identificar oportunidades de potencializar seus esforços por meio de iniciativas colaborativas e inovadoras. Além disso, as pessoas se reuniram para debater o SUS e as políticas nacionais para prevenção e o controle do câncer.

Uma fala de Merula Steagall, presidente da Abrale (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia), me chamou muito a atenção. “Se focarmos no interesse de termos um país reconhecido pela excelência de seu sistema de saúde,... e de garantia que todo cidadão brasileiro tem acesso ao tratamento adequado com agilidade e sucesso, encontraremos 1000 outros pretextos para colaboração. Podemos chegar à universalidade, equidade e integralidade preconizadas por visionários que nos antecederam, ao idealizarem o SUS”. 

Esta fala poderia se transferida totalmente para o cenário do diabetes...

Enfim, durante o evento, me chamou a atenção a palestra sobre Subfinanciamento do SUS. O deputado federal Darcísio Perondi, do Rio Grande do Sul, comentou que o SUS está quebrado, há um clima de desconfiança no país e menos repasse de verbas do governo para o segmento da Saúde. Deixou claro que é contra a CPMF, pois no formato que foi desenvolvida não ajudará a sanar nem parte da dívida atual, além de ser contra a mais um encargo que a sociedade inteira precisará pagar. Outro dado explanado por ele é que já foram desviados dos Cofres Públicos mais de R$720 bilhões, nos últimos 10 anos, segundo dados da FIESP, mais um fator que não justifica a criação de mais um imposto.

Ainda durante esta palestra, foi mencionado pela Sandra Ortiz de Abreu, advogada da Associação dos Familiares, Amigos e Portadores de Doenças Graves, o projeto de lei do Senador Renan Calheiros sobre o fim da judicialização, o que fere o direito à saúde.

No painel Judicialização da saúde para acesso ao tratamento do câncer de mama, Tiago Farina Matos, coordenador do Núcleo de Advocacy do Instituto Oncoguia, levantou uma polêmica. “A ação judicial representa um direito desrespeitado. E é um direito de todos em buscar o tratamento adequado. Existe um desalinhamento entre as agências internacionais, que aprovam os medicamentos, como o FDA, com a CONITEC no país”. Pois o que é aprovado fora do país e recomendado pelos médicos brasileiros não está na lista de remédios disponibilizados pelo SUS. O resultado disso é que o número de ações judiciais aumenta muito, o que faz muitas pessoas a crerem que existem duas ciências, uma fora do país e outra no Brasil. 

Como conclusão deste Congresso: independentemente de câncer ou de diabetes, muito que foi discutido é que nos interessa (aos militantes do diabetes), e com base nisso, precisamos nos unir para conseguir conquistar a universalidade, a equidade e a integralidade do Sistema de Saúde Brasileiro. 

obs. conteúdo meramante informativo procure seu médico
abs
Carla
http://www.convivenciacomdiabetes.com.br/2015/09/o-que-luta-do-diabetes-tem-ver-com-luta-do-cancer.html
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla