Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




domingo, 22 de janeiro de 2017

Cancro do Pâncreas Metastático é “reprogramado” para uma malignidade ótima

Fonte de imagem: Huffingtonpost
O cancro do pâncreas metastático, que se disseminou do pâncreas para outros tecidos e é responsável pela maioria das mortes, altera o seu metabolismo e é “reprogramado” para uma malignidade ótima, sugere um estudo publicado na revista “Nature Genetics”.
 
De acordo com os investigadores da Universidade de Vanderbilt, nos EUA, é possível reverter a reprogramação maligna para tratar o cancro de pâncreas metastático. No estudo os investigadores identificaram um composto que reverte a reprogramação e impede a formação do tumor.
 
Os cientistas, liderados por Oliver McDonald, decidiram averiguar como o cancro pancreático progride do tumor primário no pâncreas para a doença metastática. A teoria prevalente é que a progressão do cancro, que é impulsionada pela acumulação de mutações genéticas que aumentam a “aptidão” tumorogénica, é válida para os primeiros estadios da progressão, mas, ao que parece, as metástases encontraram novas formas de aumentar as suas aptidões.
 
Em vez de analisarem as alterações genéticas durante a progressão do cancro, os investigadores analisaram a epigenética, ou seja, modificações do ADN cromossómico e proteínas que controlam a função genética. Foram analisadas um conjunto único de amostras do cancro primário e metastático de pacientes que tinham morrido da doença.  
 
Os investigadores ficaram surpresos por terem encontrado alterações epigenéticas maciças ao longo do genoma de metástases distantes, comparativamente com células tumorais primárias e "carcinomatose” peritoneal, uma forma localizada de metástase intra-abdominal que se acredita que não se dissemina através da corrente sanguínea.
 
O estudo apurou ainda que as metástases distantes alteravam o seu metabolismo através do consumo de quantidades excessivas de glucose e direcionavam-no através da via metabólica pentose fosfato. Verificou-se que uma enzima específica desta via, a PGD, permite a conversão da glucose em metabolitos que impulsionam diretamente o crescimento do tumor.
 
Os cientistas apuraram que o bloqueio da PGD, com um inibidor farmacológico, reverteu a reprogramação epigenética e as alterações da expressão genética maligna detetadas nas metástases distantes e também inibiu fortemente a sua capacidade de formar tumores. Não foram detetados efeitos nas células saudáveis.
 
Estes achados podem ajudar a explicar por que motivo os tumores metastáticos progridem frequentemente mais rápido que os tumores primários. O estudo sugere assim que, as células do cancro do pâncreas que se disseminam para outros órgãos que recebem um fornecimento de sangue rico em glucose e outros nutrientes, adquirem adaptações metabólicas para utilizarem estes recursos naturais para aumentar a sua aptidão tumorogénica.

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla
http://www.bancodasaude.com/noticias/cancro-do-pancreas-metastatico-e-reprogramado-para-uma-malignidade-otima/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla