Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Justiça garante isenção de ICMS para portador da doença de Parkinson

O benefício pode ser concedido no caso de compra de carro adaptado para portadores de necessidades especiais


20/01/2017 - Em decisão unânime, a 1ª Turma Recursal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) reconheceu o direito de um portador de mal de Parkinson à isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço (ICMS) na aquisição de veículo automotor compatível com suas necessidades especiais.

Em primeiro grau, a ação havia sido julgado improcedente, com base nas normas que dispõem sobre isenção do ICMS no Distrito Federal. No entendimento da juíza que analisou o caso, por não trazer explicitamente a doença no rol daquelas merecedoras da isenção pleiteada, o autor teve o pedido negado.

Ao analisar o recurso do autor, no entanto, a Turma Recursal teve entendimento diverso. Isso porque, no caso presente, o autor foi aposentado por invalidez em abril de 2015, diante da condição incapacitante imposta pela doença, disseram os julgadores da Turma. (Com informações do TJDFT) Fonte: Metropoles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla