domingo, 26 de março de 2017

Felicidade na infância pode predizer desenvolvimento de Diabetes tipo 2 na vida adulta



Felicidade na infância pode predizer desenvolvimento de diabetes tipo 2 na vida adulta
 
Crianças com pontuação mais alta em medidas de saúde psicossocial têm menor probabilidade de desenvolver diabetes tipo 2 como adultos em comparação com aquelas com escores mais baixos, segundo um estudo finlandês.
 
Os resultados deste estudo à longo prazo foram feitos por cientistas da Universidade de Helsinque, que acreditam ter grande importância no que diz respeito ao futuro da saúde das crianças.
 
“Um ambiente cedo estável e favorável dá boa resistência contra o desenvolvimento de obesidade e diabetes”, disseram os pesquisadores.
“Nossa interpretação é que isto se dá porque as crianças que crescem sob circunstâncias positivas da família têm modelos melhores do papel para estilos de vida mais saudáveis e maior apoio em aderir a eles” .
 
Os escores psicossociais de 3553 crianças sem diabetes tipo 1 foram baseados em um questionário preenchido pelos pais.
 
O questionário inclui seis subdomínios: status socioeconômico, ambiente emocional favorável, comportamentos de saúde dos pais, ausência de eventos estressantes, autocontrole da criança e adaptação social da criança.
 
Os pesquisadores também mediram os níveis de glicose no sangue das crianças em 1986, no início do estudo, e novamente em 2001, 2007 e 2012.
 
Foi observada uma taxa de 21 por cento diminuída de diabetes tipo 2 entre aqueles com escores psicossociais mais elevados, bem como um risco diminuído de oito por cento de prediabetes.
 
Escores psicossociais maiores também foram associados com maior controle dos níveis de glicose no sangue em cada seguimento.
 
“É importante que o médico pergunte sobre as circunstâncias da vida do paciente”, disse o autor principal Laura Pulkki-Raback, PhD. “Por exemplo, se o paciente tem uma situação de vida estressante, não é sábio recomendar mudanças importantes de estilo de vida quando a situação estressante está em curso”.
 
“Quando se encontra com as famílias com crianças, é importante reconhecer que os comportamentos dos pais têm um enorme efeito sobre o comportamento infantil. Assim, promover a saúde das crianças começa com intervenções dirigidas aos pais. Quanto mais jovem a criança, mais os pais exercem um efeito”
 
obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla