sexta-feira, 24 de março de 2017

Portador de Alzheimer deve ficar com a família ou morar em casa de repouso?

Portador de Alzheimer deve ficar com a família ou morar em casa de repouso? Divulgação/MorgueFIle
Família deve evitar confrontos. Casa de repouso precisa ser acolhedora
 
Foto: Divulgação / MorgueFIle
 
Escolher se o parente que sofre do mal de Alzheimer vai ficar sob os cuidados da família ou passará a morar numa casa de repouso é uma decisão bastante difícil que a doença impõe. Para ajudar na escolha, a enfermeira e gerontóloga Yeda Duarte listou aspectos importantes que devem ser levados em conta.

:::: Com a família
:: Mantenha a casa segura de tal forma a evitar quedas e situações de perigo.
 
:: Estabeleça rotinas que mantenham a normalidade da vida familiar.
 
:: Incentive o portador a manter suas atividades rotineiras enquanto a evolução da doença permitir. O importante é que a pessoa ocupe seu tempo livre. Não se preocupe com o resultado ou com a conclusão da tarefa, o mais importante é o envolvimento de seu parente com a atividade propriamente dita.
 
:: Evite conflitos e confrontos. A doença pode ocasionar momentos de agitação e agressividade que podem parecer propositais, mas não são. O mais prudente é evitar situações que ocasionem tais alterações de comportamento. Se elas ocorrerem, busque mantê-lo num ambiente calmo e afaste-e do fator que pode ter desencadeado o problema.
 
:: Sempre que fizer uma pergunta, solicitação ou orientação, faça de forma direta, com linguagem simples e frases curtas. Não complique os questionamentos. Direcione perguntas que possibilitem respostas fáceis como sim ou não, isso ajuda muito no momento da alimentação e para identificar a sensação de calor ou frio do portador.
 
:: Mantenha o senso de humor saudável e respeitoso com o paciente, que tende a ficar menos estressado com diversas situações.
 
— Cuidar de quem o cuidou pode não ser simples e fácil, pois nesta relação há uma grande carga emocional relacionada à inversão de papéis. Uma carga enorme de sentimentos positivos ou negativos podem surgir. O importante é não se sentir culpado pelo o que está sentindo. O ideal, se possível, é ter ajuda de um grupo de apoio ou de um cuidador externo — diz Yeda.
 
A família como um todo necessita de atenção multidisciplinar. Se não for mais possível manter a infraestrutura de que o idoso necessita em casa é hora de pensar em procurar uma casa de repouso, pois ela pode oferecer os recursos assistenciais necessários nesse momento.
 
 

:::: Casa de repouso
:: Deve ser um ambiente claro, limpo e com boa acessibilidade, estruturalmente organizado e com um clima acolhedor.
 
:: Certifique-se de que a estrutura de funcionários é adequada e que contam com uma equipe especializada, com enfermeiros, fisioterapeutas e terapeuta ocupacional, por exemplo, além de apoio médico 24h. 
 
:: Um local adequado permitirá que a família torne o novo ambiente do idoso mais familiar, ou seja, permitirá que o novo morador tenha consigo fotografias e objetos que tenham um forte significado, ajudando-o a reconhecer as pessoas e a sentir um entorno mais aconchegante.
 
:: É recomendado que tenha programação diária organizada e adequada às limitações do idoso para estimulá-lo e ocupar produtivamente seu tempo livre sem cansá-lo exaustivamente.
 
Segundo Yeda, vale lembrar que a institucionalização é um recurso indicado quando a família não tem como ou não se sente capaz de se dedicar adequadamente às necessidades apresentadas pelo paciente.
Assim, quando essa decisão se fizer necessária ela estará sempre acompanhada pela intenção de proporcionar o melhor cuidado e permitir a melhor qualidade de vida possível ao paciente, diz ela.
 
 
VIDA E SAÚDE
 
obs. conteúdo meramente informativo
abs
Carla
http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2012/11/portador-de-alzheimer-deve-ficar-com-a-familia-ou-morar-em-casa-de-repouso-3945856.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla