quarta-feira, 22 de março de 2017

Dia Mundial da Água: A importância da Água na Hemodiálise

Dia Mundial da Água: A importância da água na hemodiálise



Pacientes renais dependem de água para tratamento de hemodiálise


Nesta quarta-feira (22) é comemorado o Dia Mundial da Água. Desnecessário enumerar a importância dela para manter o equilíbrio do planeta e para o nosso organismo se manter saudável. Agora, quando se fala em hemodiálise, a água se torna elemento imediato e insubstituível para a garantia da vida.

É a partir dela que ocorre a filtração do sangue nos pacientes renais. Se a água não for corretamente tratada, vários contaminantes químicos, bacteriológicos e tóxicos poderão ser transferidos para os pacientes, levando ao aparecimento de efeitos adversos, muitas vezes letais.

Para cada sessão de hemodiálise, com duração de cerca de quatro horas, são necessários 400 litros de água, desde o processo inicial. Numa conta rápida, os mil pacientes renais, que fazem hemodiálise na Pró-Rim, utilizam em apenas uma sessão, aproximadamente 400 mil litros de água. Deste volume, 60 por cento são descartados. No caso da Fundação Pró-Rim, esta sobra é reutilizada em descarga de vasos sanitários, lavação de calçadas e limpeza em geral. 

Segundo Maicon Aurélio de Vargas, coordenador de manutenção do tratamento de água da Fundação Pró-Rim, a água para hemodiálise precisa passar por processos físicos, químicos e bacteriológicos para garantir a sua pureza. “É um trabalho complexo, muito técnico e que exige atenção e qualidade em todas as etapas”, acrescenta. 

A enfermeira e coordenadora de treinamento Astrid Margarete Leonhardt, observa que há grande preocupação com a falta de água em determinados períodos. “Em momentos extremos tivemos que contratar caminhões tanque de fornecimento de água potável para garantir a hemodiálise dos nossos pacientes”, lembra. Outra situação preocupante e que pode resultar na falta de água é quando o excesso de chuva provoca cheias, diz a enfermeira. 

A gerente de enfermagem da Pró-Rim, Jacemir Samerdak, compara a sessão de hemodiálise à atividade culinária de dessalgar o charque. "Quer dizer, retirar todos os excessos através da água", exemplifica. Para isso, a água precisa estar em grau elevado de pureza, isenta de sais e microorganismos. Neste estágio, ela é imprópria para o consumo humano e cumpre a sua função de purificar o sangue. 

Jacemir explica que o paciente em hemodiálise tem restrição ao consumo de água. “Mas, quem não sofre dos rins deve beber entre dois a três litros de água ao longo do dia aos poucos, mesmo sem sentir sede”. Ela garante que o ideal é beber água da torneira, desde que ocorra manutenção regular na rede e nos reservatórios. “Muitas vezes a água mineral, parada por vários dias em galões plásticos, favorece a proliferação de microorganismos que são prejudiciais à saúde”, adverte Jacemir.

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla
http://www.prorim.org.br/site/noticias/novidade/i/820

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla