sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Aplicação de Insulina -I

Desde que foi decidido pelo médico o tratamento com insulina, você deve prestar muita atenção no tipo de insulina prescrita, nas doses recomendadas, não podendo o paciente mudar  nem o tipo nem a dose, sem a devida orientação medica.
Nos últimos anos, houve grande progresso no desenvolvimento de sistemas de aplicação, desde as tradicionais seringas e agulhas, cada vez mais finas, o que tornou a aplicação de insulina mais confortável e quase indolor. As canetas de aplicação e as bombas de infusão foram desenvolvidas e aprimoradas.
Locais de aplicação
É importante alternar periodicamente o local de cada aplicação de insulina, fazendo rodízio, uma vez que, quando uma área é utilizada muitas vezes para  injetar-se, pode haver  problemas degenerativos locais, ate mesmo, prejudicando  absorção e conseqüentemente prejudicando o bom controle do Diabetes . As áreas mais adequadas para a aplicação de insulina são:
  • Parede abdominal
  • Coxas
  • Nádegas
  • Braços
Assim, sendo uma área relativamente ampla, permite perfeita rotatividade quanto ao local de injeção.
Existem duas maneiras para realizar o rodízio de aplicação de insulina:
1-     Utilizar  uma região para cada aplicação diária, ou seja, caso faça  três aplicações por dia, utilizar por exemplo, abdomem, coxas e braços.
2-     Dividir  as regiões em vários pontos “imaginários”, de forma que cada região tenha em média de 5 à 7 pontos com uma distância de 2 cm entre eles. Desta maneira, cada região poderá ser utilizada para várias aplicações consecutivas, de forma que após a utilização de todos os pontos de todas as regiões, a pele terá um maior tempo para restabelecer-se, diminuindo a probabilidade de problemas degenerativos locais.
Quem fizer uma aplicação diária de insulina poderá utilizar, por exemplo, a coxa direita por até 7 dias, e sucessivamente a coxa esquerda, braço direito, braço esquerdo, parede abdominal, nádegas. Desta maneira, quando  retornar a aplicação na coxa direita já terão se passado em média 56 dias, ou seja, tempo suficiente para o “descanso” e restabelecimento da pele da região.
Esta técnica tem sido mais recomendada e aceita pelos profissionais, pois, diminui os casos de lipodistrofias e melhora significantiva  na absorção da insulina.


http://www.anad.com.br/institucional/images/local2.jpg

Aplicação com Seringa
Primeiramente, deve-se fazer a escolha da agulha de aplicação.
Estão disponíveis no mercado brasileiro :
Seringas para aplicação de insulina com agulhas fixas (embutidas) de           
  • 12,7 mm x 29 G
  • 2 8 mm x 31G.
Agulhas para canetas de aplicação de insulina de:
  • 12,7 mm x 29 G
  • 8 mm x 31 G
  • 6 mm x 30 G
  • 5 mm x 31 G
  • 4 mm x 32G.
Obs.: Os milímetros (mm) referem-se ao comprimento e o G refere-se ao diâmetro das agulhas, sendo que, quanto menor o número maior será o diâmetro da agulha. ( mais grossa)
È comum perguntar-se :
“ qual o tamanho de agulha mais indicado para o meu caso? ”
Ao iniciar-se a insulinoterapia a orientação quanto ao tamanho da agulha era baseado de acordo com o IMC ( índice de massa corpórea ) da pessoa.
Posteriormente, verificou-se que o  tipo físico  de cada paciente era um fator importante nessa tomada de decisão; pois muitos apresentavam sobrepeso, ou tinham o tecido adiposo ( gordura ) localizado em alguma parte do corpo, por exemplo: região abdominal , e se o mesmo tamanho de agulha indicada para esse caso de 12,7 mm fosse utilizada na aplicação na coxa com pouco tecido adiposo poderia atingir o músculo e aumentar o risco de hipoglicemia.
Assim sendo, passou-se a indicar o tamanho da agulha após avaliação das regiões indicas para a aplicação de insulina e preconizando um tamanho adequado para cada região.
 O conceito de que pessoas magras devem usar agulha mais curta, enquanto que pessoas com sobrepeso ou obesas devem usar agulha mais longa, começou a ser mudado após pesquisa cientifica apresentada no Congresso da Associação Americana de Diabetes ( ADA ), em 2010.
Sabe-se que, deve-se aplicar insulina no tecido subcutâneo (camada abaixo da pele).
A pesquisa demonstrou que a espessura da pele não ultrapassa a 3,2 mm e que a absorção da insulina não foi alterada quando aplicada com agulha de 4 mm quer em pessoas magras, com sobrepeso ou obesas. Obteve-se o mesmo controle glicêmico, comparado com pessoas que mantiveram a aplicação de insulina com o uso de agulhas tradicionais.
Esta conclusão permitiu o lançamento no mercado internacional de agulhas de 4 mmm para utilização no sistema de aplicação – caneta de insulina ( Pen )-, indicada para todas as pessoas
Acredita-se que com mais esse avanço na aplicação de insulina, por ser mais confortável, praticamente indolor , levará a uma maior e melhor adesão dos diabéticos ao tratamento com insulina.
Fazer ou não a prega cutânea?
A maioria dos textos sobre técnicas de aplicação de insulina refere-se a pratica de fazer-se a prega cutânea. Atualmente, com a disponibilidade de agulhas menores ( 4, 5, 6 e 8 mm ) a recomendação quanto a fazer ou não a prega cutânea passou a ser  questão de escolha, sendo que, ela é dispensável. Para o caso de uso de agulha tradicional de 12,7 mm, recomenda-se fazer a prega cutânea.
Procedimentos adequados para a devida aplicação de insulina.
  • Lave bem as mãos e o local de aplicação com um algodão embebido com álcool.
  • Verifique se a seringa é correta, pois há seringas que são graduadas de 1 em 1 unidade e há aquelas de 2 em 2 unidades.
  • Retire a insulina da geladeira para atingir a temperatura ambiente.
  • Se usar insulina de ação intermediaria de aspecto leitoso ( NPH ou Pré-mistura) , agite suavemente o frasco ate que o liquido fique homogêneo.
  • Introduza uma quantidade de ar na seringa, que corresponda à dose de insulina a ser aplicada, e injete lentamente dentro do frasco, mantendo-o na posição vertical, diante dos olhos.
  • Vire o frasco de cabeça para baixo, bata na seringa com os dedos, suavemente, para retirar as bolhas de ar.
  • Injete o excesso de insulina do frasco e retire a agulha.
  • Faça ou não a prega cutânea e introduza a agulha em ângulo de 90 graus no tecido subcutâneo. Em crianças e pessoas magras, introduza a agulha com um ângulo de 45 graus. A prega deve ser solta antes da aplicação.
  • Injete a insulina lentamente, retire a agulha suavemente e passe o  algodão embebido com álcool sobre o local.
  • Jogue a seringa descartável fora, tomando o cuidado de recolocar a tampa na agulha.
http://www.anad.com.br/institucional/images/seringa.jpg

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla