quarta-feira, 17 de setembro de 2014

tipo de Câncer Infantil - Sarcomas de Partes Moles

Sarcomas de Partes Moles

O Sarcoma de Partes moles é raro em crianças e adolescentes. Corresponde a aproximadamente 5% de todos os casos de câncer em pacientes menores 15 anos de idade. Trata-se de uma doença em que as células cancerosas começam a crescer nas partes moles do corpo.
O que são partes moles?
Partes moles são justamente o que o próprio nome diz: tecidos moles, macios do nosso organismo como músculos, tecidos fibrosos e adiposos, tecidos de suporte, gordura, sistema nervoso periférico, vasos sanguíneos e linfáticos. As partes moles são as que conectam, sustentam e cercam outras peças e órgãos do corpo.
Existem muitos tipos de sarcoma de partes moles e depende do tecido onde o tumor se inicia. O Rabdomiossarcoma (RMS) é sarcoma de partes moles mais comum na infância, correspondendo a cerca de 50% dos sarcomas de partes moles em crianças. Se inicia nos músculos em torno dos ossos e pode ser encontrado em qualquer parte do corpo.
Em crianças, os sarcomas de partes moles podem ser encontrados mais freqüentemente no tronco, nos braços e nos pés, mas também na região da cabeça e pescoço e genito-urinário. Geralmente são classificados de acordo com a parte mole em que se encontram.

Sinais da presença de sarcoma de partes moles (sintomas)


* Presença de massa ou protuberância contínua em uma região específica
* A região do aparecimento do sarcoma fica debilitada (afetada)
O aparecimento destes sintomas não significa necessariamente sarcoma de partes moles. Por isso, é muito importante consultar um médico.

Fatores de Risco


* Condições genéticas específicas
* Ter realizado terapia de radiação

Exames e testes para diagnosticar (detectar/ achar) o sarcoma de partes moles na infância:


* Raio X : feixe de energia que tira um retrato interno do corpo e permite avaliar o estado dos órgãos e ossos.

* Biópsia: remoção de células ou tecidos do tumor por meio de agulha introduzida através da pele ou por uma pequena cirurgia para retirar um pedaço do tumor. A parte removida é analisada através de um microscópio para determinar se o tumor é maligno ou não, e se for, qual o seu tipo.

* Análise citogenética: teste que analisa uma amostra de sangue da medula óssea para verificar se existem mudanças nos cromossomos dos linfócitos. No LLA, parte de um cromossomo de um linfócito se une com outro.

* Ressonância Magnética: exame que fotografa os tecidos do corpo no sentido transversal por meio de ondas magnéticas (igual a um imã) que se alteram de acordo com o tipo de tecido do corpo que atravessam. Por ser um exame demorado, o paciente precisa ficar imobilizado. Em crianças pequenas os médicos geralmente usam sedativos ou analgésicos para evitar desconforto.
Nem todos os pacientes terão que passar por esses exames e podem ser necessários outros testes além desses apresentados. Em caso de dúvidas, pergunte ao seu médico.

Fatores que influenciam nas possibilidades de recuperação e opções de tratamento:

Determinados fatores alteram o prognóstico (possibilidades de recuperação) e as opções de tratamento. Os principais são:
* Tipo, posição e tamanho do tumor
* Estádio de desenvolvimento do câncer e localização
* Idade do paciente
* Saúde geral do paciente
Fonte: USP. Oncopediatria.org

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla
extraído:http://sobope.org.br/apex/f?p=106:13:16246292975201::NO::DFL_PAGE_ID:333

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla