quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

MITOS E VERDADES - Diabetes I

Para conviver melhor com o diabetes e ter mais qualidade de vida, algumas mudanças nos hábitos de vida são necessárias. Mas muitas são as dúvidas sobre o cuidado mais adequado. Por isso, o Ministério da Saúde te ajuda a esclarecer algumas questões e descobrir mitos e verdades sobre o diabetes


  • O arroz integral é mais indicado para consumo pela pessoa com diabetes do que o arroz branco. - Mito ou Verdade?  R.  Verdade!

O arroz integral contém maior quantidade de fibras que o arroz branco, em função do menor polimento a que o grão é submetido. As fibras auxiliam na redução da velocidade de absorção de glicose e aumentam a sensibilidade à insulina e, com isso, há melhor controle da glicemia. Além disso, as fibras também estimulam o peristaltismo intestinal (trânsito intestinal) e provocam maior sensação de saciedade. 
Grãos integrais como o arroz integral, leguminosas, frutas e verduras são ricos em fibras e precisam fazer parte da alimentação diária da pessoa com diabetes. Mas o efeito do consumo desses alimentos só é benéfico se as fibras forem consumidas na quantidade recomendada, que é de 25g por dia. Para conhecer a quantidade de fibras presentes nos alimentos, consulte o rótulo ou acesse a TACO, Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (www.unicamp.br/nepa/taco/).

É difícil comparar em termos de gravidade. São doenças diferentes, apesar de apresentarem sinais e sintomas parecidos. Mas como, em geral, os diabéticos tipo 1 convivem mais tempo com a doença, há mais chances de lesionarem um órgão. Mas quem tem diabetes tipo 2 e não se cuida também pode ter lesões igualmente ou mais graves.

  • Se eu não comer qualquer tipo de carboidrato, não preciso usar insulina? - Mito ou Verdade?  R.Mito!
Essa não é uma verdade universal, especialmente para pessoas com diabetes tipo 1.O carboidrato eleva a glicemia com maior rapidez que os outros tipos de macronutrientes (gorduras e proteínas), por isso o consumo de carboidratos precisa ser controlado. Mas, mesmo que a pessoa não coma carboidrato, a aplicação de insulina diariamente é necessária para pessoas com diabetes tipo 1, já que o pâncreas não produz este hormônio. No caso do diabetes tipo 2, o uso da insulina depende do controle glicêmico, mas só o profissional de saúde pode orientar a suspensão do uso. 

A ideia é que uma dieta rica em ácidos graxos insaturados, presentes em alimentos como azeites e peixes, pode reduzir o risco de desenvolver o diabetes, melhorar o perfil lipídico e aumentar a sensibilidade à insulina. A relação entre esses benefícios e o consumo de frutos do mar, porém, não está bem estabelecida na literatura científica.  Ou seja, apenas o consumo de frutos do mar não parece oferecer esse efeito protetor.

Em pesquisas com ratos, a utilização de extrato de canela promoveu a redução da glicemia e melhoria dos índices do colesterol bom (HDL-colesterol). Entretanto, em seres humanos, os resultados das pesquisas são contraditórios, não conclusivos, com algumas pesquisas com resultados positivos, outras não. Assim, o uso de extrato de canela para controle da glicemia precisa ser melhor investigado pela ciência.

Apesar de naturais, ou seja, não serem submetidos a etapas de processamento como o açúcar de mesa, esses alimentos são ricos em açúcar do tipo sacarose, que precisa ser evitado para o cuidado do diabetes. Apesar das recomendações internacionais permitirem o consumo de quantidades pequenas deste açúcar a pessoas com diabetes, é difícil controlar a quantidade ingerida diariamente sem que haja descontrole glicêmico.


obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla