sábado, 4 de janeiro de 2014

Problemas de Memória e Concentração Depois da Quimioterapia

Queixas de memória e concentração, junto com um “sentimento que a cabeça não está funcionando bem”, são informalmente (e frequentemente!!) referidos pelos pacientes que passam pelo processo de quimioterapia. Se você ou alguém que você conhece está enfrentando esses sintomas, saiba que eles são mais comuns do que se pensa. Ao conjunto de sintomas que afetam a memória e outras habilidades “mentais,  dá-se o nome técnico de déficits cognitivos.
Pacientes que passam pelo processo de quimioterapia podem enfrentar:
- Déficit de memória
- Problemas de atenção
- Dificuldade em encontrar a palavra certa (disfunção da linguagem)
- Dificuldade com o aprendizado de coisas novas
- Dificuldade em gerir as atividades diárias

De forma mais técnica e exata, pode-se dizer que pessoas que passaram pela quimioterapia podem apresentar a função cognitiva reduzida em diversos domínios, incluindo memória verbal, memória de trabalho, função executiva, atenção, concentração, linguagem e velocidade de processamento da informação.
As pessoas costumam perceber esses problemas durante o tratamento de quimioterapia.
Os mecanismos pelos quais estas disfunções ocorrem não estão bem esclarecidos. As principais hipóteses incluem, entre outras, dano neuronal por baixas concentrações de quimioterápicos no sistema nervoso central, determinados polimorfismos genéticos que alteram propriedades de barreira hemato-encefálica e do metabolismo neuronal, dano no DNA neuronal por estresse oxidativo, alterações hormonais e desregulação de cioquiras (http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/17793).
É relevante dizer que há uma série de fatores tratáveis ​​que podem causar problemas cognitivos temporários semelhantes aos que ocorrem como resultado da quimioterapia. Estes incluem:
- Estresse
- Depressão
- Ansiedade
- Distúrbios do sono e fadiga
- Medicação para tratar efeitos colaterais da quimioterapia
- Alterações hormonais decorrentes de alguns tratamentos de câncer, como o de mama.

9534087538_12d3b16e09_z
Caso você ou alguém que você conheça esteja tendo problemas cognitivos, informe ao seu médico. Ele pode ajudar a eliminar alguns dos fatores que também podem causar problemas cognitivos. Por exemplo, a medicação que trata náusea pode tornar o paciente menos alerta e afetar sua capacidade de pensar com clareza. Uma simples mudança no remédio pode fazer uma grande diferença na forma como a pessoa se sente.
O que alguém que passa pelo processo de quimioterapia pode fazer para lidar com o déficit cognitivo? 
Quando consultar um neuropsicólogo ou terapeuta ocupacional que trabalhe com Reabilitação Cognitiva?
Se um ano se passou desde que você completou a quimioterapia, e você já tentou de técnicas de auto-ajuda, mas ainda está preocupado com a memória e problemas relacionados, você vai precisar de uma avaliação profissional. Profissionais de Neuropsicologia te ajudarão fazendo uma avaliação aprofundada das suas habilidades cognitivas e o terapeuta ocupacional vai te ajudar a reabilitar as funções e te ensinar a usar estratégias para potencializar sua capacidade cognitiva.
obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico.
p.s:eu estou apresentando todos os sintomas citados acima(kkk) já fez 01 ano que estou com dificuldades na  memória verbal, memória de trabalho e númerico, função executiva, atenção, concentração, linguagem e velocidade de processamento da informação.
abs,
Carla
fonte: Cancer Care imagen: tyfn

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla