sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Naúseas e Vômitos no Tratamento Oncológico





Náuseas e vômitos são os dois efeitos secundários mais frequentes e prejudiciais dos tratamentos anticâncer. a quimioterapia é um dos tratamentos que causam esses sintomas com frequência.Embora os tratamentos oncológicos tenham evoluído,é importante realizar a prevenção e o controle desses sintomas, pois podem atrapalhar a capacidade do paciente receber o tratamento. Tais sintomas são controlados pelo sistema nervoso central e ocorrem porque existem estímulos, como odores, sabores, movimentos(tonturas), irritação do estômago e intestino, ou, ainda, ansiedade em relação aos componetes da quimioterapia. Esses estímulos induzem o aparecimento de susbstâncias químicas(neurotransmissores) que são excitantes do "centro do vômito", situado na base do cérebro. Essa reação em cadeia desencadeia o reflexo das náuseas e dos vômitos. A náusea é uma sensação desagradável que ocorre na parte posterior da garganta ou no estômago: manifesta - se periodicamente e pose ou não desencadear vômito(explulsão violenta do conteúdo do estômago). As náuseas e vômitos provocados pela quimioterapia podem ser classificados como precoces, agudos ou retardados.

Náuseas e vômitos precoces


Ocorrem antes ou no inicio da sessão de quimioterapia em quase metade dos casos. Podem afetar também pacientes que realizam radioterapia.
Após submeter-se a diversos ciclos de tratamento, o organismo do paciente pode responder a estímulos do ambiente onde realiza o tratamento. Por exemplo, um paciente que sente o odor de algodão com álcool enquanto realiza quimioterapia pode apresentar náuseas e vômitos em outras situações só ao sentir esse odor. Habitualmente, esses problemas ocorrem nas situações apresentadas no quadro.


Maior freqüência de náuseas e vômitos

  ü  Náuseas ou vômitos após a última quimioterapia
  ü  Paciente com menos de 50 anos
  ü  Historia de enjôos quando viaja de automóvel ou de barco
  ü  Nível elevado de ansiedade


Náuseas e vômitos agudos

Ocorrem nas primeiras 24 horas após a administração do tratamento, com duração de algumas horas. A freqüência e a gravidade dependem da medicação (tipo, dose, intervalos e via de administração), bem como de fatores individuais de difícil previsão. As náuseas e vômitos provocados pela radioterapia podem ser agudos e autolimitados, costumam ocorrer entre meia hora e varias horas após o tratamento e o paciente constata que os sintomas melhoram nos dias em que não realiza tratamento.


Náuseas e vômitos retardados


Aparecem após mais de 24 horas do inicio do tratamento, podendo durar vários dias. Em geral, ocorrem pacientes que apresentaram náuseas e vômitos agudos ou quando o tratamento é prolongado por vários dias. Pacientes que recebem quimioterapia são beneficiados por medicamentos que previnem náuseas e vômitos. Radioterapia na região gastrointestinal ou cerebral também pode provocar náuseas e vômitos, por se tratar de regiões muito sensíveis à radiação. Da mesma forma que na quimioterapia, quanto maior a dose ou superfície de tecido irradiado, maior a possibilidade de náuseas e vômitos. Esses sintomas ocasionados pelo tratamento podem melhorar ou desaparecer com a modificação da dieta e inclusão de outros medicamentos denominados antieméticos. É necessário tentar utilizar vários tipos de antieméticos para conhecer o mais eficaz. Alguns desses medicamentos têm curta duração e devem ser administrados com freqüência para serem constantes e efetivos no controle dos sintomas. Os principais medicamentos são metoclopramida, ondansetrona, granisetrona, tropisetrona, corticóides e lorazepam.


obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla
extraído:http://www.ache.com.br/Corp/Oncologia.(livro:Sabor da Vitória {Autoajuda e nutrição para o paciente oncológico}


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla