segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O TRATAMENTO NO LINFOMA NÃO-HODGKIN

O tratamento a administrar no linfoma não-Hodgkin é escolhido caso a caso. Depende de diversos factores, designadamente se a doença foi recentemente diagnosticada ou recidivou/recaiu, se é um linfoma indolente ou agressivo, o seu estadio, o tipo, o estado geral do doente, a sua idade e as suas necessidades e desejos.

Durante muitos anos, o principal tratamento do linfoma não-Hodgkin foi a quimioterapia. Hoje em dia, a quimioterapia é muitas vezes combinada com a terapêutica com anticorpos monoclonais, que por vezes também pode ser administrada isoladamente.

A radioterapia pode ser útil quando a doença está confinada a uma ou duas áreas do corpo. A quimioterapia em doses elevadas é outra opção terapêutica para alguns doentes. No entanto, esta também destrói a medula óssea , que deve ser restaurada através de células estaminais transplantadas.

Alguns doentes com linfoma não-Hodgkin indolente não apresentam sintomas inicialmente e não necessitam de tratamento imediato; a esta abordagem dá-se o nome de 'observar e esperar'.

Antes de se poder iniciar o tratamento, é importante determinar, para além do seu estadio, se o linfoma é indolente ou agressivo. Este processo implica a realização de exames laboratoriais e uma biópsia aos gânglios linfáticos afectados. Para mais informações veja Consultas de diagnóstico e exames.

É preferível esperar até que os resultados dos exames estejam disponíveis antes de se tomarem decisões finais sobre o tratamento a administrar. Pode parecer que com a realização destes exames se está a adiar desnecessariamente o tratamento, mas qualquer ligeiro atraso será devidamente compensado pela administração do tratamento correcto.

O doente pode ter muitas dúvidas ou perguntas a fazer à equipa médica sobre o seu tratamento e a probabilidade de sucesso. Em vez de tentar lembrar-se das perguntas durante a consulta, é preferível pensar nelas de antemão.

Para sugestões sobre as perguntas típicas do doente com linfoma não-Hodgkin durante o seu tratamento, consultePerguntas a fazer ao médico.



Opções terapêuticas



obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico. Texto original de Portugal.(Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.)

Vou colocar texto de cada ítem acima.
abs,
Carla


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla