quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Câncer: Neuroblastoma: proteína pode ajudar a monitorizar progressão da doença

Terça, 18 de Outubro de 2016


Fonte de imagem: Wikipedia
Uma proteína produzida pelas células nervosas parece estar aumentada no sangue dos pacientes com a forma agressiva do neuroblastoma. Estes resultados divulgados no estudo publicado no “American Journal of Pathology” podem conduzir a um teste de diagnóstico para a doença ou serem utilizados para monitorizar a sua progressão. 
O neuroblastoma é um cancro pediátrico que pode regredir espontaneamente ou progredir para tumores fatais sem tratamento. Desta forma, as estratégias de tratamento variam bastante entre os pacientes, ou seja, os pacientes podem necessitar de quimio e radioterapia intensa ou apenas de observação.
Joanna Kitlinska, uma das autoras do estudo, refere que, devido aos efeitos graves e tardios dos tratamentos anticancerígenos, a estratificação adequada da doença é muito importante.
Uma vez que este cancro tem origem neuronal, os neuroblastomas sintetizam e libertam uma pequena proteína habitualmente secretada pelas células nervosas maduras, o neuropeptídeo Y. 
Os investigadores da Universidade de Georgetown, nos EUA, já tinham previamente constatado que o neuropeptídeo Y, que atuava via recetores Y2 e Y5, era muito importante para a manutenção do crescimento e proteção dos tumores da quimioterapia. 

De forma a confirmar a relevância dos achados anteriores e avaliar a relevância do neuropeptídeo Y e dos seus recetores como potenciais fatores de diagnóstico, os investigadores realizam um estudo clínico em amostras de tecidos e no soro de 87 pacientes com neuroblastoma.
O estudo apurou que o neuropeptídeo Y é libertado para o sangue a partir de tumores de neuroblastoma agressivos, o que aumenta a sua concentração sérica. Estes níveis sistémicos elevados de neuropeptídeo Y estão associados a diversos fatores de prognóstico adversos e a uma pior sobrevivência dos pacientes.
De acordo com a investigadora, a libertação elevada do neuropeptídeo Y é um importante marcador da doença metastática, enquanto o recetor Y5 está presente preferencialmente nas células do neuroblastoma invasivas. Os pacientes com níveis elevados do neuropeptídeo Y são mais propensos a sofrerem recidivas no futuro.
Joanna Kitlinska conclui que estes resultados vão ao encontro do papel já descrito anteriormente do neuropeptídeo Y na biologia do neuroblastoma e sugerem que este contribui para a disseminação e resistência à terapia. Assim, o estudo sugere que o neuropeptídeo Y pode ser um potencial alvo terapêutico e funcionar como um marcador de prognóstico do neuroblastoma.
obs.conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla
http://www.bancodasaude.com/noticias/neuroblastoma-proteina-pode-ajudar-a-monitorizar-progressao-da-doenca/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla