sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Como é que a gordura branca se transforma em gordura bege?

Fonte de imagem:BioTecNika


Células adiposas brancas transformam-se em células bege quando expostas ao frio, em resultado do aumento de mitocôndrias, componentes celulares que permitem às células queimar calorias e emitir calor. Contudo, se as células adiposas brancas têm muito poucos nervos, como é que as células bege sabem que está frio no exterior?
Para responder a esta questão, cientistas do Centro Médico da Universidade do Sudoeste do Texas, nos EUA, levaram a cabo uma investigação que descobriu que a proteína conexina 43 (Cx43) forma canais de comunicação entre as células, na superfície das células adiposas brancas, amplificando os sinais transmitidos pelas fibras nervosas. Além disso, os cientistas descobriram também que a gordura bege possui efeitos antidiabéticos sobre o metabolismo da glucose, efeitos estes que parecem ser independentes da regulação da temperatura.
A gordura, anteriormente apenas considerada como forma de armazenamento de calorias em excesso, é atualmente encarada como um tecido dinâmico que se apresenta sob diversas formas e possui funções distintas que ainda estão por identificar.
Enquanto a gordura castanha ajuda na regulação da temperatura corporal, a gordura branca é essencialmente usada para armazenamento de energia. Este último tipo de gordura possui ainda um subtipo específico: aquela que é capaz de se transformar em gordura bege. A gordura bege, tal como a castanha, possui este tipo de cor devido à produção aumentada de mitocôndrias em resposta a estímulos do ambiente, como, por exemplo, o frio.
Para estudar os efeitos metabólicos da gordura bege, os cientistas, liderados por Philipp Scherer, compararam ratinhos com Cx43, ou seja, animais capazes de produzir tecido adiposo bege, com animais que não tinham esta proteína, ou seja, ratinhos em que a sua gordura branca raramente recebia a informação de que o ambiente estava frio e, como tal, não se tornava bege.
Após três semanas no frio, os ratinhos foram colocados num ambiente com temperatura amena e o metabolismo da glucose dos animais foi analisado.
De acordo com os cientistas, os ratinhos com Cx43 apresentaram uma melhoria mais acentuada no metabolismo da glucose. Além disso, ambos os grupos de animais revelaram ser capazes de regular a sua temperatura corporal, aparentemente através da gordura castanha.
“Esta foi a primeira vez que os efeitos termorregulatórios (aquecimento) e metabólicos da gordura sobre a glucose foram observados a trabalhar de forma independente”, esclarece Scherer, em comunicado divulgado na página da internet da universidade norte-americana.
De acordo com o cientista, esta investigação permitiu chegar a duas conclusões essenciais: por um lado que a Cx43 é necessária para a propagação de sinais nervosos, conduzindo à mudança de cor da gordura branca para bege; e, por outro, que a gordura bege poderá ser mais interessante ao nível metabólico, nomeadamente em termos antidiabéticos, do que de uma perspetiva de regulador da temperatura corporal.
Terça, 18 de Outubro de 2016
Referência

Estudo publicado na “Cell Metabolism”

obs.conteúdo meramente informativo procure seu médico

abs
Carla
http://www.bancodasaude.com/noticias/como-e-que-a-gordura-branca-se-transforma-em-gordura-bege/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla