quarta-feira, 11 de maio de 2016

METABOLISMO A OU B?

diane-kressVocê tem o Metabolismo B? Ganhas Peso com uma Dieta Baixa em Calorias?


Para milhões de pessoas; pular o café da manhã, o jejum prolongado, com lacunas de mais de 5 horas sem comer, deixar de fazer um lanche antes de dormir, são atitudes que podem realmente levar ao ganho de peso.
Pessoas com o Met B podem não ter sucesso em perder peso através da redução de calorias e o aumento da atividade. É por isso que alguns programas de perda de peso bem conhecidos não funcionam a longo prazo e o peso é rapidamente recuperado na maioria dos casos.

Calorias ingeridas / Calorias queimadas só funciona para aqueles com Metabolismo A
Este conceito aplica-se a cerca de 40% das pessoas. Se essas pessoas diminuírem as calorias consumidas e aumentarem a atividade física em sua rotina, eles irão perder peso. Se diminuírem sua ingestão de gorduras, eles podem reduzir seu colesterol. Não importa o quanto eles consumam de carboidratos, eles não podem desenvolverdiabetes tipo 2. Algo tão simples como eliminar os refrigerantes e os lanches noturnos é tudo o que muitos precisam para perder alguns quilos extras.

Metabolismo A NÃO é o mais comum
Tenha certeza: esta não é a norma. A maioria das pessoas com problemas de peso têm o metabolismo alternativo (Metabolismo B). O Met B é progressivo e baseado no aumento dos níveis do hormônio de ganho de gordura, a insulina.
Aqueles com Metabolismo A não tem problemas com o desequilíbrio de insulina. Quando eles comem carboidratos, a glicose no sangue aumenta, o pâncreas libera a quantidade certa de insulina e os hidratos de carbono são processados normalmente. Se eles ingerem calorias além do que o corpo necessita, eles ganham peso. Calorias ingeridas / calorias perdidas se aplica a eles, então, se eles cortarem sua ingestão de calorias, irão perder peso de novo.

Ganhar Peso em uma Dieta com Poucas Calorias?
Aqueles com Metabolismo B nascem com a predisposição genética para um excesso de liberação de insulina mesmo com um aumento normal do açúcar no sangue; eles “super” processam a glicose no sangue resultando em um maior percentual de gordura em seu corpo, em seu sangue (colesterol e triglicérides) e até mesmo em seu fígado.
Se as pessoas com Metabolismo B seguirem uma dieta de baixas calorias (pobre em gorduras, mas rica em carboidratos) ainda assim irão ganhar gordura, aumentar o colesterol / triglicérides, aumentar a pressão arterial e a glicemia, diminuir os níveis de vitamina D e sofrer fadiga, apatia, irritabilidade, além de ter desejos por alimentos ricos em carboidratos. Ao longo do tempo, irão necessitar de mais medicamentos e desenvolverão, gradualmente, outras condições de saúde. Altos níveis de insulina não são normais e são a raiz de muitos problemas de saúde e doenças (ver Parte 1).

A História do Pequeno Pãozinho
A melhor maneira de entender a diferença no processamento de alimentos ricos em carboidratos pode ser vista comparando a forma na qual aqueles com Met A e Met B processam um simples pãozinho (Eu poderia ter escolhido lentilhas, frutas, pizza, massa ou arroz branco ou integral, ou qualquer outro carboidrato).

Metabolismo A e o Pãozinho  
  1. Uma pessoa com Met A come um pãozinho.
  2. O pãozinho se converte em glicose no sangue.
  3. Há um aumento nos níveis de glicose no sangue.
  4. O pâncreas libera a quantidade correta de insulina para “abrir” o número correto de células dos músculos, do fígado, e as células de gordura, permitindo que a glicose do pãozinho deixe o fluxo sanguíneo e entre nestas células. Primeiro, as células musculares e hepáticas são recarregadas com glicose (a ser armazenada como glicogênio), e qualquer resto de glicose do pãozinho, é introduzido em células de gordura para armazenamento.
  5. A glicose no sangue de uma pessoa com o Metabolismo A retorna ao normal.
  6. Quatro a cinco horas depois, a pessoa com o Met A começa a sentir fome … tudo é normal no corpo da pessoa com Met A.

Metabolismo B e o Pãozinho
  1. Uma pessoa com Metabolismo B come um pãozinho.
  2. O pãozinho se converte em glicose no sangue.
  3. Há um aumento nos níveis de glicose no sangue
  4. O pâncreas exagera e libera insulina em excesso. Quando o fígado e os músculos já estão preenchidos (armazenados com glicogênio), o excesso de insulina abre células de gordura em demasia.
  5. Quando o excesso de glicose no sangue entra nesta quantidade excessiva de células de gordura, muitas delas estão repletas de glicose circulante. Isso deixa o nível de glicose no sangue mais baixo que o normal.
  6. Em pouco tempo … geralmente cerca de 2 horas depois de comer o pãozinho, a pessoa com o Metabolismo B tem níveis de açúcar no sangue menores que o normal, uma forte compulsão por carboidratos, irritabilidade, fadiga, confusão mental … e começa a procurar alguma coisa (carboidratos) para comer.
  7. Se este indivíduo opta por fazer um lanche, a glicose no sangue se eleva e ele temporariamente se sente melhor. Mas … exatamente como aconteceu com o pãozinho, o excesso de insulina abre as células de gordura em excesso levando a pessoa a ficar “gorda” no corpo e no sangue. O açúcar no sangue cai novamente e duas horas após esse lanche, ele estará mais uma vez à procura de algo para comer.
  8. Para um observador casual (como uma pessoa com o Metabolismo A), parece que essa pessoa não tem força de vontade, está sempre se alimentando, não pode controlar a si mesma, está sempre cansada, preguiçosa, desmotivada, mal-humorada, e engorda em torno do abdômen.
A verdade, é que a pessoa com o Metabolismo B está em crise. Gradualmente, ao longo de algum tempo, os problemas de saúde listados na parte 1 começam a surgir e/ou progredir.

Então, o que acontece quando uma pessoa com Met B segue uma dieta de baixas calorias?
Vamos analisar um exemplo. Megan é conduzida a uma dieta de 1400 calorias, baixa em gorduras. Ela obedientemente escolhe claras de ovos, um Muffin integral light e uma xícara de frutas frescas sortidas (melão fresco,mirtilos, e outras frutas saudáveis, ricas em antioxidantes). Este é um café da manhã sem colesterol, sem gordura, e com poucas calorias.
– Mas Megan não sabe que tem o Metabolismo B!
Os carboidratos (grãos integrais do Muffin) vão virar glicose no sangue;
O pâncreas vai liberar insulina, o hormônio de ganho de gordura, em excesso;
O excesso de insulina abrirá células de gordura em demasia;
O excesso de glicose no sangue vai entrar nas células de gordura;
O açúcar circulante no sangue cai abaixo do normal;
Cerca de 2 horas depois, Megan está faminta, já que ela está lidando com o nível de açúcar no sangue mais baixo que o normal;
Se ela optar por não comer (afinal, ela está contando calorias) … seu fígado irá liberar os estoques de glicogênio;
O açúcar no sangue vai subir a partir da liberação do glicogênio pelo fígado;
As células de gordura em excesso são abertas e preenchidas;
E, Megan engorda sem ter comido nada.
Seu baixo nível de açúcar no sangue provoca mais fome;
Ela ignora a fome (está contando calorias);
O fígado libera novamente … e …. Você já conhece esta história.
Assim que ela come uma xícara de lentilhas no almoço (livre de gorduras e dentro da sua dieta) … os carboidratos se transformam em açúcar no sangue e seu pâncreas mais uma vez libera um excesso de insulina …
Megan é prejudicada se ela come e se ela não come.
Se ela não come, seu fígado irá auto alimentar suas células, liberando glicose.
Quando alguém disser que está seguindo uma “dieta” e você não acreditar porque o seu peso não está mudando… pense novamente.
A Dieta de Baixa Caloria está Fracassando seu Processo de Emagrecimento

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs

Carla

extraído:http://blogbr.diabetv.com/metabolismo-ou-b/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla