segunda-feira, 2 de maio de 2016

O QUE É INSULINA?

Posted by quais os tipos de insulina



Muitos diabéticos estão familiarizados com a importância da insulina para o seu corpo e sua vida. Este hormônio fundamental desempenha um papel importante no modo como os determinados nutrientes, especialmente a glicose, são metabolizados no organismo. No caso de indivíduos com diabetes tipo 1, as células do pâncreas, que uma vez produziam insulina, foram destruídas. E como resultado, eles precisam aplicar injeções a fim de suprir a necessidade em seu organismo. Aqueles que têm diabetes tipo 2, ainda produzem esse hormônio essencial, mas o corpo é incapaz de responder a ela de forma eficaz.
A melhor maneira de entender mais sobre a insulina, é a pensar nela como uma ferramenta que o corpo usa para abrir as células do nosso corpo, da mesma maneira que pode-se usar uma chave para destravar a maioria das portas. Para aqueles com diabetes tipo 2, que são resistentes a este hormônio, significa que a sua “chave” não funciona corretamente. Sendo assim, eles requerem mais insulina para que suas células aceitem a glicose no sangue. Quanto aos indivíduos com diabetes tipo 1, eles perderam a chave completamente, o que significa que eles necessitam que o hormônio seja injetado diretamente para que suas células possam funcionar corretamente.
Depois de fazer uma refeição, o pâncreas segrega hormônios para ajudar a armazenar a glicose do alimento consumido recentemente. A insulina abre as células, tornando-as capazes de tomar estas substâncias açucaradas como forma de energia, que pode ser usada para alimentar o corpo. Quando o corpo é deficiente ou incapaz de utilizar este hormônio corretamente, ele começa a usar outros nutrientes como combustível, o que conduz ao desenvolvimento de um estado potencialmente fatal, conhecido como cetoacidose. Embora seja mais provável a ocorrência com indivíduos diabéticos tipo 1, porque eles não têm nenhuma insulina, raramente também pode ocorrer em diabéticos tipo 2. 

Nesse caso, eles têm alguns problemas que são semelhantes a um estado de cetoacidose, mas como o corpo ainda retém alguma parte deste hormônio essencial, a glicose no sangue pode ser gerida de forma a evitar a ocorrência do desenvolvimento deste perigoso estado. Ao invés disso, eles costumam entrar em um estado conhecido como hiperosmolar hiperglicêmico, em que o corpo torna-se severamente desidratado, podendo levar a convulsões ou entrar em estado de coma. Se o indivíduo nesta condição não for tratado rapidamente, pode levar à morte.
Felizmente, a ciência médica tem avançado muito nos últimos anos, de modo que muitos diabéticos são capazes de injetar insulina sintética em seu corpo, se necessário. No geral, podem ser encontrados quatro tipos artificiais desse hormônio, e os indivíduos com diabetes tendem a usar uma combinação deles para manter seus níveis de açúcar no sangue estáveis:
• Ação Ultra-rápida: Normalmente este tipo de insulina começa a funcionar dentro de 15 minutos após ser injetada, e atingirá o seu pico entre 30 a 90 min. Ela dura, em média, de 3-4 horas.
• Ação Rápida: Tende a agir em cerca de 30 minutos a uma hora, com o pico em torno de 3 horas. Dura cerca de 6 horas.
• Ação Intermediária: inicia sua ação entre 90 minutos a 6 horas, com o pico em torno de 10 horas. Normalmente tem a duração de um dia.
• Longa Ação: começa a funcionar em torno de  6 horas, e dura entre 24 a 36 horas.

obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla
extraído:http://diabetvbr.wpengine.com/o-que-e-insulina/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla