domingo, 30 de março de 2014

Exames de Imagem para Diagnóstico do Câncer de Sítio Primário Desconhecido


Os exames de imagem ajudam a localizar a lesão e são extremamente úteis para determinar a extensão da doença o que se denomina estadiamento do câncer. Os principais exames utilizados para o diagnóstico ou estadiamento do câncer de sítio primário desconhecido são:


  • Radiografia de Tórax


O exame de Raios X é um procedimento de imagem para avaliar o corpo humano, que cria uma imagem das estruturas internas do corpo, utilizando uma pequena quantidade de radiação.
A radiografia de tórax é utilizada para detectar a presença de alguma imagem suspeita de tumor em algum dos pulmões. 


  • Série Gastrointestinal Superior


É um exame de Raios X para avaliar o esôfago, estômago, e a primeira parte do intestino delgado. Este exame é realizado utilizando contraste de bário, que ao ser ingerido cobre o revestimento do esôfago, estômago e intestino delgado. Como os Raios X não atravessam o bário é possível delinear quaisquer anormalidades no revestimento destes órgãos.


  • Tomografia Computadorizada


A tomografia computadorizada é uma técnica de diagnóstico por imagem que utiliza a radiação X para visualizar pequenas fatias de regiões do corpo, por meio da rotação do tubo emissor de Raios X ao redor do paciente. O equipamento possui uma mesa de exames onde o paciente fica deitado para a realização do exame. Esta mesa desliza para o interior do equipamento, que é aberto, não gerando a sensação de claustrofobia. 

Alguns exames de tomografia são realizados em duas etapas: sem e com contraste. A administração intravenosa de contraste deve ser realizada quando se deseja delinear melhor as estruturas do corpo, tornando o diagnóstico mais preciso. 

Muitas vezes a tomografia computadorizada é utilizada para guiar precisamente o posicionamento de uma agulha de biópsia em uma área suspeita de câncer.


  • Ressonância Magnética


A ressonância magnética é um método de diagnóstico que utiliza ondas eletromagnéticas para a formação das imagens. A ressonância magnética produz imagens que permitem determinar o tamanho e a localização do tumor, bem como a presença de metástases. 

Assim como na tomografia, também pode ser usado um contraste por via intravenosa para a obtenção de maiores detalhes do corpo. 


  • Ultrassom


Ao contrário da maioria dos exames de diagnóstico por imagem, a ultrassonografia é uma técnica que não emprega radiação ionizante para a formação da imagem. Ela utiliza ondas sonoras de frequência acima do limite audível para o ser humano, que produzem imagens em tempo real de órgãos, tecidos e fluxo sanguíneo do corpo. 

Muitas vezes o ultrassom é utilizado para guiar precisamente o posicionamento de uma agulha de biópsia em um nódulo suspeito de câncer.


  • Tomografia por Emissão de Pósitrons


A tomografia por emissão de pósitrons mede variações nos processos bioquímicos, quando alterados por uma doença, e que ocorrem antes que os sinais visíveis da mesma estejam presentes em imagens de tomografia computadorizada ou ressonância magnética. O PET scan é uma combinação de medicina nuclear e análise bioquímica, que permite uma visualização da fisiologia humana por detecção eletrônica de radiofármacos emissores de pósitrons de meia-vida curta. 

Os radiofármacos, ou moléculas marcadas por um isótopo radioativo, são administrados ao paciente, por via venosa, antes da realização do exame. Para a maioria das doenças, o PET scan utiliza uma forma de glicose radiomarcada para detectar os tumores.

O PET scan permite detectar se o câncer se disseminou para os linfonodos ou outras estruturas e órgãos do corpo.


  • Cintilografia dos Receptores de Somatostatina


A cintilografia dos receptores de somatostatina, também conhecida como OctreoScan é útil para o diagnóstico de tumores pancreáticos neuroendócrinos. Este exame utiliza uma substância parecida com hormônio chamada octreotide ligada ao índio-111. Essa substância é injetada por via venosa e é atraída pelos tumores neuroendócrinos. Após cerca de 4 h da administração do radiofármaco é realizado o exame em uma câmara especial, que mostra as áreas que captam o material radioativo.


  • Endoscopia


Na endoscopia é utilizado um tubo fino e flexível, chamado endoscópio, que possui lentes e luz próprias, na extremidade, permitindo a visualização da mucosa através da outra extremidade do aparelho ou de um monitor de vídeo. Esse exame é realizado para ajudar no diagnóstico do câncer ou determinar a extensão da doença.

Os tipos comuns de endoscopia incluem:


  1. Laringoscopia - Visualizar a laringe.
  2. Esofagogastroduodenoscopia - Visualizar o esôfago, o estômago e duodeno.
  3. Broncoscopia - Visualizar os pulmões.
  4. Colonoscopia - Visualizar o intestino grosso.
  5. Cistoscopia - Visualizar a bexiga.

  • Ultrassom Endoscópico


O ultrassom é uma técnica que não emprega radiação ionizante para a formação da imagem. Ela utiliza ondas sonoras de frequência acima do limite audível para o ser humano, que produzem imagens em tempo real de órgãos, tecidos e fluxo sanguíneo do corpo.

Na ultrassonografia endoscópica, um pequeno transdutor é colocado na ponta do endoscópio. Este endoscópio é passado pela garganta até o estômago. Desse modo, o transdutor é posicionado diretamente sobre a parede do estômago, permitindo que o médico visualize as camadas da parede do estômago, bem como os gânglios linfáticos e outras estruturas. A qualidade da imagem é melhor do que um ultrassom padrão em função da proximidade.


obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla
extraído:http://www.oncoguia.org.br/conteudo/exames-de-imagem-para-diagnostico-do-cancer-de-sitio-primario-desconhecido/5041/679/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla