quarta-feira, 19 de março de 2014

Trombocitopenia Imune Primária - PTI - cont.9

Que pesquisas estão sendo feitas


Entre 3 e 4 de 100.000 crianças são afetadas pela PTI por ano, o que equivale a mais de 200.000 casos em todo o mundo.
Na última década, os esforços têm sido feitos para agregar mais conhecimento sobre esta doença heterogênea por meio da promoção de mais pesquisas baseadas em evidências. Isto significa que as definições, classificações, a descrição da história natural da PTI, as diretrizes de tratamento, etc. devem ser baseadas em pesquisa científica sólida.
Os objetivos básicos da pesquisa clínica são responder a perguntas tais como:
· Qual é a história natural da PTI, especialmente a PTI crônica, e o desfecho da doença?
· Quando a PTI deve ser tratada com medicamentos?
· Qual medicamento é melhor e para qual paciente? (estudos de otimização de tratamento)
· Quais pacientes com PTI irão desenvolver a PTI crônica?
· Como podem ser determinados os grupos de risco no que diz respeito à gravidade da doença?
· Que tipo de tratamento pode ser mais adequado e mais eficaz e para qual paciente?
·  Como melhorar a qualidade de vida dos pacientes com PTI?
Tendo em vista que a PTI é uma doença rara, informações sobre pacientes com PTI estão sendo coletadas em registros, com a ajuda de muitos centros médicos. Esses registros deverão ajudar a responder as perguntas acima, ou dar dicas úteis de como estudos futuros devem ser desenhados.
Embora alguns defeitos do sistema imunológico tenham sido descritos, a causa para a perda da autotolerância é ainda desconhecida. Desenvolvimentos recentes nas áreas da genética e da genômica poderão fornecer ferramentas para investigar possíveis fatores de predisposição à PTI, tais como a probabilidade de perder a autotolerância ou de desenvolver autoanticorpos.
Estudar a PTI inclui um olhar mais atento às células do sistema imunológico, como as respostas imunes são desencadeadas e reguladas. Esta pesquisa também permite o desenvolvimento de testes laboratoriais refinados para diagnóstico.
Uma comunidade de pesquisadores de diferentes áreas foi estabelecida para alcançar uma melhor compreensão dessa doença heterogênea. A pesquisa da PTI como um modelo de doença pode também ser útil para outras doenças autoimunes.

Como a PTI mudará meu estilo de vida

 
Dependendo da gravidade da PTI, algumas precauções são recomendadas. Os pais e a criança/adolescente com PTI estão geralmente preocupados com os sinais de hemorragia. Ficam apreensivos com as baixas contagens de plaquetas e perturbados pelas restrições de estilo de vida.
Não se pode prever se hemorragias raras e graves irão ou não ocorrer na criança. É importante estar sempre atento aos sinais que o corpo emitir e qualquer sintoma diferente, procure um especialista. 


Por quanto tempo a PTI persiste


No momento do diagnóstico, ainda não se sabe por quanto tempo a PTI irá durar.
Fatos:
· 80% das crianças não apresentam mais a PTI 6 meses após terem sido diagnosticadas, independentemente do tratamento. Quanto mais nova a criança, menor o risco de desenvolvimento da PTI crônica;
· A completa remissão é alcançada em 90% das crianças com PTI dentro de 3 a 7 anos;
· Aparentemente, a gravidade da hemorragia diminui com o tempo. Uma redução na gravidade da doença em crianças com PTI em curso ao longo do tempo foi documentada em um estudo com crianças com PTI em 6 meses e em 12 meses após o diagnóstico;
· Bebês com PTI apresentam um resultado significativamente favorável em comparação a crianças com idade entre 1 a 18 anos;
· O risco aumentado para a PTI crônica inclui um histórico de hemorragias por mais de 4 semanas antes do diagnóstico, sexo feminino, idade acima de 10 anos e número de plaquetas maior que 20.000/mm³ no momento do diagnóstico.


obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs,
Carla
extraído:http://www.abrale.org.br/pagina/trombocitopenia-imune-primaria-pti

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla