quinta-feira, 6 de março de 2014

O que é Mielofibrose?

O Blog Reccomecar está participante do Prêmio Top Blog 2013 e esta semana foi eleito entre os 100 Top blogs categoria saúde.

Até o dia 10 de março(10/03/2014), é o período de votação para escolher os 03finalistas!!!
Conto com seu voto!!!





Mielofibrose

Introdução:
Neoplasias Mieloproliferativas (NMPs) são tipos de cânceres do sangue que englobam a Policitemia Vera (PV), a Trombocitemia Essencial (TE) e a Mielofibrose (MF).
NMPs são tipos de cânceres do sangue que começam com uma mutação em uma célula-tronco da medula óssea. Essa mutação, ou mudança, causa uma superprodução de qualquer combinação de glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas.

Como a Mielofibrose se desenvolve?

 Na MF, as células da medula óssea, responsáveis por produzir as células do sangue, passam a se desenvolver e a funcionar de forma anormal. O resultado disso é a formação de um tecido excessivamente fibroso (cicatriz) na medula óssea, que pode causar anemia severa, fraqueza, fadiga e aumento do baço e fígado.
A MF pode ocorrer por si só, neste caso é conhecida como “mielofibrose primária”; ou também pode ocorrer como uma progressão de outras doenças da medula óssea.
Uma característica importante constante da MF é a produção de muitos “megacariócitos”, que são células gigantes na medula óssea que se rompem em fragmentos e produzem de centenas a milhares de plaquetas. As plaquetas, por sua vez, são pequenas células do sangue, responsáveis por parar o processo de sangramento nas feridas.
Assim, nas pessoas com mielofibrose, há um aumento na produção de plaquetas e de citocinas (proteínas responsáveis pelo controle imune), que são então lançadas na medula óssea. As citocinas estimulam o desenvolvimento de tecido fibroso na medula. 


obs. conteúdo meramente informativo consulte seu médico
abs,
Carla
extraído:http://www.abrale.org.br/pagina/mielofibrose
Referências

-Cancer Research Highlights. National Cancer Institute Bulletin.
Another JAK2 inhibitor shows promise against myelofibrosis.
January 11, 2011, vol. 8 no. 1.

-Cervantes F, Dupriez B, et al.
New prognostic scoring system for primary myelofibrosis based on a study of the international working group for myelofibrosis research and treatment.
Blood. 2009;113(13):2895-2901.

-Harrison C, Kiladjian J-J, et al.
JAK inhibition with ruxolitinib versus best available therapy for myelofibrosis.
New England Journal of Medicine. 2012;366(9):787-798.

-Lichtman MA, Tefferi A., Chapter 91. Primary myelofibrosis. Lichtman MA, Kipps TJ, Seligsohn U, Kaushansky K, Prchal, JT, eds. Williams Hematology, 8th ed. Available from: AccessMedicine.
Accessed on April 19, 2012.

-Mayo Clinic, Myelofibrosis.
www.mayoclinic.com/health/ myelofibrosis/DS00886.
Accessed February 9, 2012.

-National Cancer Institute.
Chronic Myeloproliferative Disorders Treatment (PDQ®). Last modified July 29, 2011. Accessed February 9, 2012.
-Office of Rare Diseases Research, National Institute of Health. Myelofibrosis page. Available at www.rarediseases. info.nih.gov/GARD/Condition/8618/Myelofibrosis.aspx. Accessed April 5, 2012.

-Tefferi A. How I treat myelofibrosis.
Blood. 2011;117(13) 3494-3504.

-US Food and Drug Administration.
Jakafi® (ruxolitinib) US Prescribing Information, November 2011. www.accessdata.fda.gov/scripts/cder/drugsatfda/index.cfm?fuseaction=Search.Label_ApprovalHistory#labelinfo.
Accessed April 6, 2012.

-Vaidya R, Siragusa S, et al.
Mature survival data for 176 patients younger than 60 years with primary myelofibrosis diagnosed between 1976 and 2005: evidence for survival gains in recent years.
Mayo Clinic Proceedings. 2009;84(12):1114-1119.

-Verstovsek S, Mesa RA, et al.
A double-blind, placebo-controlled trial of ruxolitinib for myelofibrosis.
New England Journal of Medicine. 2012;366(9):799-807.

-The Leukemia & Lymphoma Society (LLS).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla