Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

MULHERES COM DIABETES TÊM MAIOR RISCO DE DOENÇAS CARDÍACAS

Estima-se que cerca de 10% da população adulta brasileira sejam diabéticos. Segundo dados da SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes), 41% tomam medicamentos, 29% fazem apenas dieta, 23% não seguem nenhum tratamento e 7% são dependentes de insulina. O diabetes pode impactar de forma mais negativa a saúde das mulheres do que a dos homens. É o que indicam os resultados de uma pesquisa conduzida por especialistas europeus e australianos. Segundo o estudo, o risco de uma pessoa diabética sofrer uma doença coronária é 44% maior se ela for do sexo feminino.
O estudo, conduzido por especialistas da Austrália, Grã-Bretanha e Holanda, ainda concluiu que mulheres diabéticas têm o triplo de chance de sofrer uma doença coronária do que mulheres sem diabetes. O diabetes é um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares como infarto, acidente vascular cerebral (AVC) e entupimento de artérias, especialmente das pernas e pés, além de formação de aneurismas – dilatação de um vaso sanguíneo. Um estilo de vida saudável dificulta o aparecimento dos males que podem acometer as funções do coração.
Além de acometer o coração, o diabetes pode, também, comprometer os rins (insuficiência renal) e o cérebro (AVC ou derrame). O risco de sofrer um infarto aumenta 50% nas mulheres com diabetes e 40% nos homens diabéticos. “Quando a enfermidade se instala, potencializa outras condições de risco como a pressão alta e o colesterol elevado. O diabetes é uma espécie de combustível perverso, difícil de ser removido e pronto para causar muitos problemas”, explica Dr. Leopoldo Piegas, cardiologista do HCor (Hospital do Coração).
O diabetes tipo II oferece mais risco para o aparecimento de doenças cardiovasculares. A má alimentação, falta de atividade física regular e de acompanhamento médico adequado ão hábitos que devem ser modificados. “Escolher com cuidado os alimentos que ingerimos para atingir e conservar o peso corporal próximo do ideal, além de preservar a capacidade do pâncreas em produzir insulina, associadas à prática de atividade física regular, ajudam a afastar a possibilidade de instalação do diabetes do tipo 2 – modalidade da doença mais associada ao desenvolvimento de problemas cardiovasculares”, explica Dra. Regeane Cronfli, endocrinologista do HCor (Hospital do Coração).
De acordo com o cardiologista do HCor controlar o peso, praticar atividades físicas regulares, reduzir carboidratos, bem como realizar refeições em horários regulares, são atitudes que podem prevenir o diabetes do tipo 2, além de controlar definitivamente a doença e, consequentemente, garantir o bom funcionamento do coração.
Além do paciente diabético ter mais risco de contrair doenças do coração, é necessário cuidado redobrado mesmo após o tratamento. “Isso porque sempre haverá tendência de obstruções das artérias. É importante não procurar por ajuda apenas em momentos mais sérios, mas principalmente para prevenção de patologias. Se as doenças não forem evitadas, elas poderão trazer consequências muito mais graves à saúde”, pondera Dr. Piegas.
Diabetes e doenças cardiovasculares: as doenças cardiovasculares estão entre as causas mais frequentes de morte no Brasil. Evitar o diabetes significa afastar essa ameaça. E não é difícil seguir esse caminho. Primeiro, é necessário avaliar a presença de fatores de risco, como tabagismo, excesso de gordura abdominal, hipertensão, sedentarismo, dieta pobre em fibras e história de diabetes na família. “Quando esses fatores existem, o acompanhamento com um profissional de saúde ajuda a promover uma melhora gradual no estilo de vida e reduz, em cerca de 60%, o risco de desenvolver a doença”, explica a endocrinologista do HCor.
Em pessoas com diabetes, a orientação ajuda a reduzir a gordura abdominal e a controlar melhor os níveis de pressão arterial, colesterol e glicose, diminuindo os riscos de infarto e de AVC. “Já os que não desenvolveram nenhum fator de risco sabem: manutenção de um peso corporal adequado, boa alimentação rica em frutas, hortaliças, legumes e verduras, grãos integrais, produtos como leite desnatado e seus derivados e exercício físico regular podem manter longe o diabetes”, finaliza Dra. Cronfli.
 obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla