Será Natal???

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo...
Mas, será que poderia me dar uns minutos da sua
atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você. Há uma correria generalizada...
Entendo que você tenha pouco tempo.
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...
Mas, confesso que vejo pouco brilho nos olhares...
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...
É bonito ver luzes, cores, fartura...
Mas seria tão belo ver sorrisos francos...
Apertos de mãos demorados...
Abraços de ternura...
Mais gratidão...
Mais carinho...
Mais compaixão...
Que familiares e pessoas que  se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação se reconciliem.
Mas, porque você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: Para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: Viva Jesus. Feliz Natal!
E os sóbrios comentam: É louco!
E a cidade se prepara... Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...
Natal é fraternidade...
Mas o Natal também é união...
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem na Terra deu origem ao Natal...
E, finalmente, o Natal é pura expressão de amor...
Gratidão!!!
abs.fraternos
Carla




sábado, 17 de dezembro de 2016

A EPIDEMIA DE OBESIDADE INFANTIL CRESCE DURANTE AS FÉRIAS ESCOLARES

Imagem relacionada




Terça, 22 Novembro 2016

Informações do Autor

Dr. Reginaldo Albuquerque
Professor da UnB (1967-1981)
Superintendente de Ciências da Saúde CnPq (1982-1991)
Editor do site da Sociedade Brasileira de Diabetes (2005-2011) 
Ex-Consultor em Educação da UnaSus/Fiocruz

Um estudo realizado com 18 mil crianças americanas, acompanhadas desde o jardim da infância até o fim do segundo grau, mostrou que elas ganharam mais peso durante as férias de verão.
O trabalho contou com o apoio da Fundação Russel Sage e incluiu uma amostra representativa da população. O seu autor foi o pesquisador Paul T. von Rippel, que publicou o trabalho neste mês de novembro de 2016 na revista médica Obesity. O número de crianças com sobrepeso passou de 23,3% para 28,7% e o de obesas evoluiu de 8,8% para 11,5%. O aumento da obesidade ocorreu durante o período de férias, numa velocidade de 1% por mês de férias. Durante o período escolar, a prevalência de sobrepeso não aumentou e a obesidade chegou a cair modestamente (0,1% por mês);
Esses dados, apresentados durante o recente Congresso Americano de Obesidade de 2016, estão sendo considerados muito importantes porque mostram que o risco de obesidade é maior fora do ambiente escolar. Além disso, explicam por que várias iniciativas realizadas visando a melhoria do lanche escolar tiveram pouco impacto na epidemia de obesidade infantil. O Dr. Paul Hippel sugere a realização de atividades nas férias e campanhas voltadas para a educação dos pais e material educativo dirigido para as crianças.
A explicação para o aumento da obesidade infantil durante as férias é que as crianças dormem menos e têm mais atividades de horas-tela, assistindo televisão e jogando em computadores. O estudo está publicado em Obesity (2016 Nov 2. doi: 10.1002/oby.21613).
obs. conteúdo meramente informativo procure seu médico
abs
Carla
http://www.diabetes.org.br/noticias-destaque/1428-a-epidemia-de-obesidade-infantil-cresce-durante-as-ferias-escolares

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vc é muito importante para mim, gostaria muito de saber quem é vc, e sua opinião sobre o meu blog,
bjs, Carla